26/07/2019 às 15h26min - Atualizada em 26/07/2019 às 15h26min

Visita Inesperada

Ela chegou, a ansiedade. Droga.

Thamires Silva - Editado por Leonardo Benedito
Atacou-me a ansiedade, de forma rápida e turbulenta. Meu ser está em alta velocidade. (Foto: Katie Crawford)
Acordei com um pressentimento estranho. Era como se algo de ruim estivesse prestes a acontecer. Levantei, e como de costume, realizei todos os meus afazeres. Estava quieta, e com meus pensamentos a mil. Ouvi batidas na porta, batidas lentas, intensas e em plena sintonia. Ela chegou, a minha querida ansiedade.
 
Atacou-me, de forma rápida e turbulenta. Meu ser está em alta velocidade.
 
Paralisou todo o meu corpo enquanto deixava os meus pensamentos incontroláveis, criou cenários e possibilidades desfavoráveis e em um pestanejar de olhos eu já estava fora de mim.


©Katie Crawford

O vazio tomou conta do meu ser, me sinto incompleta, insuficiente e triste. Sozinha. Passo mal por ter medo de passar mal. A angústia me sufoca, a garganta fecha e sinto calor e frio ao mesmo tempo. Alguém senta para conversar comigo, é a morte. Estou ficando sem ar. 
 
O desespero bate a cada toque do relógio na parede da cozinha. Os pensamentos suicidas me perseguem. Meu inferno particular. ATÉ QUANDO?
 
Viver tem sido uma obrigação terrível. Ela está tentando me consumir, fazer com que eu perca o equilíbrio. Fiquei imóvel por minutos que pareciam a eternidade, me tremia toda. Sou uma criança que pede socorro em silêncio, e, nessas horas, os únicos que me trazem de volta à realidade são meus amigos: o Rivo e a Lina. Sim, meus remédios. Só preciso de um abraço. 
 

 ©Katie Crawford

Depois de uns goles de choro, ela decide ir embora, sem tchau, mas com um até logo. Depois de sua visita, os meus dias ficariam cinzentos e carregados. Deixou-me mal, mas sabia que ela voltaria, mesmo eu não querendo.
 
Esforço-me a cada dia pela minha melhora, ao lado dos meus pais. Contar para as pessoas sobre minhas angústias no mundo de hoje é totalmente incoerente. Quem se dispõe a ir ao encontro dos meus pensamentos e me socorrer? Compreender a profundeza que esse mar me leva, somente quem se afoga na mesma intensidade. 


 
©Katie Crawford

Sair de casa me deixa com medo, e ficar em casa também. Medo da minha própria mente.

É preciso preencher tudo isso com o amor próprio. Coloco o meu mais belo sorriso no rosto e vou à luta. Mesmo com o dia horrível que tive, ela não me deixou fraquejar e entregar-me por completo.
 
Houve dias piores. Não sou pessimista, triste, nuvem negra, ou controladora. Sou apenas ansiosa. É isso. Dizem que ansiedade é frescura. Sinto muito por quem pensa assim.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »