24/07/2022 às 15h25min - Atualizada em 24/07/2022 às 15h22min

Verstappen aproveita abandono de Leclerc e vence GP da França de F1

Após batida do piloto da Ferrari, holandês herda o primeiro lugar; Hamilton é 2º e Russell, 3º

Felipe Sousa - Editado por: Alan Martins
Max Verstappen celebra vitória em Paul Ricard Foto reprodução: (Yara Nardi/Reuters)
Quem acompanhou o escaldante GP da França de Fórmula 1, disputado no Circuito de Paul Ricard, viu Max Verstappen (Red Bull) contar com uma boa dose de sorte e também de sua regularidade habitual para vencer pela 27ª vez na categoria. Foi uma tarde para esquecer de Charles Leclerc (Ferrari), que até conseguiu segurar o atual campeão nas primeiras voltas, mas errou e foi de encontro ao muro na 17ª volta. Agora, a distância entre os dois na briga pelo campeonato mundial é de 63 pontos, o que faz do holandês o favorito para conquistar o bicampeonato.

Lewis Hamilton (Mercedes), que se saiu bem na largada, também se beneficiou com a batida do monegasco e ficou com um tranquilo segundo lugar em sua corrida de número 300 na Fórmula 1. George Russell (Mercedes) e Sergio Pérez (Red Bull) travaram uma batalha eletrizante pelo terceiro lugar, na qual o britânico levou a melhor. Carlos Sainz (Ferrari), que largou no fim do grid ao trocar seu motor, fez uma boa corrida de recuperação e chegou a se insinuar na disputa pelas primeiras posições, mas foi prejudicado por uma punição de cinco segundos e ficou em quinto.

Fernando Alonso (Alpine), Lando Norris (McLaren), o dono da casa Esteban Ocon (Alpine), Daniel Ricciardo (McLaren) e Lance Stroll (Aston Martin) completaram o Top 10 de uma corrida que pode marcar a despedida de Paul Ricard do calendário da Fórmula 1, uma vez que ainda não há um acordo entre as partes para a permanência do circuito na categoria.

A CORRIDA

Ao apagar das luzes em Paul Ricard, Charles Leclerc reagiu mais rápido e manteve a liderança, seguido por Max Verstappen. Lewis Hamilton conseguiu tomar o terceiro lugar de Sergio Pérez, ao passo que Fernando Alonso figurava em quinto, à frente de George Russell e Lando Norris. O único incidente na primeira volta foi um toque entre Esteban Ocon e Yuki Tsunoda (AlphaTauri), no qual o japonês levou a pior – posteriormente, Ocon foi penalizado com cinco segundos.

Na disputa pela liderança, Verstappen cortou aos poucos a diferença para Leclerc e chegou a engatilhar a ultrapassagem na sexta volta, mas o piloto ferrarista se defendeu bem. Na terceira posição, Hamilton não permitiu a aproximação de Pérez, este que por sua vez olhava mais no retrovisor preocupado com a aproximação de Russell – que já havia ultrapassado Alonso. Mais atrás, Carlos Sainz figurava na 13º posição, atrás de Kevin Magnussen (Haas), outro punido por troca de componentes e que, por conta disso, largou em último.

Leclerc teve sucesso ao impedir a aproximação de Verstappen e estabeleceu uma distância segura em relação ao holandês. A Red Bull, então, decidiu chamar Verstappen para os boxes. Enquanto Leclerc e seu engenheiro decidiam qual seria a melhor estratégia referente à troca de pneus, o piloto perdeu o controle na curva 11 e bateu na barreira de pneus. Um desolado Leclerc chegou a reclamar do acelerador, mas posteriormente assumiu a culpa pelo acidente. O safety-car foi acionado, Verstappen assumiu a liderança e quase todos os pilotos partiram para a troca de pneus.

E se a situação com Leclerc já não era o bastante, a Ferrari complicou a vida de seu outro piloto, depois de uma demorada troca de pneus, Sainz foi liberado de forma perigosa, quase atingindo Alexander Albon (Williams). O incidente rendeu ao espanhol uma punição de cinco segundos.

Na relargada, os primeiros colocados mantiveram suas posições. O destaque foi Sainz, que ultrapassou Ricciardo e, na sequência, Norris. Algumas voltas depois, foi a vez de Alonso ser ultrapassado pelo compatriota, que já se aproximava de Russell. Mais atrás, um toque entre Mick Schumacher (Haas) e Guanyu Zhou (Alfa Romeo) rendeu mais uma ida aos boxes para o chinês, desta vez para a troca da asa dianteira.

Sainz seguiu em sua escalada no grid: ultrapassou Russell na 31ª volta e Pérez, dez voltas depois, em uma disputa dura. Em meio a isso, a equipe chamou o ferrarista aos boxes – ainda com a punição de cinco segundos a cumprir – para nítida frustração do espanhol, que atendeu o pedido na volta 43. Mais atrás, Russell tentou tomar o quarto lugar de Pérez; ambos se tocaram e o mexicano foi para fora da pista. Ele manteve a posição na sequência. Já na parte final do grid, Magnussen e Nicolas Latifi (Williams) se tocaram, o que causou o abandono de ambos.

Zhou abandonou pouco antes do fim da prova, o que causou o acionamento do safety car virtual. Com a pista liberada na volta 51, Pérez errou o tracionamento de sua Red Bull e permitiu que Russell o ultrapassasse, assumindo o terceiro lugar. Max Verstappen, o líder da prova, garantiu a vitória ao fim das 53 voltas.

PRÓXIMA CORRIDA

A Fórmula 1 retorna no próximo domingo (31) para a disputa do Grande Prêmio da Hungria, no Circuito de Hungaroring; será a última corrida antes das tradicionais férias de verão.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »