13/08/2022 às 09h14min - Atualizada em 13/08/2022 às 09h47min

UcconX: do sonho ao pesadelo

O festival que se tornou exemplo de falta de organização

João Vitor; Gabriella Serrano; Livia Batista - Editado por Fernanda Simplicio
Fonte: UcconX/Divulgação


O festival de cultura geek Universe Creative Convention (UcconX) entre os dias 27 e 31 de julho na cidade de São Paulo trouxe a promessa de ser o maior festival de cultura pop da América Latina, abrindo concorrência até com a consagrada Comic Con Experience (CCXP), se afundou em polêmicas. 
 
A atual dona da marca e organizadora da UcconX é a BBL, empresa especializada na área e liderada por Nando Cohen, Thomas Felsberg, e Leo De Biase. A equipe trata desde eventos, transmissões e torneios, até trade e parcerias estratégicas no segmento de E-sports. Desde seu anúncio, o evento surpreendeu pelo fato de ser o primeiro festival a ocupar todo o Pavilhão de Exposições e também o Palácio de Convenções do Anhembi, prometendo uma experiência que, segundo as palavras divulgadas em seu release, seria “inexplicável” e que mudaria o jeito de se realizar festivais de cultura pop, se apoiando completamente nas ideias de imersão sensorial com painéis interativos. 
 
Para causar ainda mais comoção, foram divulgadas as divisões que o evento teria, sendo elas:  
 
Cosplay X seria trabalhado especialmente para os amantes do mundo cosplay. Prometia concursos, workshops, stands interativos, salas de maquiagem e armários para guardar roupas e acessórios; Comics X era um espaço de bate-papo com escritores e ilustradores, premiações de HQ e atrações temáticas; FS X traria painéis com profissionais do cinema e streaming, contando com salas de cinema, exposições, locais temáticos e anúncios de lançamentos exclusivos; Games X apresentaria stands com desenvolvedores nacionais e internacionais, primeira Arena Gamer em 360 graus, campeonatos e gameplays; Asian X seria um espaço personalizado para criar a imersão de metrópole Asiática, painéis com representantes do mangá, Anime songs, stands de cultura asiática e concursos de K-Pop) e Urban X espaço destinado ao skate e esportes radicais.  
 


Além destas divisões, havia o Artists' Valley, local onde os artistas poderiam divulgar as suas artes. A ideia inicial era disponibilizar 32 mesas para o uso do artista, custando R$800 cada. Também seria cobrada uma taxa de 30% dos rendimentos no evento.


Mesmo com um trio de sócios experientes no ramo, o evento foi conturbado desde a sua pré-venda. Em 14 de dezembro de 2021, ainda não tinha nenhuma celebridade com presença confirmada.  Para contornar a lacuna, a organização da UcconX se apoiou nas comunidades dos influenciadores digitais e embaixadores que foram convidados para “dar cara” ao evento. Além disso, mantiveram contato com a imprensa a fim de conseguir continuar com uma imagem positiva. 
 
Assim que começaram os trabalhos de divulgação nas redes sociais, por volta de maio deste ano, a UcconX conseguiu voltar com o hype. A primeira estrela a ser apresentada foi Millie Bobby Brown, personagem Eleven na série Stranger Things, da Netflix. Só com ela, o peso do evento aumentou, claramente pelo lançamento da quarta temporada da série e de toda a sua popularidade no Brasil. Conforme o tempo foi passando, outros grandes nomes foram sendo revelados, sendo eles: Dacre Montgomery, intérprete do personagem Billy, também de Stranger Things; Rupert Grint, o Rony de Harry Potter; George Takei, ator de Hikaru Sulu de Star Trek e Ian Somerhalder, o Damon Salvatore de The Vampire Diaries. Mesmo com as outras revelações, Millie seguia como a grande promessa do evento. Os ingressos vips para ver a atriz chegavam a R$5.400 inteira e R$5.200 meia-entrada. 
 

Fonte: Netflix/Divulgação

Fonte: Netflix/Divulgação

Millie atuando como Eleven em Stranger Things

Quando as coisas começaram a dar errado

Em 27 de julho, mesmo dia em que o evento começou, a UcconX anunciou que duas das atrações anunciadas anteriormente não estariam presentes. Inicialmente, o evento informou, através de uma postagem no Instagram, que Millie Bobby Brown e George Takei estavam com Covid-19. No decorrer do dia, a nota foi apagada. 

Mais tarde, a página oficial do evento publicou que Millie não viria por causa de "compromissos profissionais" e também pelo "risco de exposição à Covid", e afirmou que se enganou quando afirmou que ela estava com a doença.
 


Em um vídeo publicado ao longo da tarde pelo fã-clube Nova Frota, que mediaria o painel sobre a série, Takei afirmou que seu marido foi diagnosticado com a doença, mas ele estava bem.
 
"Meu marido, Brad, ontem mesmo testou positivo para Covid. Ele está tossindo muito e se sentindo muito mal, e eu não posso deixá-lo aqui sozinho", afirmou o ator. "Por sorte, eu não contraí, para mim deu negativo. É um milagre espantoso."

Além de comunicar que os dois não estariam presentes, a UcconX também declarou que os ingressos para conhecer os atores seriam redirecionados para outras atrações, mas ainda seria possível pedir o reembolso. A partir daí, a UcconX se tornou alvo de críticas e até acusações nas redes sociais. 


 


O descaso da UcconX com os trabalhadores

Mas o cancelamento de atrações grandes no evento foi apenas o prelúdio do que estava prestes a acontecer. Nas redes sociais, ex-funcionários do evento começaram a acusar a BBL de ser negligente com questões trabalhistas e com a própria organização do evento.

Em uma thread publicada em seu perfil público no Twitter no dia 27 de julho, Hugo Melo, que trabalhou como diretor de criação da UcconX entre julho de 2021 e janeiro de 2022, relatou toda a sua trajetória dentro da organização. 

Segundo o profissional, mesmo com a plataforma não tendo capacidade de suportar a pré-venda, o processo foi iniciado por insistência dos chefes. Quando o sistema caiu, foi anunciado para os clientes que os ingressos tinham acabado. 

Melo relata que os salários dos funcionários ficaram atrasados, situação também descrita pela profissional de marketing Karla Tomaz em seu Twitter numa thread publicada no dia 26 de julho. Em uma das publicações ela escreve “Minhas ideias estão ali (alô, Rupert), os parceiros que negociei estão ali, minha estrutura de conteúdo, minha experiência em eventos. Tudo meu está na UcconX, menos eu. Foram anos de promessas vazias e pagamento atrasado. Até que os diretores sumiram de vez.” 

No conteúdo das threads, os profissionais também relatam exploração dos trabalhadores, “bullying” entre os sócios, gastos desnecessários e até agressão física de um dos CEOs contra uma funcionária terceirizada. 


 

A resposta da BBL

Diante de tantos relatos de ex-funcionários e de pessoas que participaram do evento, a redação do Lab Dicas Jornalismo entrou em contato com a assessoria da empresa para obter um pronunciamento. Por meio de nota oficial, a assessoria cedeu informações sobre os casos trabalhistas que foram relatados nas redes sociais. A BBL afirma que já se colocou à disposição para intermediar acordos entre os antigos colaboradores e os antigos donos do evento.

No entanto, a empresa esclareceu que os problemas mencionados não são de responsabilidade da nova administração do evento, mas sim da MW Promoções e Eventos, a antiga empresa detentora da marca. No fim, a assessoria da empresa afirmou que “alguns acordos chegaram a ser negociados, mas em nenhum momento a BBL constou como parte”.

A nota também informou como funcionou a compra da marca: “[...] a operação de compra limitou-se somente à marca, o que significa que a empresa adquiriu a propriedade intelectual do Universal Creators Conference Experience (UcconX) somada aos direitos relacionados aos contratos relevantes com o Anhembi. A BBL não tem nenhuma responsabilidade referente às relações da antiga administração do evento.


REFERÊNCIAS

Girão, G. Ucconx: Maior festival de cultura pop da America Latina anuncia sua primeira edição CAFEINA POP, 27 de out. de 2021. Disponível em: <https://www.cafeinapop.com.br/post/ucconx-maior-festival-de-cultura-pop-da-america-latina-anuncia-sua-primeira-edi%C3%A7%C3%A3o>  Acesso em: 02 de ago. de 2022

LELLES, Ana Raquel. Desorganização e acusações de golpe: entenda as polêmicas do evento UcconX. ESTADO DE MINAS 28 de julho de 2022. Disponível em: <https://www.em.com.br/app/noticia/cultura/2022/07/28/interna_cultura,1383001/desorganizacao-e-acusacoes-de-golpe-entenda-as-polemicas-do-evento-ucconx.shtml> Acesso em: 2 de agosto de 2022.

SOTO, Cesar. UcconX: Como dívidas, cancelamentos e desorganização impactaram o evento em SP. G1, 30 de julho de 2022. Disponível em: <https://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2022/07/30/ucconx-como-dividas-cancelamentos-e-desorganizacao-impactaram-o-evento-em-sp.ghtml> Acesso em: 2 de agosto de 2022.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »