12/03/2022 às 16h56min - Atualizada em 12/03/2022 às 16h33min

NFT de bandeira ucraniana arrecada mais de R$ 33 milhões para defesa contra a guerra

Daniel Souza Lopes - Editado por Maria Paula Ramos
Mais de R$ 33 milhões foi arrecado pela Ucrânia por meio do leilão de NFTs (Non-Fungible Token) da bandeira ucraniana. A iniciativa foi idealizada pela UkraineDAO, organização autônoma descentralizada criada por Nadya Tolokonnikova. O valor será encaminhado para a Come Back Alive - organização que doa suprimentos para civis e militares.  
 
Além das NFTs, A Ucrânia ainda conta com donativos em forma de criptomoedas desde o início da invasão russa, quando o governo Ucraniano anunciou que estariam aceitando doações de criptomoedas. Cerca de R$ 507 milhões em doações de criptomoedas foram registrados até o momento.
 
Uma NFT (Non-Fungible Token ou Tokens Não-Fungíveis) é um token criptográfico que representa algo único, que não pode ser substituído, uma cripto-arte. São como certificados de autenticidade digital. Criada em 2014 pelo artista Kevin McCoy, as NFTs estão presente nas artes, nos jogos, nos esportes e na música. São usadas principalmente para criar escassez digital verificável, assim como propriedade digital. Estão presentes em diversos aplicativos que requerem itens digitais exclusivos, como cripto-colecionáveis e jogos criptografados. Em 12 de maio de 2021, o primeiro festival físico de cripto-arte aconteceu em Lisboa, Portugal. No mesmo ano, as vendas de NFTs atingiram R$ 120 bilhões, segundo dados da DappRadar.
 
De acordo com a Época Negócios, O lance vencedor para a bandeira da Ucrânia foi colocado em nome de um pool de 3271 doadores por meio de um serviço chamado PartyBid. Os licitantes puderam assumir a propriedade compartilhada do item.
 
A guerra na Ucrânia teve início em 22 de fevereiro de 2022, quando o presidente da Rússia, Vladimir Putin, autorizou a invasão de tropas russas em território ucraniano. Após duas semanas de conflito, cerca de 1.300 soldados ucranianos já perderam a vida, de acordo com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky. Para acabar com o conflito, a Rússia exige que a Ucrânia cesse sua ação militar, mude sua Constituição, reconheça a Crimeia como território russo e ainda o reconhecimento das repúblicas separatistas de Donetsk e Lugansk como territórios independentes.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »