21/12/2021 às 11h19min - Atualizada em 20/12/2021 às 09h23min

A Força da Música Sertaneja no Brasil

Entenda o fenômeno que faz a música sertaneja está sempre entre as músicas mais ouvidas do país

Flávia Pena - editado por Larissa Nunes
Gusttavo Lima e Leonardo, artistas de grande destaque na história da música sertaneja. Imagem: ABC Repórter

É indiscutível que desde que surgiu, lá pela década de 20, a música sertaneja sempre foi um gênero muito ouvido - nessa época o sertanejo era apenas música caipira, que retratava principalmente a vida do homem do interior e a beleza bucólica e romântica das paisagens. Cornélio Pires, ativista cultural, jornalista, poeta, advogado e professor, foi o primeiro a tomar a iniciativa de gravar um disco de música caipira em 1929, bancando todos os custos com o próprio dinheiro.

Ele viajou pelo interior de São Paulo cantando canções que enalteciam costumes do homem do campo. Apesar de ser o pioneiro a gravar um disco do gênero, antes das músicas de Cornélio, já existiam as modas de violas, muito comum entre o povo do interior. Duplas de grande relevância para o gênero sertanejo, surgiram nessa época, como é o caso de Tonico & Tinoco, uma das duplas mais importantes da música brasileira. Os seus 64 anos de carreira, lhes renderam 83 discos e quase 1000 gravações.

A dupla é recordista de vendas no Brasil e seus sucessos são lembrados até hoje. Raul Torres e Florêncio e Vieira e Vieirinha, também são duplas de muito êxito da época. Nesse período 40% do mercado fonográfico brasileiro já era dominado pela música sertaneja. O feito foi tão grande que quando a música sertaneja chegou ao rádio, superou até mesmo o Rei Roberto Carlos.

 


Com o passar dos anos o sertanejo foi evoluindo; novas vertentes do gênero foram surgindo e novos instrumentos foram introduzidos ao ritmo, que cada vez mais foi dominando os lares dos brasileiros. Hoje temos, o sertanejo caipira, raiz, romântico e universitário. A fase do sertanejo romântico tem enorme destaque para a história da música. Inspirado no country music, a dupla Léo Canhoto e Robertinho deram início a essa fase moderna do sertanejo.

Na década de 70, Sérgio Reis passou a gravar músicas tradicionais sertanejas e a propagar cada vez mais o gênero no país. Nos anos 80 a música sertaneja começou a se massificar e houve uma exploração comercial muito forte. Artistas eram convidados semanalmente para se apresentarem nas rádios, televisões, circos e passaram a ter suas canções como trilhas sonoras de novelas. 

Grandes nomes dessa época são,
Milionário & Zé Rico, Trio Parada Dura, Chitãozinho & Xororó, João Mineiro e Marciano, Leandro & Leonardo, Mato Grosso & Mathias, Rio Negro e Solimões, Zezé Di Camargo & Luciano, Chrystian & Ralf, Rick & Renner, Bruno e Marrone e Roberta Miranda. 


Banner com os maiores nomes da história da música sertaneja juntos. Fonte: Divulgação / Extra News Goiás em Destaque

 

Todos esses, são referência para a maioria dos jovens, que desejam um dia tornasse cantores de música sertaneja. O sucesso que esses artistas alcançaram e a história que escreveram na musica brasileira, irá perpetuar. Porém, atualmente uma nova vertente da música conquistou o país, o sertanejo universitário, que inicialmente se referia a duplas que começavam a carreira cantando em bares próximos a universidades, mas hoje isso não é mais um critério. Os primeiros nomes a representar essa era são Jorge & Mateus, Luan Santana, Gusttavo Lima, Zé Neto & Cristiano e Fernando e Sorocaba.

Representantes do sertanejo universitário. Fonte: Reprodução / Site Segredos do Mundo
 

A partir de 2015, surgiu um novo subgênero do sertanejo o chamado Feminejo, que enfatiza as mulheres. Uma das maiores representantes do feminejo foi a cantora e compositora Marília Mendonça, nossa eterna Rainha da Sofrência, que nos deixou em novembro, após um trágico acidente aéreo. Marília com suas poesias em forma de canção, cantou as dores e prazeres da mulher. Sem tabu, ela retratava as decepções amorosas, o papel das amantes, a vida de uma prostituta, a liberdade e empoderamento das mulheres.


Projeto Patroas de Marília Mendonça com a dupla Maiara e Maraisa, canção que retrata o empoderamento feminino. Fonte: Reprodução / YouTube


A Rainha da Sofrência está entre os artistas mais tocados no país até hoje. Marília com sua arte, deixou um legado de valor inestimável para todos nós.  Por falar em suas músicas com tanta naturalidade sobre assuntos do cotidiano, Marília passou a ser muito aglamada pelo público - em especial pelas mulheres. Suas centenas de canções jamais serão esquecidas. Marília foi uma mulher a frente do seu tempo! 

Marília Mendonça, principal representante do Feminejo. Fonte: Reprodução / Instagram
 

Outras mulheres que se destacaram nesse movimento foram, Maiara & Maraísa, Simone & Simaria, Naiara Azevedo, Yasmin Santos e Lauana Prado. Todas seguem levando cada vez mais a força da mulher para esse universo sertanejo que, antes era predominantemente masculino.

Atualmente a música sertaneja é a mais ouvida no Brasil e tem mudado vidas de muitos jovens que ingressam na carreira musical. E principalmente, o sertanejo tem embalado bons momentos há décadas.  Independente do seu gênero musical preferido, tenho certeza que você conhece a música 'Evidências' da dupla Chitãozinho & Xororó. Como dizem por aí, "Evidências é o nosso hino nacional." 


Chitãozinho e Xororó cantam "Evidências" clássico da música brasileira. Fonte: Reprodução / YouTube
 

A verdade é que a música sertaneja, ao longo dos anos, teve muitas diversificações e cada vez mais tem alcançado resultados extrondosos, arrastando uma multidão em seus shows e arrecadado milhões em faturamento. Para se ter uma ideia; dos dez cantores mais bem pagos dos país, seis são cantores sertanejos. Gusttavo Lima é o segundo cantor com maior cachê do Brasil, ficando atrás apenas de Roberto Carlos. Os festivais, hits, as lives durante a pandemia de Covid-19, tudo isso, tem fortalecido o movimento. As lives serviram para consolidar a paixão que o público tem pelo som mais genuinamente brasileiro, o sertanejo.

Muitos têm apostado em parcerias com artistas de outros ritmos, o famoso 'feat'; e têm levado a música sertaneja para outros tipos de ouvintes agradando e conquistando novos admiradores, um dos motivos que tem feito o ritmo se fortalecer cada vez mais. Ritmos como o funk e o pagode são exemplos de gêneros que tem dado muito certo em 'feat' com cantores do sertanejo. 


Música de Henrique e Diego com participação do funkeiro Mc Guimê. Fonte: Reprodução / YouTube
 

A plataforma de streaming Spotify, divulgou recentemente a lista dos gêneros musicais e artistas mais ouvidos em 2021, e o resultado só comprova a força que a musica sertaneja tem até hoje. O gênero mais ouvido no país é o sertanejo e os sucessos são de Gusttavo Lima, Marília Mendonça, Jorge & Mateus e Henrique e Juliano; na categoria artista feminina mais ouvida, ficou mais uma vez com a nossa saudosa Marília Mendonça.

Veja os rankings do Spotify em 2021, no Brasil:

Top 5 artistas mais ouvidos:

  1. Os Barões da Pisadinha

  2. Gusttavo Lima

  3. Marília Mendonça

  4. Jorge & Matheus

  5. Henrique & Juliano

Top 5 artistas mulheres mais ouvidas:

  1. Marília Mendonça

  2. Maiara & Maraisa

  3. Luísa Sonza

  4. Ludmilla

  5. Ariana Grande

Top 5 músicas mais reproduzidas:

  1. Israel & Rodolffo - Batom de Cereja - Ao Vivo

  2. Diego & Victor Hugo - Facas - Ao Vivo

  3. Wesley Safadão - Ele é Ele, Eu Sou Eu

  4. João Gomes - Meu Pedaço de Pecado

  5. Matheus Fernandes - Baby Me Atende

Top 5 álbuns mais ouvidos:

  1. João Gomes - Eu Tenho a Senha

  2. Jorge & Matheus - Tudo em Paz

  3. Gusttavo Lima - O Embaixador - The Legacy (Ao Vivo)

  4. Olivia Rodrigo - SOUR

  5. Israel & Rodolffo - Aqui e Agora, Vol. 1

Top 5 gêneros musicais mais ouvidos:

  1. Sertanejo pop

  2. Sertanejo universitário

  3. Sertanejo

  4. Funk carioca

  5. Pop

 

Não há dúvidas de que, a música sertaneja está diariamente acompanhando os brasileiros nas mais diversas situações. Tantas décadas de sucessos, tantas histórias, já foram e ainda serão contadas através desse gênero. Que o que podemos esperar para o futuro é que ele se renove sempre e continue fazendo parte das nossas vidas, nas mais diversas fases. Vida longa ao sertanejo!



 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »