15/08/2022 às 20h59min - Atualizada em 15/08/2022 às 20h54min

Da literatura ao cinema: entenda o que são as distopias e como são representadas

Entenda a origem do gênero distopia e como ele é representado nos livros e nas obras cinematográficas

Sara Reis - editado por David Cardoso
Distopia (Foto: Reprodução/ UOL TAB).

As distopias são conhecidas por retratar a representação do que a sociedade pode se tornar um dia. São obras ficcionais que narram sobre um mundo futuro que vai ao contrário do ideal de uma sociedade perfeita, repletos de governos autoritários, controle das massas e disseminação da violência. 

Os mundos distópicos são consagrados como um gênero da ficção científica e estão presentes a muito tempo na literatura e na arte, como forma de retratar a preocupação de seus autores com a atual sociedade. Na literatura, o gênero existe  desde 1516 e migrou, também, para as produções cinematográficas em 1927 e desde então vem sendo bastante explorado nas telinhas. 

 

A história das distopias

 

O termo distopia, em grego antigo, significa ´´lugar ruim´´ e é usado para descrever uma sociedade, um lugar ou uma época futura onde as condições são precárias, desesperadoras e funcionam sobre um regime autoritário. embora existam registro anteriores a esse o uso mais conhecido do termo distopia veio através do discurso feito pelo economista britânico John Stuart Mill em 1868, onde ele usa o termo para se referir a políticas de terras exercidas pelo governo irlandes.

 

O primeiro registro que se tem de uma distopia, surge em 1516 com o livro ´´Utopia`` do autor inglês Thomas More. O livro conta a história de Rafael Hitlodeu e sua viagem a este lugar chamado República de Utopia, na obra os moradores da 

República eram punidos, atraves de exílio e escravidão, por casos de intolerância e  fanatismo religioso. O autor fez uma clara alusão e crítica à Inglaterra do século XVI, marcada por perseguições religiosas e dos cercamentos.  

 

As distopias na literatura

 

Capas dos livros 1984 de George Orwell e Fahrenheit 451 de Ray Bradbury

Capas dos livros 1984 de George Orwell e Fahrenheit 451 de Ray Bradbury

(Foto: Reprodução/ Google Imagens).

 

Inspirados por Thomas More, outros autores começam com suas próprias obras distópicas, no século XIX temos dois autores, Pierre-Joseph Proudhon e Charles Fourier que iniciam um movimento chamado socialismo utópico. Sempre tecendo críticas à sociedade e aos governos de suas épocas, o gênero da distopia foi se tornando conhecido e consagrado na literatura.

 

Durante os anos muitos livros e autores tornaram-se reconhecidos e clássicos da literatura distópica, como é o caso de Ray Bradbury com Fahrenheit 451, que futuramente foi adaptado para cinema, George Orwell, autor consagrado no gênero da distopia com seus livros 1984 e a revolução dos bichos, e muitos outros autores como Aldous Huxley, Kurt Vonnegut e Margaret Atwood. 

 

Nos dias atuais as literaturas distópicas, ganharam seu lugar no infanto juvenil, como é o caso de Jogos Vorazes da autora Suzanne Collins e Divergente da Veronica Roth. O gênero passou a fazer muito sucesso entre o público mais jovem e se expandiu ainda mais.

 

As distopias no cinema

Cena do filme Mad Max 2 - A caçada continua

Cena do filme Mad Max 2 - A caçada continua

(Foto: Reprodução/ Google Imagens).

 

Já nas produções de cinema as distopias começam a surgir a partir de 1927 com um dos primeiros filmes do gênero distópico "Metrópoles", o filme é um clássico do que é conhecido hoje em dia como expressionismo alemão. A obra apresenta a desigualdade entre a classe trabalhadora e os planejadores da cidade com o clássico enredo de um amor impossível entre membros da sociedade de classes distintas. 

 

Anos depois na década de 80 a ficção científica distópica sofreu uma revolução no cinema através do longa Mad Max 2, o filme quebrou recorde de bilheteria ao apresentar um universo pós apocalíptico onde acontece uma guerra pelo petróleo entre grandes potências mundiais. Após isso, outros filmes também revolucionaram a forma e a técnica de produzir obras cinematográficas no campo da ficção, como Blade Runner e o famoso exterminador do futuro.

 

Depois disso as distopias começaram a ganhar ainda mais espaço nas telinhas e conquistaram a atenção dos telespectadores, as adaptações de livros clássicos também contribuíram para que as distopias ficassem mais conhecidas no cinema e ganhassem mais relevância. 

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »