19/07/2019 às 17h05min - Atualizada em 19/07/2019 às 17h05min

Os cordéis como contribuintes para a construção social e comunicativa da sociedade

Vitória Messias - Editado por Leonardo Benedito
Flicker: emersonpardo
A literatura de cordel, mesmo que representante da cultura nordestina em todo país, ainda enfrenta dificuldades para ser reconhecida e ainda mais para ser lembrada, já que apenas é citada nos breves conteúdos de língua portuguesa do ensino fundamental, que também enfrenta e propõe dificuldades por apresentar poucos gêneros textuais, sem dar ênfase a aqueles que fazem parte da própria cultura.
 
O Cordel originou-se na Europa no século XVII e tinha uma forma editorial de baixo custo para todas as classes, tornando-o acessível à grande parte da população. Era conhecido por seus autores cantarem ou declamarem seus versos e prosas fazendo com que o folheto fosse mais atrativo. Eram quase peças de teatro onde se encontravam farsas, contos fantásticos, uma literatura que podia ser articulada de maneiras diferentes.
 
No Brasil, os cordéis eram confeccionados pelo povo e para o povo, formando seus próprios grandes clássicos e grandes mestres. Aos poucos, uma nova identidade literária era adquirida pelos brasileiros, mais especificamente pelos nordestinos que usavam seus cordéis para expressar suas próprias opiniões e de forma humorística e específica, apresentar a vida no sertão. Enquanto o povo sertanejo vivia a escassez da região e o desatento das autoridades, encontrar na arte uma forma de expressão, crítica e também uma oportunidade foi de grande importância para a construção da cultura e da literatura brasileira, por isso os cordéis são uma importante manifestação artística assim como qualquer outra.
 
Isso desencadeou um novo ciclo para a literatura de cordel, que desenvolve características de uma crônica poética que narra os fatos cotidianos. Com conteúdo regional, os cordéis constroem uma identidade visual e auditiva importante que muito acrescenta a cultura brasileira.
 
Assim como muitas outras manifestações artísticas, as temáticas que fazem dos cordéis uma arte importante são bem comuns em outros gêneros, como questões da vida humana em forma de denúncia social ou religiosa; Drama humano e social diante dos fatos cotidianos nordestinos; Ações do governo em geral e apresentação da cultura folclórica brasileira. Ainda que, outros temas sejam antiquados, é visível que a literatura de cordel tem grande relação com todos os manifestos atuais que presenciamos na sociedade, o que a torna importantíssima para a construção e desenvolvimento de um caráter social. É uma pena que esse gênero textual seja tão pouco apresentado nas escolas e tenha tão pouca visibilidade entre a população.
 
A leitura e apresentação se fazem extremamente necessárias, não apenas como informação sobre a literatura e seus períodos, mas como uma forma para tornar o leitor reflexivo quanto a qualquer e toda experiência ligada a expressão de sentimentos e conflitos sociais através de narrativas.
 
O fato importante, que também deve ser destacado, é que a experiência do leitor com os cordéis deve ser vivida também para que haja participação, exposição e fluência nos assuntos cotidianos de sua comunidade, bem como de seu país, assim como os próprios autores cordelistas, que nada mais eram que manifestantes e participantes de uma opinião expressa em forma de verso e prosa. Ler, refletir e introduzir a literatura de cordel a sociedade desenvolve a competência de saber escutar o outro, o que favorece, também, a convivência social.
 
Algumas pessoas podem achar, e até argumentar, que uma arte tão pouco visível não possa ser considerada um tópico importante para elaboração de um pensamento individual e coletivo. Mas, os cordéis vão muito além dessa elaboração, quando são a forma que os sertanejos encontravam para se comunicar, apresentar suas histórias, tradições e cultura. Os cordéis são a própria memória nordestina espalhada por todo Brasil.
 
Para muitos antigos, a melhor forma de passar ensinamento para as gerações mais novas é a contação de histórias, mesmo que fora das escolas e sem escrita. Justamente por isso essa arte do povo vem com grande influência sobre a comunicação de uma sociedade. As composições funcionais e os estilos apresentados em cada verso cumprem uma função comunicativa fundamental, orientando e direcionando o leitor também com a linguagem, mas principalmente com a reflexão proposta, conduzindo-o a uma leitura e interpretação de importância para a produção do gênero textual.
 
Para todos, os cordéis são importantes instrumentos para o aprendizado, tendo uma linguagem peculiar e vozes sociais que têm grande parcela na cultura brasileira. Com escritores consagrados, retratando a miséria nordestina e outros temas que desenvolvem críticas e reflexões, influencia na leitura e vivência daqueles que decidem ler e conhecer essa arte.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »