21/03/2022 às 15h25min - Atualizada em 21/03/2022 às 11h13min

6 filmes para entender o narcisismo materno

O narcisista não admite ter qualquer problema, portanto a solução é sempre o cuidado e tratamento das vítimas

Patricia Barboza Schwambach - editado por David Cardoso
Cena do filme Mamãezinha Querida. (Foto: Reprodução/Grim)

A influência dos traumas causados pela convivência com um familiar narcisista podem ditar a trajetória de vida e fracassos de uma pessoa. Identificar-se como vítima é o primeiro passo para a cura, sendo fundamental o afastamento do narciso em questão e a busca por um tratamento psicoterápico. É importante entender que o narcisismo é um transtorno de personalidade e é muitas vezes sutil e oculto, não sendo percebido pelas vítimas por anos, que acabam acreditando em suas manipulações.

 

"Todo psicopata é narcisista. Mas nem todo narcisista é psicopata." Ana Beatriz Barbosa Silva - Psiquiatra

 

Uma das histórias mais famosas da mitologia grega conta que Narciso era um jovem bonito que se apaixonou pela própria imagem refletida na água. Inspirada no mito de Narciso, a psicologia classificou como "Transtorno de personalidade narcisista" o indivíduo arrogante e prepotente que se julga único, extremamente competitivo e que precisa ser admirado constantemente. 


 

Por ser o "jeito de ser" do indivíduo e não uma doença, não há medicamentos para tratar esse transtorno. O narcisista não admite ter qualquer problema e a solução mais plausível é se afastar assim que você perceber estar envolto nessa teia de vaidade e manipulações. 

 

De médico, louco e narciso todo mundo tem um pouco. Se ao ler essas informações você ficou preocupado ao identificar traços narcisistas na sua personalidade, fique tranquilo. Um verdadeiro narcisista nunca se identifica como tal.

 

Já falamos que a melhor atitude (senão a única) ao identificar um narcisista é se afastar dele. Mas e quando o narcisista é a mãe ou o pai? É provável que você só descubra o transtorno de um parente na fase adulta e quando o estrago emocional já estiver consolidado. Assim é fundamental para a sua cura que você se afaste. 

 

Para colaborar na identificação, a psicanalista Virginia Coser elencou 10 sinais de uma mãe narcisista:
 

•Coloca um filho contra outro.
•Disputa com a filha (ou filhos).
•Fala mal da (o) filha (o) para os outros.
•É arrogante e prepotente.
•Não possui empatia.
•Insulta e diminui a (o) filha (o).
•Sabota a autoestima da (o) filha (o).
•Finge ser boa mãe e preocupada.
•É egoísta. 
•Compra os filhos com os presentes e favores ou extorque os filhos. 
 

O narcisismo materno já foi abordado em algumas obras, como tema central ou facilmente identificado na característica de alguns personagens.

Sonata de Outono (1978) - Direção de Ingmar Bergman.



 

O reencontro entre Charlotte Andergast (Ingrid Bergman) célebre pianista, e suas duas filhas, Eva (Liv Ullmann) e Helena (Lena Nyman) após anos de separação é o tema do filme que expõe as mágoas de uma infância disfuncional em decorrência do abandono materno e a tentativa de cura através do diálogo. 
 

Mamãezinha Querida (1981)
 

O drama biográfico é dirigido por Frank Perry e baseado no "best seller" escrito por Christina Crawford, filha adotiva da personagem central, a aclamada estrela hollywoodiana Joan Crawford (Faye Dunaway). Mãe dócil e perfeita às câmeras e para o público mas abusiva para os filhos. Longa narrado sob a perspectiva da vítima pode acionar gatilhos.
 

Preciosa - Uma história de esperança (2009)


 

O filme aborda diversos temas como racismo, gordofobia, depressão, abuso sexual, violência física e mostra os problemas psicológicos advindos de um lar totalmente disfuncional. Apesar da trama densa, a mensagem de Preciosa é a de que há saída. Mais uma obra para inspirar quem sobrevive ao narcisismo materno a cortar os laços em busca da cura.

 

Cisne Negro (2011)


 

 

A busca de Ninna (Natalie Portmann), personagem principal do filme, pela perfeição e sucesso no ballet perpassa pelo fracasso profissional da genitora e os traumas causados pela criação por uma mãe frustrada e que projeta seus sonhos na filha ao mesmo tempo que a inveja pelos feitos.

 

 

Fuja (2020) CONTÉM SPOILER


 

Lares disfuncionais podem ser provenientes dos mais diversos transtornos psicológicos. O longa aborda, dentre outros temas, a "Síndrome de Münchhausen por procuração" quando alguém provoca doenças em terceiros para obter atenção. As vítimas são geralmente crianças e o algoz é o cuidador, podendo ser o pai, avô (ó), um (a) tio (a), ou como retratado no filme, a mãe. O mesmo tema também é ilustrado na série The Act, do Hulu.
 

Os irmãos Willoughby (2020)


 

A animação retrata o abandono afetivo de ambos os pais e as consequências para as crianças. O impacto desse abandono é exposto com a vontade de liberdade. Exatamente o sentimento latente de um filho de narcisista. O alívio do fim do excesso de críticas numa vida baseada na busca de um amor e elogios que nunca virão. Antes só do que mal acompanhado é o tema que move esses irmãos no longa da Netflix.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »