21/08/2022 às 21h21min - Atualizada em 21/08/2022 às 20h52min

O legado de Issey Miyake

O designer responsável por colocar o Japão no mapa da moda na década de 1970, faleceu no último dia 5 de agosto aos 84 anos

Maria Eduarda Soldera - Editado por Beatriz Seguchi
Issey Miyake | Reprodução/Instagram (@vogueitalia)
No início do mês de agosto, mais especificamente no dia 5, a moda perdeu uma de suas lendas: o designer asiático Issey Miyake. De acordo com um comunicado do Issey Miyake Group, divulgado no dia 9, a causa da morte foi um câncer no fígado.

Miyake nasceu em Hiroshima, onde sua infância foi marcada pela bomba atômica lançada sobre a cidade, em agosto de 1945, que causou a perda prematura de sua mãe três anos depois da exposição à radiação. Apesar de passar por esse trauma logo no início da vida, a visão de Miyake para a moda era sempre sensível, divertida e inovadora.

A história de Miyake no mundo da moda começa após ele se formar em design gráfico pela Tama Art University de Tóquio, no ano de 1964, logo depois, em 1965, mudou-se para Paris, onde estudou na École de la Chambre Syndicale de la Couture Parisienne, Depois de se estabelecer na capital francesa, Miyake trabalhou para Guy Laroche e e Hubert de Givenchy. O designer fundou o Miyake Design Studio em 1970 e o tornou conhecido pela suas silhuetas desconstruídas e forma inovadora de utilizar os tecidos. Em 1973 ele exibiu sua própria coleção em um desfile de moda em Paris – sendo o primeiro designer japonês a realizar este feito.

Dentre as suas marcas registradas estão os seus famosos plissados, que não amassam e nem perdem a forma, além de possuírem uma leveza e movimentos únicos. Eles foram exibidos pela primeira vez em 1989, mas se tornaram um verdadeiro sucesso na coleção “Pleats, Please” de 1993. Os plissados são produzidos a partir de uma técnica inovadora, que conta com a manipulação de poliéster e uma prensa térmica.

Miyake foi responsável por criar o famoso suéter preto de gola alta que se tornou a marca registrada de Steve Jobs. Segundo a biografia do fundador da Apple, após Jobs encomendar o modelo ao designer, ele enviou-lhe 100 peças iguais. Depois da morte de Steve Jobs, Miyake descontinuou as peças para homenagear seu amigo. O nome de Issey Miyake também se tornou forte no ramo da beleza, onde ele desenvolveu uma série de perfumes best-sellers no mundo todo, como o icônico L’Eau d’Issey, lançado em 1992.

O designer resolveu se aposentar da marca em 1997, porém antes de se afastar totalmente da direção criativa, Miyake se juntou a Dai Fujiwara para a coleção "A-POC" de 1999. “A-POC”, que significa "A Piece of Cloth" (uma peça de roupa, em português), se tornou um dos principais desfiles da marca. A coleção foi composta por um único pedaço de tecido que formava os looks, criando silhuetas que se formavam de acordo com o caimento do tecido no corpo das modelos.

Issey Miyake revolucionou a moda com as suas inovações têxteis e visão inovadora de moda, além de abrir caminho para outros estilistas japoneses como Rei Kawakubo e Yohji Yamamoto. Tudo isso o tornou dono de um legado inegável que estará sempre presente na história da moda.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »