02/03/2022 às 14h45min - Atualizada em 02/03/2022 às 11h53min

Eleição de Robinson de Castro, presidente do Ceará, é anulada por decisão do TJCE

O Tribunal de Justiça do Estado do Ceará anulou provisoriamente as eleições ocorridas em 15 de dezembro de 2021; clube diz que vai recorrer

Guilherme Castro - Editado por: Nathalin Gorska
Robinson de Castro é presidente do clube desde 2016. Reprodução: Marcelo Vidal/ CearaSC.com

A anulação se deu através de uma denúncia feita pelo concorrente do atual presidente na última eleição, o médico Paulo Roberto de Cavalcante Vasconcelos. A denúncia, feita um dia após o resultado da eleição, se baseou no artigo 125 do estatuto do Ceará Sporting Club, que estabelece um limite para reeleições. Dessa forma, um terceiro mandato de Robinson de Castro e o 2º vice-presidente Carlos Moraes, que já haviam sido eleitos para a presidência do clube em 2016 e reeleitos em 2018, é considerado irregular.

O Ceará entende que não feriu o estatuto pois a reeleição de Robinson e Carlos não se configura como um terceiro mandato “sob a ótica de regra hermenêutica da aplicação da lei no tempo, assim como a análise do artigo 115 do estatuto do Ceará Sporting Club e das consolidações interpretativas e autorizações de dois órgãos internos do Conselho Deliberativo do Clube”.

 

O presidente irá seguir no cargo enquanto o processo estiver em andamento e caso a eleição seja anulada um novo pleito será realizado, mas sem a candidatura de Robinson de Castro. Em live feita na terça-feira (1), o presidente alvinegro, acompanhado dos dirigentes do Ceará e o ex-presidente Evandro Leitão, falou sobre a decisão do TJCE:
 

"Nós respeitamos muito a justiça. É uma decisão reversível e nossa equipe jurídica vai pedir uma revisão, ou até mesmo um recurso em uma instância superior, para que elimine a decisão desta 2ª instância".


TURBULÊNCIA NO CLUBE


 

A decisão do TJCE vem em péssima hora para o atual presidente, que também está tendo que lidar com várias mudanças internas no clube. Após a eliminação precoce no Campeonato Cearense para a equipe do Iguatu, que tem uma folha salarial quase 30 vezes menor que a do Ceará, Robinson, em reunião com a diretoria do clube, decidiu demitir o executivo de futebol Jorge Macedo, que estava no cargo desde 2019, o auxiliar técnico Daniel Azambuja, que estava desde 2016, o preparador físico André Volpe, que estava desde 2021, e o gerente executivo de comunicação Bruno Reis, que estava desde 2019. 

 

Ninguém será contratado para o cargo de executivo de futebol, o setor ficará nas mãos de Sergio Dimas, que já estava no cargo junto a Jorge Macedo, e o coordenador técnico Armando Desessards, que foi executivo do América (MG) na temporada passada. Um novo preparador físico já foi anunciado, será Flávio de Oliveira, que estava trabalhando no Corinthians e já teve uma passagem pelo Vovô em 2018, ele chega na capital nesta sexta-feira (4). Não foram divulgados os substitutos para auxiliar técnico e para a gerência do setor de comunicação, que foi assumida interinamente por Israel Simonton.
 

PRÓXIMOS DESAFIOS

 

Sem tempo para crises, o Vozão tem mais uma decisão nesta quarta-feira (2), às 19h (horário de Brasília), pela primeira fase da Copa do Brasil diante do São Raimundo no estádio Flamarion Vasconcelos, em Boa Vista (RR). O Ceará joga pelo empate, mas uma vitória diante do clube roraimense é indispensável para melhorar o clima de pressão criado após a eliminação no Campeonato Cearense.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »