06/07/2019 às 12h34min - Atualizada em 06/07/2019 às 12h34min

O que provoca as mudanças climáticas

Calor extremo na Europa e inverno fraco no Brasil são causados por mudanças climáticas

Daiana Pereira - Editado por Thalia Oliveira
Fotografia: Blog do Jacto.
Semana passada, na Europa, vários países bateram recordes de temperaturas. A onda de calor que afeta o continente fez com que os termômetros ultrapassassem os 40°C. Por outro lado, no Brasil, o inverno chegou apenas no dia 4 de julho, fazendo com que brasileiros estranhassem a estação. Todas essas mudanças climáticas ocorrem devido a três fatores: El Niño, correntes de Jato e emissão de gases estufa.

O clima quente da Europa já resultou em mortes por choque térmico; afogamento em rios, lagos e mares; e adiamento de aula nas escolas. Além disso, estão sendo colocadas fontes de água para as pessoas se refrescarem em locais de lazer, como os parques.

No Brasil, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, “Os impactos são variados, tendo em vista as dimensões do território brasileiro e sua diversidade climática. Em algumas áreas, produz secas extremas e, em outras, eleva as temperaturas”, afirmam por meio de boletim.

Na América do Sul, encontramos um inverno considerado fraco em comparação aos anos anteriores. Isso ocorre devido a influência do El Niño, que é uma mudança de temperatura no oceano pacífico. Essa alteração de temperatura normalmente ocasiona muitas chuvas na região Sul e seca no Nordeste.

Em entrevista para o Globo Rural, o meteorologista Celso Oliveira, da Somar Meteorologia, diz que o clima pode até ficar parecido com o do verão em alguns anos. O que estamos presenciando nesse em 2019.

Na Europa, o que ocorre, é um enfraquecimento das correntes de Jato, ou “jet streams”. Essas correntes de ar são dividas em: Jatos polares e jatos subtropicais. De acordo com Sebastian Fuentes, professor de geografia nos cursinhos Anglo, os Jet Streams estão fracos esse ano, o que está impossibilitando levar o calor embora e equilibrar a temperatura. Por isso há um calor extremo nos países europeus.

O que foi percebido também é uma divisão de zonas das correntes de ar. Essa divisão "causou um corte entre duas zonas, uma área de baixa pressão na Europa Ocidental e um sistema de alta pressão localizado sobre o resto da Europa”, afirma Dann Mitchell, professor de ciência atmosférica da Universidade de Bristol, na Inglaterra. Além disso, ocorre um “sugamento” do ar quente do Saara.

Os jatos podem ocorrer de diversas formas e afetam todo o planeta. Suas divisões são influenciadas pela rotação da Terra e o aquecimento da atmosfera.

Além do El Niño e correntes de jato, há ainda, os gases poluentes como fator influenciador. Sebastian Fuentes diz que, devido “ao excesso de dióxido de carbono e metano, isso está levando os eventos climáticos a serem mais rigorosos”. Então, o que acontece e continuará é: ”verão bem mais quente, uma nevasca bem mais intensa, um furacão muito mais intenso, um tornado mais intenso”. Ou seja, mudanças climáticas serão mais recorrentes e intensas em todo o planeta, tanto para o aquecimento como para resfriamento.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »