04/07/2022 às 22h55min - Atualizada em 04/07/2022 às 22h55min

Tourada: A tradição que divide opiniões

Espetáculos têm origem medieval na Espanha

Fabielly Medina - editado por David Cardoso
Momento em que o touro é ferido com as bandarilhas. (Foto: Reprodução/ ALBERTO SIMON/ AFP via Getty Images).
As touradas que conhecemos hoje estão na lista dos esportes mais perigosos e violentos do mundo e sugiram aproximadamente no século XII, na Espanha da era medieval, quando eram realizadas em locais abertos para animar a realeza. Nesse período, os touros só podiam ser enfrentados por homens montados a cavalo. Quando o Rei Felipe V proibiu a aristocracia de participar, os plebeus passaram a realizar o esporte e como eles não tinham dinheiro para comprar cavalos, desenvolveram a idéia de se esquivar dos touros a pé. Nos dias atuais, as touradas são muito populares em países como França, Portugal, México, Colômbia, Venezuela, Equador e a própria Espanha.

Como Funcionam

 
As temporadas costumam acontecer de Março a Outubro e consistem em espetáculos de duração média de 20 minutos, onde de um lado temos um touro bravo e selvagem e do outro um toureiro com espadas, lanças e adagas afiadas. No primeiro momento, o lutador e seus ajudantes formam uma equipe para matar o animal com idade entre 4 e 6 anos, pesando mais de 460 kg e treinado fortemente para brigar. O matador faz movimentos com o capote (Capa vermelha) para despertar a ira da fera.



Como só enxerga em preto e branco, o que a enfurece são os vultos da capa. O bicho é levado até um dos dois picadores (cavalheiros com lanças) que ferem o animal para que ele perca força. Os cavalos são cobertos com uma lona grossa e vendados para não se assustarem com o touro. Depois, já com o animal debilitado é que os banderilleros entram em ação e cravam três pares de estacas coloridas, com pontas de arpão, no pescoço da fera. Em seguida, o matador usa uma pequena capa, empunhada com uma das mãos para realizar a faena, driblando o animal bem de perto e perigosamente. Nesta hora, quando o toureiro exibe sua habilidade, é que a torcida grita “olé!” No fim, agonizando, o touro é morto e seu corpo fica na arena por um tempo como um “troféu” ao toureiro para que depois seja retirado e sua carne seja vendida nos açougues locais.



Cultura ou tortura?

Para os amantes da tauromaquia os gritos de "Olé" em uma arena cheia são verdadeiramente emocionantes e a tradição tem que ser perpétua. Já para os grupos de defesa dos direitos dos animais os espetáculos são torturantes, cruéis e sem sentido, pois, os animais são maltratados sem motivos. Muitos desses grupos realizam protestos para que esse tipo de show seja proibido. De acordo com informações da Humane Society International, 250 mil touros são mortos por ano nessas atrações. E recentemente, a justiça do México proibiu as touradas na Plaza México (a maior arena do Mundo), alegando que os animais "passam por sofrimentos desnecessários". 

E você? O que acha dessa tradição popular espanhola?

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »