31/05/2022 às 13h01min - Atualizada em 23/05/2022 às 11h44min

A Marvel e o Universo Nerd que atravessa gerações

O universo dos super-heróis que se fez presente na vida de pessoas de todas as idades e ganha novos formatos a cada fase da empresa, saiba como a Marvel influenciou diferentes épocas do universo geek.

Larissa Pessoa - Editado por Ana Terra
Fonte: ACEGIF.com / Reprodução: Google
Dia 25 de maio é comemorado o Dia do Orgulho Nerd. Apesar desse dia fazer alusão a Douglas Adams (autor da série “O Guia do Mochileiro das Galáxias”), a data traz a memória toda cultura nerd, que com a ascensão da internet se fortaleceu e cresceu nos últimos anos.

Para falar desse segmento, nada como lembrar da Dona da maior franquia da história do cinema, que carrega uma imensidão de fãs pelo mundo, a Marvel. Ela já faz parte do entretenimento pop, como não conhecer personagens como Capitão América, Thor, Hulk, Viúva Negra, Gavião Arqueiro, além de tantos outros protagonistas e coadjuvantes icônicos presentes no multiverso criado para a empresa. Mas o fenômeno não é tão recente como parece, a Marvel Comics é dona de personagens, quadrinhos, filmes, séries e animações que permearam a imaginação do público por quase metade do século XX e início do século XXI, atingindo o marco de 83 anos.

A primeira edição de quadrinhos publicada é datada de 1939, a chamada Marvel comics 1, lançada pela Timely Comics, editora que foi criada na mesma época que viria a se tornar a Marvel que conhecemos hoje. Essa edição contava inclusive com a aparição do primeiro Tocha Humana. Uma curiosidade sobre as primeiras edições publicadas pela Timely era a referência a segunda Guerra Mundial. As histórias traziam a figura de nazistas como vilões, chegando até a contar com a presença de Hittler sendo enfrentado pelo Capitão América, que foi publicada em 1941, além de alguns japoneses “vilanizados”.




Depois da guerra os quadrinhos já não eram tão bem vistos como antes e as produções se tornaram um tanto marginalizadas, tudo mudou nos anos 60 com o surgimento da DC e da Liga da Justiça. O dono da Timely, que já se chamava Marvel, Martin Goodman, teve a ideia junto com Stanley Lieber, que depois assumiu o codinome de Stan Lee de criar seu próprio grupo de heróis, lançando assim em 1961 “O Quarteto Fantástico”. A grande marca dessa nova fase da empresa era humanizar os personagens lhes permitindo revelar problemas pessoais e defeitos na personalidade, nesse período foram criados personagens icônicos como, Homem Aranha, Incrível Hulk, Thor, Homem de Ferro, Dr. Estranho, Demolidor, Os X-man e até o Pantera Negra.



Nos anos de 1970, Stan Lee se afastou e a empresa transitou por muitos editores, mas no final da década Jim Shooter entrou na empresa e ditou os rumos das produções pela próxima década, participando da fase do Shang Chi, junto com os desenhos e histórias de John Byrne, conduziu a fase mais “adulta” da Marvel, onde as histórias se permitiam explorar um lado mais sombrio. Nos anos 1980, com a saída de Shooter a Marvel passou por mais uma sequência de desenhistas até que depois da saída de alguns ilustradores famosos da época, que abriram sua própria editora, a empresa viveu seu declínio nos anos 1990, declarando falência em 1996, quando foi comprada pela Toy Biz, empresa de brinquedos. Nessa mesma época os personagens começaram a ser transferidos para as telas, mas por se espalharem tanto por tantas produtoras, a relevância desses personagens foi aos poucos sendo apagada. Nessa fase que acompanhou até a primeira década dos anos 2000, foram lançados filmes, desenhos e reformulações dos quadrinhos.

Tudo mundou quando a Marvel reviveu em 2008, Kevin Feige trouxe de volta a agora nomeada Marvel Studios, dando início a franquia cinematográfica iniciada pelo “Homem de Ferro”, que em 2009 seria direcionada pela Disney. As produções contariam mais uma vez com um universo compartilhado, o investimento nas telonas foi a melhor aposta da empresa, isso fez com que seus personagens se tornassem mundialmente conhecidos rendendo uma das maiores bilheterias da história. Stan Lee participou de grande parte das produções, marcando sua presença inclusive nos filmes, até seu falecimento em 2018.




Hoje a Marvel já é parte da imaginação de varias gerações, sendo uma grande influenciadora da cultura pop e da cultura nerd. Esse é o caso de Linaldo Nascimento, editor e escritor, colecionador de quadrinhos nos anos 80 e 90 e João Alffredo, escritor e jornalista, que acompanha o universo desde de a infância, tendo ele 26 anos, duas gerações diferentes marcadas pela fantasia e aventura possibilitada pelo universo dos heróis.
“Conheci os quadrinhos na adolescência. Um amigo colecionava gibis da Marvel, possuía caixas deles, mas a mãe não aprovava e vivia ameaçando de dar fim aos mesmos, daí surgiu a ideia de - inspirados no escudo do Capitão América e do campo de força da Sue Richards – protege-los na minha casa (em uma caixa em baixo da cama) e ele ia me pedindo um a um, quando desejava. Por curiosidade passei a ler mais avidamente e por gosto mantive o interesse até hoje.” - Linaldo Nascimento
“Antes de ser fã de Heróis eu era muito fã de animes [...] Quando era criança minha avó trabalhava como merendeira em uma escola estadual e me levava, lá eu tive meu primeiro contato com HQ’s e me identifiquei logo de cara com o Steve Rogers, o Capitão América [...] desde então fui buscar conhecer os parceiros dele e fui conhecendo outras histórias.”  - João Alffredo

“O que mais me atrai na Marvel é a possibilidade dos multiversos, tem inclusive uma animação que gosto muito chamada “What If”, que explora justamente essas possibilidades que os multiversos trazem.” - João Alffredo


Sobre as diferenças observadas ao longo dos anos, Linaldo afirmou:
“Me parece que as apresentações dos personagens vivem ciclos de repetição, sempre procurando retornar à apresentação original dos tempos dos quadrinhos. Como se desejassem atualizar o personagem, sem perder sua veia original... até por isso temos mais de uma versão para o surgimento do homem aranha, do quarteto fantástico, do hulk, etc... daí acrescenta-se algo novo e recupera algo do passado, dando evidência a elementos que antes eram mais discretos.
Vejo uma adaptação de estética e também de linguagem, mas por conta dos valores da sociedade atual que pela necessidade de transformação dos personagens... por exemplo... um aranha mais melancólico que sarcástico, como era o dos tempos exclusivos dos quadrinhos... um Hulk mais cerebral que antes... um homem de ferro menos playboy... um mocinho que possui sombras, no caso do Capitão América... de forma geral uma diminuição daquela estética de violência que encontrávamos nos quadrinhos (Especialmente dos lendários Todd McFarlane, Rob Liefeld e Jim Lee, nos anos 90)...” – Linaldo Nascimento

Quando perguntei sobre o destino das produções eles disseram:
“Eu acho que o que me preocupa na Marvel é a frequência com que são produzidos os longas, os multiversos já foram explorados então em algum momento vai cair na mesmice, é uma aposta perigosa da empresa”. - João Alffredo

“Acredito que vão manter esta didática de estabelecer grandes ciclos baseados nas HQs; como foi a minissérie Desafio Infinito, escritas por Jim Starlin nos anos 90, que inspirou Guerra Infinita... e depois quebrar em filmes de vários personagens derivados destes grandes eventos, para lançar elementos que levarão a um novo grande evento... um ciclo permanente.
Já a nova geração, diferente da minha, tem os meios para expressarem como desejam consumir o conteúdo do universo dos heróis, de acordo com as novas possibilidades que estão surgindo volumosamente nestes últimos anos; acredito que seja isso que vai determinar as mídias e seus meios de acesso a elas; creio que os Estúdios estão atentos, tal como os olhos de Uatu (o Vigia), que não somente observa mas, quem diria, hoje em dia -quando conveniente - até intervém, como vemos na série ”What If...?”  Realmente vivemos em vos tempos!” – Linaldo Nascimento

Sem duvidas a Marvel é uma empresa carregada de história e significados, cabe agora sabermos se ela vai se manter presente no entretenimento das novas gerações, se adaptar e atender um público que tá chegando agora sem saber muito sobre o passado dos personagens. Será um novo desafio, mas certamente a memória afetiva de toda uma geração não morrerá tão fácil.
 
REFERÊNCIAS
HQ: TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER. A História da Marvel. Youtube. 2021.  Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=Izp8B5LyQqk>. Acesso em: 22 de maio de 2022.
BICUDO .Lucas. A história da Marvel e como o MCU muda as páginas da cultura pop. 2021. Disponível em <https://forasdeserie.com/a-historia-do-universo-marvel-e-como-impacta-a-cultura-pop/>. Acesso em: 22 de maio de 2022.
MOTA .P.H. Marvel – História da editora nos quadrinhos e no cinema. Ano não disponível. Disponível em <https://segredosdomundo.r7.com/marvel-historia/>. Acesso em: 22 de maio de 2022.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »