17/08/2022 às 23h32min - Atualizada em 17/08/2022 às 23h08min

Conheça a saga Guerras Secretas

História nos quadrinhos e o que já foi falado no MCU

Vivian Ribeiro - Editado por Fernanda Simplício
Fonte/Marvel Studios/Reprodução/Google
No hall h da San Diego Comic Con, a Marvel Studios anunciou grandes lançamentos e grandes promessas para o seu universo cinematográfico (MCU, sigla em inglês). Além de novas séries, novos filmes solos de heróis, também foram anunciados 2 novos filmes dos Vingadores, ambos para 2025, dentre eles Guerras Secretas. Mas o que foram essas guerras e como essa história pode ser contada no MCU? É o que vamos conferir e teorizar aqui. 

Antes de tudo, é importante saber que existiram dois arcos de Guerras Secretas nos quadrinhos, um na década de 1980 e outro em 2015. Vamos explicar os dois a seguir. 
 
Guerras Secretas primeiro ato 


 
O arco de 1984 foi um acontecimento pouco improvável, se assim podemos dizer. Assim como é hoje, os brinquedos de super-heróis eram muito famosos daquela época. Porém, esse segmento ia entrando em crise, devido a baixa procura. Por isso, uma fabricante de brinquedos pediu a Marvel que criasse uma nova história, com vários heróis e vilões interagindo, para que novos brinquedos pudessem ser lançados e vendidos. Assim surgiu o primeiro grande crossover da editora, que reuniu suas equipes mais famosas. 

No arco, os heróis Capitão América, Homem de ferro, Hulk, Thor, Gavião-Arqueiro, Vespa, Capitã-Marvel, Mulher-Hulk, Professor Xavier, Ciclope, Colosso, Noturno, Tempestade, Wolverine, Vampira, Coisa, Tocha-Humana, Sr. Fantástico e Homem-Aranha, foram mandados para um Battleworld, com o Doutor Destino, Homem-Molecular, Homem-Absorvente, Doutor Octopus, Lagarto, Magneto, Ultron, Galactus, Encantor, Bate-Estacas, Aríete, Maça e Kang, por um ser chamado Beyonder. A curiosidade do ser com capacidades ilimitadas em saber mais sobre os humanos e quem eram os mais fortes, foi o que o motivou. 

Algumas coisas interessantes aconteceram, como a primeira aparição do simbionte, no traje do Homem-Aranha, que depois foi aprimorado para o vilão Venom, e a Mulher-Hulk no Quarteto Fantástico, substituindo o Coisa. Ainda assim, saga não é das melhores. Mas, o importante é que deu certo para a Marvel, e como deu. A partir disso, foi notado que o público se interessava por histórias assim e queria que os heróis interagissem mais uns com os outros. Com isso, novos crossovers foram criados. Foi até lançado um Guerras Secretas 2, mas ninguém ligou, pois ficou claro de que aquela história não precisava ser contada e não tinha necessidade nenhuma de estar ali. 

Guerras secretas segundo ato 


 
Antes de contar sobre a saga em si, é necessário dar um contexto de como estava a situação da Marvel naquele tempo. Em 2000 editora criou o Universo Ultimate, uma Terra-1616, para fazer experimentos e testar novas coisas sem mexer na cronologia original da Terra-616. Foram feitas novas histórias de origem para personagens já conhecidos e que o público passou a gostar muito. Como é o caso do Homem-Aranha Miles Morales. Nesse tempo, o MCU nasceu, e as HQs começaram a incorporar elementos das telonas. 

Vamos para a saga agora. No arco, Capitão América, Homem de Ferro, Reed Richards, Namor, Doutor Estranho e Raio Negro, que formavam o grupo Os Iluminatti, começaram a notar que havia uma colisão iminente entre universos. Eles chamaram essas colisões de Incursões. As Incursões foram causadas pelos Beyonders. A Terra-1616 estava prestes a colidir com a Terra-616. Heróis e vilões criaram veículos que aguentariam o impacto e se separam entre eles. Contando com o Homem-Molecular, Doutor Destino uniu os multiversos e criou um novo Battleworld, com várias histórias e personagens se cruzando. Os heróis, então, se juntam para derrotar Destino. No final da batalha, apenas a Terra-616 sobreviveu, contando agora com Miles Morales incorporado nela, mas com lembranças de sua vida no outro multiverso. Esse reboot da Marvel serviu para aproveitar o melhor da Terra-1616 e incorporar na cronologia principal das revistas. 

O que esperar para o MCU 


 
Em Loki, a Autoridade de Variação Temporal (ou Time Variance Authority, TVA, em inglês) diz que já tiveram “guerras multiversais” e por isso todos os multiversos foram unificados em um só, com todas as ramificações podadas, para evitar que algum universo reclamasse o seu como principal. No último episódio da série, Aquele que permanece, uma provável variante de Kang, explica que variantes dele brigavam, no passado, para ser dominante perante os outros multiversos. 

O conceito de multiverso já se espalhou para outros filmes como Homem-Aranha: Sem volta para casa e Doutor Estranho: Multiverso da loucura e será mais abordado em Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania e, possivelmente em Quarteto Fantástico, já que a presença do Doutor Destino e Reed Richards é muito importante para a saga. 

O MCU deve focar mais no segundo ato de Guerras Secretas, usando tanto para contar a história como para um possível reboot (e, se tudo der certo, inserindo o Miles, porque já passou da hora disso acontecer). Mas o MCU tem o jeitinho dele de fazer a sagas e não é seguindo as HQs à risca, como bem se sabe. Então, vamos aguardar para ver o que vai acontecer. Mas seria incrível ver esses personagens interagindo e deixando os fãs loucos. 

Referência 
SDCC 2022: MARVEL STUDIOS' 'AVENGERS: SECRET WARS' ANNOUNCED. Marvel, 23 de jul. de 2022. Disponível em: https://www.marvel.com/articles/movies/sdcc-2022-marvel-studios-avengers-secret-wars-movie-announced. Acesso em: 01 de ago. de 2022. 
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »