10/06/2022 às 19h48min - Atualizada em 10/06/2022 às 17h21min

A problemática do complexo julgamento Johnny Depp x Amber Heard

O julgamento tomou proporções grandes que foi parar na boca do tribunal da opinião pública nas redes sociais e trouxe vários questionamentos sobre futuras vítimas de violência

Ana Lara Venturini - editado por Larissa Nunes
Johnny Depp e Amber Heard no tribunal. (Foto: Reprodução / Guia Disney+ Brasil)

Nos últimos dias as redes sociais foram bombardeadas com o caso que parou a internet: o julgamento de Johnny Depp e Amber Heard. Os famosos nomes do cinema, ex-marido e mulher, estão se enfrentando em um processo civil em que acusam um ao outro de difamação e violência. Por serem pessoas famosas os protagonistas deste caso, o julgamento tomou uma grande proporção na internet, com várias pessoas tomando lados e as mídias se tornaram praticamente um tribunal público e isso pode ser uma problemática para movimentos sociais importantes.

O processo foi iniciado por Depp que alegou difamação por conta de um artigo publicado por Amber no jornal The Washington Post em 2018 em que denunciava que sofria abusos, e por consequência, Heard o contra-processou. Na última semana o júri definiu um veredito a favor de Depp. A atriz foi condenada pelo juiz a pagar US$ 10 milhões e 350 mil a Depp e o ator, por sua vez, também terá que pagar US$ 2 milhões para Heard.



As evidências que têm vindo a público desde o divórcio do ex-casal formam o quadro de um relacionamento conturbado, em que é difícil identificar claramente um único agressor e uma única vítimaSupostamente, algumas pessoas acreditam que neste julgamento tem aparecido muito a tática de DARVO, uma sigla em inglês para "Deny, Attack, and Reverse Victim and Offender", que significa "Negar, Atacar, e Reverter a Vítima e o Infrator". Essa tática é usada para confundir o outro lado e manipular a narrativa para ficar díficil de dizer quem é o errado e o certo da situação. 

No entanto, é possível dizer que inegavelmente era uma relação tóxica, de ambos os lados. A relação de Depp com o álcool e as drogas certamente era problemática, mas o quadro psicológico de Heard também era.

Depp tem um histórico de violência e, analisando as evidências e testemunhas de Amber, mostram uma linguagem e comportamentos violentos em todas por parte do ator. Johnny assume seus desafios com o alcoolismo e vício, mas reitera que nunca agrediu a mulher. Já Amber foi analisada pela psicóloga forense Shannon Curry que testemunhou dizendo que tem motivos para diagnosticar a atriz com transtorno de múltiplas personalidades (ou transtorno dissociativo de identidade), e que acredita que Heard tem transtorno de personalidade limítrofe (ou borderline) e transtorno de personalidade histriônica (ou TPH) e não que tem transtorno de estresse pós-traumático.

De acordo com o site da Pfizer, as características principais do transtorno de personalidade borderline incluem o medo do abandono, relacionamentos intensos e instáveis, explosões emocionais extremas, comportamento autodestrutivo e sentimento crônico de vazio. Já as pessoas com transtorno de personalidade histriônica são altamente emotivas e dramáticas, têm uma necessidade excessiva de atenção e aprovação e podem usar a aparência física para consegui-la.

 

Vídeo do momento em que a psicóloga Shannon Cury testificou os resultados de sua avaliação psicológica em Amber Heard. (YouTube - Bits Legendados)


 

Mas, apesar do que o júri decidiu, sempre esteve bem claro nas redes que Depp é que o tem maior apoio. No TikTok, por exemplo, a hashtag #JusticeForJohnnyDepp tem 20,5 bilhões de visualizações enquanto #JusticeForAmberHeard tem 90 milhões. Essa situação se dá principalmente por conta das provas de Heard terem sido desmentidas várias vezes durante o julgamento.

Durante o processo, foram provadas várias alegações falsas e absurdas da atriz,
 como quando o advogado de Amber mostrou ao júri o kit de maquiagem que ela usava para esconder as marcas das supostas agressões, mas logo em seguida foi desmentido pela marca de cosméticos em questão, que mostrou que seu produto não existia na época em que alega ter sido agredida.

Além de também ter forjado provas como, por exemplo, foi provado que as imagens apresentadas por Heard que tecnicamente provariam as violências cometidas por Depp tinham passado por edições num programa de photoshop.
 

Especialista mostra que as fotos de Amber Heard foram editadas com um programa de PhotoShop. (YouTube - Law&Crime Network)


 

Além disso, teve um momento em que foi mostrado um áudio da atriz dizendo a frase “I was not punching you, I was hitting you” para Depp, que virou uma verdadeira piada, visto que significa “Eu não estava socando você, eu estava batendo em você” e que as palavras são sinônimas. Afinal, Amber admitiu que agrediu Johnny mas que só fazia isso para ele não bater nela.

Outro ponto a considerar que pode ter contribuído para manchar a imagem de Amber foi de que, na maioria das vezes, a advogada de Depp foi a muito boa em contrapor todos os seus argumentos, enquanto a equipe de Heard virou chacota nas redes por não conseguir defendê-la apropriadamente.

Nas redes sociais, a vitória de Depp foi bem recebida, e os internautas alegavam que "o bem venceu".
 
Mas quais são as consequências de o “bem” ter vencido?

É preciso ter em conta a problemática de como Amber Heard pode descredibilizar a luta de mulheres que de fato são vítimas de violência doméstica. A atriz era adepta do movimento feminista e, com a vitória masculina, muitas alegações misóginas e machistas se alastraram pela internet contra o movimento, que se tornou o “mal” no tribunal da opinião pública, mas que é muito importante para as mulheres.

É sempre válido lembrar que o feminismo não é um movimento que preza pela supremacia feminina, mas sim na igualdade de gêneros e lutam por direitos equânimes. Durante o julgamento, a equipe de Depp nunca atacou o movimento, mas pelo contrário. Eles diziam que ele era a favor do movimento e do direito das mulheres e que ele só estava lá tentando defender a causa dele.

No entanto, muitas vezes o movimento é confundido com defender todas as mulheres e condenar todos os homens. Mas isso não poderia está mais errado. O feminismo é um movimento que prega a empatia e isso não quer dizer “passar pano” para as mulheres que fazem algo errado. Inegavelmente mais mulheres são vítimas de abusos na sociedade, mas isso não quer dizer que os homens também não sofram com essa violência que pode sim vir de uma mulher.

 

@chloemariedub Amo vocês! ️ #feminismo #johnnydepp #johnnydepptrial som original - Chloe Marie Dubois



LEIA MAIS: Por que o feminismo é tão importante para as mulheres ainda hoje?

Amber Heard defendeu o movimento #MeToo, que ajuda vítimas de violência doméstica, em sua alegação, o que apenas ajudou a manchar a causa. Por conta de suas alegações duvidosas e comportamento no tribunal, ela foi taxada de louca, psicopata, manipuladora e as pessoas condenaram o feminismo como um movimento sujo de mulheres loucas que querem atacar homens a qualquer custo.

O júri concordou que Amber estava errada, mas isso não justifica todo o ataque de ódio e assédio moral que ela recebeu nas redes sociais. A atriz sofreu ameaças de morte, linchamento virtual e foi ridicularizada com memes e falas misóginas e machistas. Essa situação toda é um retrocesso para todos os avanços atingidos com o feminismo.

Esse caso foi um desserviço para o movimento feminista e todas as lutas que vêm com ele. Agora, muitas das mulheres que forem vítimas de violência terão medo de denunciar os casos e serem desacreditadas e atacadas, como a Amber, e chamadas de loucas que querem acabar com a vida de um homem, por conta de a internet agora ver a pauta do feminismo com base no que aconteceu nesse julgamento.



 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »