01/09/2022 às 19h23min - Atualizada em 28/08/2022 às 16h32min

A história do Rock in Rio, o maior festival de música do mundo!

Embarque nessa viagem no tempo para conhecer a história do Rock in Rio, reconhecidamente o maior festival de música do mundo, que teve momentos incríveis e inesquecíveis

Ana Lara Venturini - editado por Larissa Nunes
Logo oficial do festival. (Foto: Divulgação / Rock in Rio)

Existe uma fórmula para um festival de música? Talvez. Mas o fato é que Roberto Medina inventou sua própria, e com ela realizou um dos maiores festivais do mundo aqui no Brasil.

O ano era 1985. Foi num cenário de grandes transformações que nasceu no Rock in Rio. Após longo período de ditadura militar, o Brasil começava a dar seus primeiros passos rumo à democracia.

Por causa da censura sofrida no regime, o conhecimento musical brasileiro ficou essencialmente restrito aos artistas que faziam parte da programação radiofônica da época. Foi nesse contexto que o empresário Roberto Medina teve uma ideia visionária e ousada que mudou todo esse cenário trazendo a ideia dos festivais.

Pela primeira vez, um país da América do Sul sediou um evento musical dessa magnitude e foi um sucesso, algo que parecia impossível para o país na época. O festival Rock In Rio tomou conta do Brasil desde a sua primeira edição e é considerado um divisor de águas na história da música brasileira, pois abriu portas para colocar o país na rota das turnês dos grandes shows internacionais.
 


Linha do tempo

1985 - O primeiro festival, que ocorreu entre 11 e 20 de janeiro, contou com dez dias de música e muita emoção na edição. A primeira Cidade do Rock ocupou uma área de 250 mil metros quadrados no Rio de Janeiro e teve o maior palco do mundo na época, com 80 metros, e contou com 15 atrações nacionais e 16 internacionais. O primeiro músico a fazer uma apresentação nos palcos do Rock in Rio foi ninguém mais, ninguém menos do que Ney Matogrosso. Na plateia, 1 milhão e 380 mil pessoas e, pela primeira vez no mundo, o público começava a fazer parte do espetáculo com a plateia iluminada.

1991- A segunda edição foi produzida no maior estádio de futebol do mundo, o Maracanã, e bateu um recorde de público. A banda A-ha teve o maior público pagante em um show dentro do festival que contou com quase 200 mil pessoas.

2001 - Consciente da sua força e poder de atração, dez anos depois o festival volta à Cidade do Rock associado a um forte projeto social e ainda maior que o de antes: além dos grandes concertos do Palco Mundo, ganhou três tendas de cultura e arte com ritmos do mundo todo. Mais de 150 artistas e mais de 1,2 milhão de pessoas se juntaram num movimento para um mundo melhor. 
 

Momento icônico de Queen cantando no primeiro Rock In Rio, em 1985. (Reprodução: YouTube - rockinrio)



2004 - O maior festival do mundo chega a Lisboa. Pela primeira vez em um país estrangeiro, o sucesso do Rock in Rio pode ser medido pela sua enorme exposição gratuita na mídia. No evento, mais de 386 mil pessoas passaram pela Cidade do Rock, que ocupou os 200 mil metros quadrados do Parque da Bela Vista. A primeira edição do Rock in Rio Lisboa foi um sucesso e deixou um gostinho de quero mais.

2006 - Rock In Rio internacional veio para ficar! Com o sucesso da edição anterior, Lisboa novamente sediou o festival e passa oficialmente a ser realizado a cada dois anos.

2008 - Nesse ano, o festival aconteceu em dois lugares. Ele continuou em Portugal e chegou a um novo destino, a Espanha. O primeiro Rock in Rio Madrid dedicou-se à diversidade musical. Em Lisboa surge o Palco Sunset, um espaço dedicado a encontros musicais e experimentações de diferentes estilos. A fórmula deu tão certo que virou marca registrada do festival e agita a Cidade do Rock até hoje. O projeto "Por um Mundo Melhor" torna-se uma parte inseparável do Rock in Rio.

2010 - O Rock in Rio aterrissa em duas cidades europeias. É a quarta passagem do festival por Lisboa e a segunda por Madrid. Um line-up forte que mistura o melhor do rock e do pop marca as duas edições.

2011 - De volta às origens, depois de 10 anos fora do Brasil, o festival volta ao Rio de Janeiro para ficar. O público brasileiro esperou por isso durante uma década e 700 mil ingressos se esgotaram em apenas 4 dias. Um momento importante foi a criação da Rock Street, um espaço que privilegia outros estilos musicais como o blues e o jazz. A inspiração veio do clima da cidade de Nova Orleans, com toda a sua musicalidade e boemia.

2012 - Rock in Rio Lisboa quinta edição e Rock in Rio Madrid terceira edição contaram com 536 mil pessoas e 193 bandas. Em Lisboa, foi criada a Street Dance, uma combinação do Rock in Rio com a viveu em arte urbana. Um espaço voltado para a dança de dança de rua, mostrando que a arte e as coreografias das grandes cidades têm tudo a ver com o festival. A experiência do Rock in Rio mais uma vez encanta e faz história no continente europeu.

2013 - Mais uma vez, o Rock in Rio fez uma edição memorável no Rio de Janeiro. Os ingressos para todos os dias acabaram em algumas horas. Grandes nomes da música mundial fizeram um grande espetáculo no festival, reforçando que o Rock in Rio tem diversidade musical e público para todos os gostos.

2014 - Para comemorar uma década do Rock in Rio em Portugal, o festival caprichou no line-up e o resultado do que rolou só poderia ser uma festa histórica. E não teria jeito melhor de comemorar o sucesso do festival a não ser querendo mais. Próxima parada: EUA.

2015 - Na comemoração de 30 anos do Rock in Rio, o maior festival de música e entretenimento do mundo realizou duas edições. Além de ter desembarcado em uma nova terra pela primeira vez, com 64 atrações e quatro dias de festival, na famosa cidade de Las Vegas, o Rio de Janeiro não poderia ficar de fora. Na edição carioca, ao todo, foram 595 mil ingressos vendidos, 160 atrações confirmadas e o Rock in Rio Card esgotado em apenas 50 minutos. 2015 foi um ano especial e os 30 anos de Rock in Rio foram devidamente festejados com um "parabéns" na abertura do festival.


Edição do Rock In Rio USA, em 2015, primeira vez na América do Norte. (Reprodução: YouTube - rockinrio)


2016 - Lisboa mais uma vez é palco do grande espetáculo que é o Rock in Rio. 329 mil fãs curtiram o festival e encheram a Cidade do Rock Lusitana. Com grandes nomes no line-up, a sétima edição do festival em Lisboa foi um sucesso. Além disso, os portugueses aderiram em força ao projeto Amazonia Live: foi arrecadado um valor que viabilizaria a plantação de 40 mil árvores

2017 - O tempo passa e a gente não tira da cabeça a avalanche de emoções que foi o Rock in Rio 2017. A 18° edição marcou a estréia de uma novíssima Cidade do Rock, que ocupou o Parque Olímpico do Rio de Janeiro e dobrou a área ocupada pelo festival em relação à edição anterior. O novo espaço veio repleto de novidades: a Rock Street África, o Digital Stage, o Gourmet Square e a Game XP.

2018 - Novamente em Lisboa, o Rock in Rio 2018 entrou para a história como um dos melhores. Quatro dias de música, gastronomia, dança e muita festa! Ao todo, 278 mil pessoas deliraram pelo local nessa edição que teve mais de 57 horas de música. A Cidade do Rock estava repleta de atrações. Foi inesquecível!


Rock in Rio Lisboa 2018.

Rock in Rio Lisboa 2018.

(Foto: Reprodução / Rock in Rio)


2019 - Mas o maior e melhor de todos os tempos do festival? 2019, quando o festival bateu todos os seus recordes. A Cidade do Rock, no Rio de Janeiro, teve um aumento de 60 mil metros quadrados, recebendo 9 palcos, 300 horas de música, 250 atrações e inúmeras novidades. Dentre elas, o Espaço Favela, o New Dance Order, o espetáculo Fuerza Bruta, a Rota 85, a NAVE, palco Supernova e Rock Street Ásia.

2022 - Após dois anos de pandemia, esse ano o festival volta com tudo e promete! Com um line-up incrível que fez o público surtar, os ingressos acabaram em questão de poucos minutos. Esse ano o evento completa 37 anos e acontecerá no Brasil nos dias 2, 3, 4, 8, 9, 10 e 11 de setembro.

Seguido de toda essa história incrível, os números gigantes não poderiam ser surpresa. O festival contou com 20 edições, 119 dias,  2.300 artistas escalados, mais de 10 milhões de pessoas na plateia e 12 milhões de fãs online. Além dos números técnicos, 73 milhões de árvores foram garantidas na Amazônia e 237,5 mil empregos foram gerados.

LEIA MAIS:
Rock in Rio Humanorama: Evento debate reflexões humana na sociedade

 

A nova série

Ressaltando a sua importância para a cultura musical do mundo, o festival ganhou uma série em sua homenagem. “Rock in Rio – A História” é a nova produção do streaming GloboPlay que conta em cinco episódios a história passeando pelos 37 anos de existência do evento, ilustrando seu legado com trechos de shows emblemáticos.

A série retrata como um festival que parecia fadado ao fracasso se transformou no maior do mundo, e traz a trajetória do evento com profundidade sob a ótica de quem foi e teve a vida marcada por ele.



 

"Este documentário é um presente para o público e os fãs do festival. Os cinco episódios mostram a trajetória dos 37 anos do festival e como ele foi fundamental na consolidação de grandes nomes nacionais e internacionais, se tornando parte da história e da cultura do nosso país, mostrando o nosso trabalho em direção a um mundo melhor", afirma Roberto Medina, criador e presidente do Rock in Rio.



 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »