03/04/2022 às 14h12min - Atualizada em 03/04/2022 às 13h55min

O que podemos aprender com 'Red: Viver é uma fera'?

O novo sucesso da pixar, veio para quebrar barreiras ao falar sobre a adolescência e relações familiares abusivas.

Luan Marcks - Editado por Ana Terra
Muito se enganam aqueles que pensam que apenas filmes com um alto teor filosófico, destinados a adultos, contém ensinamentos sobre a vida, e de como conviver em sociedade. Apesar de filmes como “Red: Viver é uma fera” serem produzidos para um público mais jovem, existe toda uma forma de se ensinar grandes lições, sem deixar de fora o lado divertido e bem-humorado das histórias infanto-juvenis. 

O novo sucesso da Pixar, que estreou no dia 11 de março, conta a história de Meilin, uma jovem de 13 anos que esconde o seu verdadeiro eu de sua mãe, enquanto vive uma vida ocupada, repleta de responsabilidades, como atividades extracurriculares, e um emprego de meio período no templo budista da família.

Logo no início da trama, podemos ver Meilin deixando de lado as atividades costumeiras de uma jovem, como sair com as amigas depois da aula, para ajudar sua mãe na limpeza do templo. Ao tentar ser um modelo ideal para sua mãe, a garota reprime diversos sentimentos e desejos, até que um dia, acaba se transformando em um panda vermelho, em um dia altamente estressante.

O panda, como muitos já sabem, é uma metáfora para a vida adulta, e tudo aquilo que reprimimos dentro de nós mesmos, como nossas extravagâncias, ou desejos mais íntimos. Na história, Meilin deixa esse seu lado aflorar – sem que a sua mãe saiba -, e passa a viver uma vida dupla, repleta de fotos e vídeos malucos com suas amigas, e muitas dancinhas dignas do Tik Tok.

De início, Meilin fica aterrorizada com a sua condição, mas com o passar do tempo, começa a controlar melhor as suas emoções, e a conviver com mais harmonia com o panda vermelho. Tudo isso, se trata de um grande paralelo com a vida real, onde temos que lidar diariamente com os nossos problemas, que vez ou outra aparecem para nos desestabilizar e nos fazer duvidar de nós mesmos.

Red também nos ensina muito, sobre o poder da amizade, e como é importante estarmos cercados de pessoas que nos amam. Apesar da mãe de Meilin, se mostrar bastante preocupado com a filha, sua vigilância constante e seu jeito controlador, acabam sufocando a garota de certa forma, que ela não pode nem ao menos viver uma vida normal de adolescente. Mas é ai que entra o seu trio de amigas, que estão sempre tentando animar Meilin, trazendo um pouco mais de leveza e diversão para sua vida.

Ao deixar de lado os seus desejos, na tentativa de agradar sua mãe, Meilin pouco a pouco ia matando um pouco de si mesma, nos mostrando o quanto algumas relações familiares podem ser nocivas. Ao final da história, tudo se acerta, e a mãe da garota aprende a aceitar aquilo que antes era entendido como “defeitos”, mas que na verdade são traços únicos da personalidade da filha.

A pixar abordou o início da adolescência de uma forma primorosa, fazendo com que nós nos sintamos na pele de Meilin. As lições que “Red: viver é uma fera”, nos passou em seus pouco mais de 100 minutos de tela, com certeza serão difíceis de se esquecer.

 
REFERÊNCIAS:

CHANHISARES, Maria. Ousado na fofura, Red entende como poucos a complexa relação de mãe e filha. Omelete. Disponível: <https://www.omelete.com.br/filmes/criticas/red-crescer-e-uma-fera>. Acesso em: 28 de Mar de 2022. 

REUTERS. Red: Crescer É uma Fera, busca quebrar tabu ao discutir puberdade. G1. Disponível em: < https://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2022/03/10/red-crescer-e-uma-fera-busca-quebrar-tabu-ao-discutir-puberdade.ghtml>. Acesso em: 28 de Mar 2022. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »