07/03/2022 às 18h44min - Atualizada em 07/03/2022 às 12h00min

O que os artistas da segunda geração do K-pop vão entregar em 2022?

Fique por dentro das novidades e especulações que circundam os cantores veteranos que marcaram a indústria musical coreana

Virginia Oliveira - editado por Larissa Nunes
Conheça um pouco da era de ouro do K-pop. (Foto: Reprodução / SM Entertainment / SJ Label / YG/) - Montagem: Virginia Oliveira

O K-pop se torna a cada dia um gênero musical apreciado mundialmente e isso não é segredo para ninguém. O estilo surgiu em meados dos anos 1980, e a partir dos anos 2000 começou a ser pensado intencionalmente para exportação. Muitos artistas fizeram história nessa indústria sul-coreana, e dentro do K-pop eles são separados por gerações, e segundo artigo da Idology, principal revista eletrônica coreana sobre o gênero musical, atualmente já estamos no que é conhecido como quarta geração. 

 

Dentro dessas quatro, tivemos aquela que ficou conhecida como a era de ouro da indústria musical coreana: a segunda geração, que de acordo com a análise da Idology, aconteceu entre 2004 e 2012. Os artistas dessa época dominaram ainda mais a Ásia de maneira geral e alavancou de forma exponencial o fenômeno da Onda Hallyu ou Onda Sul Coreana, que tinha começado no final da primeira geração, deixando o ritmo e a cultura coreana conhecidos no Ocidente, a prova disso foi a incorporação do idioma inglês nas letras cada vez mais frequente. 

 

Multidão de fãs com os chamados.

Multidão de fãs com os chamados.

(Gif: Reprodução / annyeongbrasil.com.br)

Por isso, confira alguns grupos e solistas da segunda geração que já confirmaram novidades para esse ano de 2022 e outros que ainda estão com rumores sobre novos projetos.


BIGBANG

  
Da esquerda para a direita os integrantes T.O.P, G-Dragon, Daesung e Taeyang.

Da esquerda para a direita os integrantes T.O.P, G-Dragon, Daesung e Taeyang.

(Foto: Reprodução / YG Entertainment / Kpoplat.com)


Para começar essa lista, não poderia faltar o grupo que deu o que falar ultimamente com o anúncio de um comeback previsto entre março e junho deste ano. BIG BANG estreou em 2006 com um conceito voltado mais para o hip-hop, o que foi sendo mudado e aprimorado durante os anos. Suas letras ousadas e estilo irreverente lotavam estádios, tornando-os mais tarde a primeira boy band sul-coreana a ganhar na categoria Artista Global do MTV Europe Music em 2011, em uma época onde o k-pop não estava tão em peso como nos dias de hoje. Seu último trabalho foi a faixa “Flower Road”, lançada em 2018. 

 

A agência que gerencia o grupo, a YG Entertainment, confirmou no dia 7 de fevereiro a volta de quatro (G-Dragon, Taeyang, Daesung e T.O.P) dos cinco membros originais. O membro faltante é Seungri, que havia deixado sua carreira musical em 2019 e atualmente está respondendo em regime fechado às acusações de crime sexual, mediação de prostituição, delitos econômicos, entre outros. Também veio a público a saída de T.O.P da YG Entertainment, mas até o momento, isso não prejudicará o novo projeto, um single que está na fase de pré-produção.

 
Post publicado por uma das fanbases do BIGBANG aqui no Brasil. (Crédito: Reprodução/ @Stream_Bigbang/ Twitter)

Ao mesmo tempo que a notícia causou euforia nos fãs, surgiu também um questionamento se o que está por vir seria o último adeus,  assim como aconteceu com outro grupo da YG, as meninas do 2NE1. Pelas redes também é possível encontrar rumores de que a data para o retorno do BigBang seja 13 de março, mas isso não são informações oficiais. Até agora só sabe-se que eles voltarão.

 

Super Junior


Formação atual do Super Junior.

Formação atual do Super Junior.

(Foto: Reprodução / SM Entertainment / Entretetizei.com.br)

O primeiro grupo a ter uma formação tão grande, debutando em 2005 com um total de 13 membros e, com isso, foi o precursor da ideia de formar “Subunits”, isto é, pequenos grupos dentro de um grupo primário para “reaproveitar” os talentos, método que existe até hoje na indústria do k-pop. Sucessos como “Sorry Sorry”, “Mr. Simple” e “Bonamana” cativaram o público pelas suas letras chicletes e danças contagiantes.  
 

De lá pra cá, membros saíram do grupo, houve a época do alistamento obrigatório e atualmente 9 membros permanecem no Super Junior. É um dos poucos grupos, com 17 anos de carreira, que ainda continua com lançamentos periódicos. Agora que todos os membros passaram pelo serviço militar, fica mais fácil ouvir trabalhos com a formação atual integralmente. 

 

Ano passado, eles entregaram seu 10° álbum, o “The Renaissance” com a faixa principal “House Party”, que traz uma mensagem de conscientização em relação a pandemia e distanciamento social. Recentemente, dia 28 de fevereiro, fizeram seu comeback com o EP “The Road: Winter to Spring”, com destaque para a faixa “Callin”, que ganhou um videoclipe, o qual tem uma levada mais calma e serena. 

 

Além da música, é possível ver os membros do Super Junior em atividades paralelas como atuação, apresentação e participação em programas de variedades. Eles não param.

  

3. Apink 


Grupo Apink com suas seis integrantes no photoshoot oficial de "Horn".

Grupo Apink com suas seis integrantes no photoshoot oficial de "Horn".

(Foto: Reprodução/ IST Entertainment/ Love4Ever BR)

 

Com mais de 10 anos de estrada, as garotas do Apink estrearam em 2011, já quase no final da segunda geração. Elas resgataram o conceito doçura e angelical que havia se perdido frente à grupos como 2NE1, (f)X e 4minute que apostaram em um tom mais “menina malvada”. O hit “No no no” marcou a trajetória do grupo, o deixando mais conhecido.

 

Em 14 de fevereiro deste ano elas voltaram à cena, após quase dois anos sem novas canções em conjunto, com o álbum especial chamado “Horn” e um videoclipe para a faixa principal, “Dilemma”. 

 

4. Park Bom (2NE1)


Cantora Park Bom para a revista TENSTAR em 2021.

Cantora Park Bom para a revista TENSTAR em 2021.

(Foto: Reprodução / TENSTAR/ Suco de Mangá)

 

A cantora fez parte do grupo 2NE1 juntamente com CL, Minzy e Sandara Park. O grupo feminino da YG foi lançado em 2009 acumulou vários fãs ao redor do mundo, trazendo roupas com muita estampa, cores neon e temáticas mais dramáticas, fugindo um pouco da imagem estereotipada atribuída aos grupos femininos.

 

Em 2016 houve a separação e muita controvérsia permeia o acontecido, pois foi algo que ninguém esperava, até mesmo as integrantes. Desde então, cada uma focou em atividades solos. No caso da Park Bom, ela lançou agora em fevereiro o single “My Reflection”, que será trilha sonora do webtoon (um tipo de revista em quadrinho digital) “Fight For My Way”. 

 

Há também uma esperança de que o grupo possa presentear seus admiradores com uma reunião. Isso começou a ser alimentado depois do quarteto aparecer em um documentário feito pela Mnet no ano passado sobre o prêmio mais importante do Kpop, o MAMA (Mnet Asian Music Award). E vale ressaltar que o 2NE1 foi o primeiro grupo a ganhar as três maiores categorias da premiação, sendo elas Música do Ano, Artista do Ano e Álbum do Ano.

 

Max Chansung (TVXQ!)


Max Changmin e seu conceito "dark" para o mini álbum "Devil".

Max Changmin e seu conceito "dark" para o mini álbum "Devil".

(Foto: Reprodução/ SM Entertainment/ Vacancy)

Em janeiro foi a vez de Max Changmin, que faz parte da dupla TVXQ!, trazer o seu segundo mini álbum intitulado "Devil". Como o nome sugere, a aposta dessa vez foi uma estética mais dark, com coreografias dramáticas e até teatrais.  O cantor está a todo vapor desde que cumpriu o serviço militar.
 

Lembrando que o TVXQ era originalmente um grupo de cinco integrantes formado em 2004 pela SM Entertainment, que fez bastante sucesso principalmente no Japão, juntamente com outros artistas sul-coreanos como a cantora Boa. Com a saída de três membros em 2010, ficou apenas o duo composto por Max Changmin e U-Know Yunho.


Mensagem que apareceu brevemente na live da SM, feita em janeiro.

Mensagem que apareceu brevemente na live da SM, feita em janeiro.

(Foto: Reprodução/ SM Entertainment/ kpopstarz.com)

No começo do ano, em uma live feita pela SM com vários showcases de seus artistas, apareceu na tela os dizeres “TVXQ! 2022”, o que deixou os espectadores alvoroçados só de pensar na possibilidade disso ser um sinal de que vem comeback da dupla, que está num hiato de quatro anos. Nada foi oficialmente divulgado, mas não custa nada ficar atento. 

 

Taeyeon (Girls Generation)


Foto de divulgação do novo álbum de Taeyeon chamado "INVU".

Foto de divulgação do novo álbum de Taeyeon chamado "INVU".

(Foto: Reprodução/ SM Entertainment/ PureBreak)

E para fechar a categoria de de solistas, fevereiro também trouxe novidades da emblemática Taeyeon, que retorna aos palcos com mais um de seus projetos solo, o “INVU”, álbum com 13 faixas, que chegou aos ouvidos do público no dia 14. Além desse projeto, a cantora já havia estreado o seu single “Can’t Control Myself”.
 

Os fãs também clamam por novidades em grupo, já que Taeyeon faz parto do "Girls Generation" conhecido como “Grupo da Nação” na Coreia do Sul, e responsável pelo hit “Gee” que marcou a segunda geração e foi a música mais vendida em 2009 na Coreia e a primeira de um grupo feminino a atingir a marca dos 100 milhões de views no Youtube. As meninas estão na indústria desde 2007 e seu último lançamento foi em 2017, com o álbum “Holiday Night”. De lá para cá, integrantes saíram do grupo, algumas delas mudaram de agência e não estão mais na SM. Será que em 2022 teremos as queridinhas de volta?

 

Para ficar de olho


Novidades que podem surgir.

Novidades que podem surgir.

(Gif: Reprodução / Megacurioso)

Se você chegou até aqui, tem um bônus. Fora esses retornos mencionados acima, existe uma expectativa em relação a outros grupos veteranos que desde o ano passado deram o ar da graça depois de um tempo sem novidades. São eles: 
 

T-ara (2009) - O grupo feminino composto por quatro integrantes estava há quatro anos sem aparecer na mídia, e seu último projeto foi o EP “What’s My Name”, em 2017, quando o grupo ainda fazia parte da gravadora MBK EntertainmentEm novembro de 2021 voltaram com o single “TIKI TAKA” que traz aquele estilo já explorado pelo grupo, algo maduro e glamuroso em uma batida mais dançante. Chamadas por muitos de “Rainhas do K-pop” espera-se que continuem a lançar música nova neste 2022. 

 

2PM (2008) -  Grupo da JYP Entertainment, conhecido como os "Beast Idols" (ou Ídolos Selvagens em tradução livre) por seu jeito agressivo, mais sensual e por incorporar acrobacias em suas performances no início da carreira. Ano passado, os seis membros voltaram depois de uma pausa de cinco anos, já que eles precisavam cumprir o serviço militar obrigatório, com exceção de Nichkhun, já que ele não é coreano e sim tailandês-americano. 

 

O último trabalho foi o álbum “Must”, tendo como destaque a canção "Make it" que também ganhou um clipe. Atualmente cada um se concentra em atividades individuais, atuando em musicais, filmes e k-dramas (novelas coreanas).

 

CNBlue (2009) - A banda de pop-rock fez seu 9° mini álbum, o “Wanted” que conta com a faixa-título “Love Cut”. Neste último trabalho, o trio investiu no conceito faroeste, com um ritmo mais pop-country. Ao longo da carreira, o trio investiu mais na carreira no Japão, e diferente dos grupos de kpop que surgiram na época que o grupo surgiu, ao invés das coreografias ousadas, no CNBlue cada um toca um instrumento.




 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »