28/07/2019 às 14h49min - Atualizada em 28/07/2019 às 14h49min

Hitou

O surgimento dos memes e novas figuras públicas

Jonathan Fernandes
Divulgação / Natália Coimbra
Todos sabemos o que as redes sociais e a instantaneidade delas são capazes de fazer. Te levam para o céu ou para o inferno, te crucificam ou te libertam, e, dependendo do caso, fazem os dois ao mesmo tempo. Quem não torceu para a Cleusa invadir a casa do Denilson e da atual esposa dele, de mala e cuia, para que eles ficassem juntos e shallow now, que atire a primeira pedra! Cleusa se transformou em um evento, Denilson em... É melhor não falar. São pessoas e histórias reais como essas, que viralizam.
 
Por um acaso...
Se você for um internauta que se prese, você não deve reconhecer Natália Coimbra pelo nome, mas sim pelo rosto. A carioca de 25 anos e surpreende com a história de vida. História essa que as milhares de pessoas que riem com os memes, nem imaginam. Viúva e mãe de dois filhos, Natalhy com 6, e Aleff com 2 anos, Natália conta com ajuda da mãe para criá-los. Descontraída, ela revela como tudo começou. “Foi através de uma foto que eu tirei na festa de aniversário de uma amiga minha, uma pessoa do meu Facebook viu essa foto, gostou dela e compartilhou. Na foto eu estava com um cigarro na mão, as unhas bem decoradas e um sorrisão”. E complementa. “Essa foto ficou rodando uns três, quatro meses antes de estourar e eu descobrir que virei meme”.

Divulgação / Natália Coimbra

Divulgação / Natália Coimbra



A maioria das pessoas quando têm as imagens compartilhadas ficam receosas, e com Natália não foi diferente. “No começo eu fiquei com medo de estarem fazendo algo ruim com a minha imagem, mas quando eu vi que eram memes; que as pessoas estavam me fantasiando, me colocando máscaras, eu vi que não era nada demais, vi que era algo bom para mim”. E realmente é bom. Ela abriu uma lojinha virtual onde vende produtos personalizados com as próprias fotos e frases divertidas (os marcadores de livro são um espetáculo à parte), que ajudam a complementar a renda dela. E frisa. “Eu gosto muito dos meus memes, eu adoro todos os meus memes! Gosto de saber que quem gosta de mim usa meus memes e quem não gosta de mim tem que ver”.

... e com seriedade
Não há a expressa necessidade de virar um meme para hitar, conseguir público, e sim a necessidade de ser autentico e é isso que a soldado da polícia militar, Kelly Dourado, nos mostra. A paranaense de 24 anos não tinha o desejo de seguir carreira militar na infância, porém, durante a adolescência foi influenciada pela sua mãe, também policial, e anos mais tarde, como disse a própria, se apaixonou pela área da segurança pública. Kelly revela como chegou à quase 70 mil seguidores no Instagram. “Foi do nada, eu criei minha página e as pessoas se identificaram comigo pelo me jeito simples de ser”. E esclarece. “Eu não esperava ter essa visibilidade, começou aos poucos e tomou essa proporção”. Apesar de já ser reconhecida na rua e “morrer de vergonha”, ela ressalta. “É simples para mim, porque o meu trabalho é ser policial militar. Digital influencer é a forma que as pessoas me veem, entendeu? Eu não me vejo assim, eu apenas compartilho coisas do meu cotidiano”.

Divulgação / Kelly Dourado

Divulgação / Kelly Dourado



Por ter tido uma criação rígida e ser policial militar, Kelly é incisiva ao afirmar que a sua postura e a linguagem na rede social, tem que ser condizente com sua vida pessoal e profissional. “A postura do policial militar é inerente. Temos que ter postura em todos os lugares”. Lembrando que a polícia militar é pautada de várias regras, ela ainda diz que tem alguns temas no qual ela não pode abordar no seu perfil e nem no seu canal no YouTube, por não representar a corporação; mas também revela que sua rede social já ajudou em investigações. “Tiveram algumas ocorrências que graças a rede social eu obtive informações. Veículos roubados, tráfico de drogas. As pessoas se sentem confortáveis para falar, pois sabem quem sou”.

E sobre ser considerada blogueira, afirma. “Minha vida não é um blog, eu nem sei mexer com blog. Eu tenho uma profissão que difere muito da esfera da internet. O que eu faço são demonstrações de coisas que uso, lugares que frequento e que eu acho bom compartilhar com as pessoas”.
A feição dela é séria, mas não se enganem, Kelly é muito divertida! Os melhores stories são os com a participação da avó, Dona Hilda. Como a própria disse, existe um equilíbrio, há a hora de falar de forma coloquial e formal.
 
Para encontrar a Natalia nas redes sociais busque @NataliaCoinbra no Twitter e @NataliaCoibraOficial no Instagram. Já para encontrar Kelly, busque o @Kelly_Dourado no Instagram e o canal “Sem Padrão” no YouTube.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »