28/02/2022 às 18h23min - Atualizada em 28/02/2022 às 17h39min

A Jaula e a reflexão sobre o “cidadão de bem” na sociedade brasileira atual

Filme foi lançado em 17 de fevereiro deste ano e conta com Chay Suede e Alexandre Nero no elenco

Nataly Lopes - Revisado por Flavia Sousa
O Globo
Imagem oficial do filme A Jaula. (Foto: Reprodução/ Star Plus)
O filme brasileiro A Jaula foi lançado no dia 17 de fevereiro nos cinemas nacionais. A trama possui 101 minutos de duração e tem a participação dos atores Chay Suede, Alexandre Nero e Mariana Lima, com direção de João Wainer. O longa-metragem conta a história de um ladrão que tenta assaltar um carro e fica preso no veículo por dias, como vingança do dono que decide praticar a justiça com as próprias mãos.

Trailer de A Jaula. (Reprodução: Buena Vista Brasil - YouTube)


A obra é um remake do filme argentino 4x4, escrito por Mariano Cohn e Gastón Duprat, lançado mundialmente em abril de 2019. A ideia de fazer um audiovisual sobre a situação surgiu depois que Cohn assistiu na televisão uma notícia sobre um ladrão que ficou preso dentro de um carro no Brasil.


Trailer de 4X4. (Reprodução: FilmIs Now Movie Trailers - YouTube)


As gravações do longa nacional foram realizadas no final de 2018, ano que ocorreu a vitória de Jair Bolsonaro na eleição presidencial. Um dos temas mais abordados naquele período foi a questão do “cidadão de bem” e como muitos brasileiros são descrentes na justiça do país. 

 

Em 2019, uma pesquisa realizada no Rio de Janeiro pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que 64% da população acredita que a lentidão e a burocracia são os principais fatores que mais desmotivam as pessoas a procurarem a Justiça. 

 

Além disso, 28% também considera que a desmotivação se justifica porque as decisões judiciais só favorecem quem tem dinheiro e poder. Desde que Bolsonaro assumiu a presidência, o número de armas de fogo registradas no país aumentou 65% segundo o Supremo Tribunal Federal

 

O debate acerca da justiça com as próprias mãos ganhou notoriedade e o filme traz uma reflexão sobre isso. O médico Henrique (Alexandre Nero), considerado “cidadão de bem”, foi assaltado 28 vezes na vida, sendo 4 veículos perdidos. A partir disso, ele decidiu que o próximo assalto seria resolvido por ele mesmo, sem a interferência da polícia.

 

Comentário sobre o filme. (Reprodução: Twitter/ @CINEMA505)


O ladrão Djalma (Chay Suede) entra no carro que estava estacionado em uma rua deserta para furtar um equipamento. No entanto, mesmo de longe, o doutor Henrique tranca as portas do veículo e Djalma fica preso, sem ter como sair. O bandido tem incansáveis ligações com o médico por vários dias.

 

Djalma fica sem comer e beber direito, além de ter levado um tiro quando tentava sair do carro. Após o médico tirar o ladrão do veículo e brigar com ele, os vizinhos chamam a polícia e até a imprensa local entra na cena.

 

Comentário sobre o filme. (Reprodução: Twitter/ @MARIABE40565238)


O filme tenta mostrar como muitos brasileiros não acreditam na justiça e preferem fazê-la com as próprias mãos. No geral, a proposta da obra é entregue com ótimas atuações de Suede e Nero. Entretanto, a crítica social poderia ter sido mais trabalhada.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »