08/11/2022 às 09h44min - Atualizada em 08/11/2022 às 09h26min

A influência africana na música brasileira

Capoeira, samba e tambores fazem parte dessa herança cultural

Larissa Varjão - editado por David Cardoso
Desenho africanas. (Foto: Reprodução/ Brasil Escola)
O Brasil possui influência africanas em diversos âmbitos culturais, e a música é uma delas. Ritmos, danças e passos africanos são utilizados nas músicas brasileiras, muitos até que nem imaginamos. Entre eles estão o samba, afoxé, maracatu, congada, lundu, capoeira e até mesmo o carnaval.
 
A música popular urbana no Brasil Imperial veio com os escravos que trabalhavam como barbeiros em Salvador e Rio de Janeiro e era altamente descriminada, sendo vista como "música para marginais" até o século XX, em que só depois começou a ser aceita. Os instrumentos de percussão são objetos marcantes das danças africanas, entre os mais usados estão os tambores e o Berimbau.
Uma característica marcante das danças africanas é o modo como dançam em grupo. Geralmente, eles formam círculos, fileira ou semicírculos, além de fazer questão que toda a comunidade participe. Muitos desses movimentos são realizados para celebrar algum acontecimento importante, como: casamento, agradecimentos, rituais de passagem ou até para celebrar a morte, seguindo a cultura de cada povo. 
 
O kuduro, dança que também nasceu na década de 80 na Angola, caiu no gosto popular devido ao seu ritmo contagiante. Depois de alguns anos, a dança se modernizou e aderiu uma nova roupagem, o que contribuiu significativamente para que ele conquistasse o mundo, que se tornou uma música de fato e virou até trilha da novela brasileira Avenida Brasil.
 
O Brasil tem a primeira orquestra de Afrobeat, formada 100% por mulheres e pessoas não-binárias negras. Esse gênero musical nasceu na Nigéria na África, com Fela Kuti, que após passar um tempo em solos americanos, onde teve contato com o movimento Panteras Negras e com Malcom-X, voltou ao seu país e juntou tudo o que aprendeu durante a sua estadia fora aos ritmos tradicionais africanos, criando um beat único e marcante, acompanhado por letras com foco social e político.

Cantores brasileiros

O gênero musical se espalhou pelo mundo e exerce influência sobre muitos artistas até hoje, inclusive músicos brasileiros. Nomes como Iza e Gilberto Gil se inspiram na batida marcante do Afrobeat para criar suas composições. 
 

Inclusive, a música Ginga da Iza contém a mistura africana em sua composição. A cantoras foi chamada de “Rainha da representatividade" no palco do Unitel Festa da Música, maior festival de Angola, no qual foi uma das principais atrações em junho de 2022. Foram 20 mil pessoas cantando hits como "Pesadão" e seu lançamento mais recente, "Fé"."Foi a primeira vez que eu fui à África e foi muito emocionante cantar em Angola. Para mim é um lugar de reencontro, de volta para casa e senti a energia muito forte. Voltei para o Brasil muito grata", disse a cantora para Ecoa.

 

Também, há Martinho da Vila, sambista com bisavós nascidos na Angola, lançou em 1988 no centenário da abolição da escravidão no Brasil, o enredo “Kizomba, a festa da raça” que garantiu o título de carnaval no rio para a escola Vila Isabel. “Kizomba” significa “festa”, e sua origem veio das farras ou bailes, que aconteciam na Angola durante as décadas de 50 e 70.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »