06/09/2019 às 12h52min - Atualizada em 06/09/2019 às 12h52min

Destinos para aprender espanhol na América Latina

Países contam com um ótimo custo benefício para brasileiros e são ricos cultural, histórica e geograficamente

Maria Antônia Rocha - Editado por Jéssica Belo

Diferente das viagens a lazer, em que normalmente o objetivo é conhecer pontos turísticos, restaurantes e monumentos, o intercâmbio é uma verdadeira maneira de se inserir na cultura local e desfrutar de forma mais profunda o seu destino, além de, claro, ver novas pessoas e lugares.

Normalmente, os brasileiros buscam intercâmbios para praticar um idioma, principalmente o inglês. Poucos sabem, porém, que o espanhol é, também, interessante para se aprender: ele é falado por mais de 400 milhões de pessoas e é língua oficial de 21 países. Assim como o inglês e diversos outros idiomas, o espanhol possui variações regionais que englobam desde o sotaque até a própria gramática. Por isso, é essencial entender como é o espanhol do destino escolhido para o intercâmbio.

Estudar espanhol na Espanha, por mais instintivo que seja - afinal, é o berço do idioma - pode ser inviável. Isso porque o real é muito desvalorizado em relação ao euro, a moeda utilizada no país, o que pode extrapolar o orçamento de muitas pessoas. Mas esse não deve ser um motivo para desistir de aprender a língua. 

A América Latina é um continente composto majoritariamente por países que têm o espanhol como idioma. Além de ter um acesso mais fácil para brasileiros, engloba países cujas moedas são, normalmente, desvalorizadas em relação ao real e possui destinos ricos cultural, histórica e geograficamente. Seja fazendo aulas de idioma, trabalhando como voluntário, sendo au pair ou estudando em uma escola ou universidade local, conheça alguns dos destinos ideais para tirar o sonho do papel:
 

México

O México é o país que conta com a maior população de língua espanhola do mundo. Banhado pelos Oceano Pacífico e pelo Mar do Caribe, é uma das potências econômicas da região e é um destino repleto de atrações culturais, históricas, naturais e até mesmo gastronômicas: sua culinária é considerada patrimônio imaterial da humanidade pela UNESCO. 

Muito conhecido pelas festas tradicionais, como o Dia de los Muertos, o país conta com opções para todos os públicos: ilhas banhadas pelas águas azuis do Caribe, grandes metrópoles, cidades coloniais e sítios arqueológicos que datam dos tempos pré-colombianos. Algumas das cidades mais populares entre os turistas incluem a capital, Cidade do México, Cancun e Playa del Carmen.

Foto: The University of Texas at Austin 

A moeda local é o peso mexicano, e R$1 equivale a aproximadamente $4,80 pesos mexicanos, na cotação do dia 05/09/19. Assim, de acordo com o portal Numbeo, o custo de vida na Cidade do México é cerca de 17% mais barato do que no Rio de Janeiro: uma refeição em restaurante simples custa em média 90.000 MXN ou R$18,75, enquanto o passe mensal de transporte na cidade equivale a R$62 e o aluguel de um apartamento de 1 quarto fora do centro da cidade, a R$1370. Já o preço de um curso intensivo de espanhol na cidade, com 20 aulas por semana, gira em torno de $160 dólares por semana, pouco mais de R$600, na escola Coined.

 

Argentina

Por mais que existam rivalidades entre Brasil e Argentina no cenário do futebol, o país vizinho é um dos destinos mais procurados pelos brasileiros que desejam aprender espanhol. O motivo é muito simples: bons preços, cena cultural forte, paisagens naturais impressionantes e povo receptivo são apenas alguns dos atrativos. 

Muito conhecida pela natureza intocada, principalmente na região da Patagônia, e pela boa gastronomia e cartela de vinhos, a Argentina também é composta de opções para todos. Desde a agitada e cosmopolita Buenos Aires, a capital, até a cidade universitária de Cordoba, o extremo sul do continente, Ushuaia, na qual é possível observar o fenômeno das auroras austrais e Bariloche, paraíso dos esportes de neve.

Foto: Lapis de Noiva
 

Por estar passando por uma grave crise econômica no momento, a Argentina tem preços muito convidativos para brasileiros em 2019: a cotação do dia 05/09/19 era de 13,64 pesos argentinos para cada R$1. O custo de moradia é mais em conta do que no México, no centro de Buenos Aires, é possível encontrar preços de em média R$1200 por mês. O passe mensal de transporte custa 720 pesos e uma compra no mercado que inclua pão de forma, arroz branco, ovos e bananas pode sair por cerca de R$20. Já o curso intensivo de espanhol, na escola Coined de Córdoba, custa $200 dólares por semana.

Peru

O Peru é um dos destinos turísticos mais famosos e visitados da América do Sul. O país é riquíssimo em cultura, arte, história e gastronomia e é lá que se localiza Machu Picchu, “a cidade perdida dos incas”, considerada patrimônio mundial da UNESCO. A atração é um sítio arqueológico datado do século XV e é uma das principais imagens que vem a mente de quem pensa em conhecer o Peru.

Além de ser um dos melhores lugares do mundo para a prática de esportes como surf e trekking, o cenário local é uma boa opção para quem deseja conhecer melhor a cultura dos povos nativos da América do Sul.O povo quéchua é muito presente na região, e com ele suas tradições de artesanato e gastronomia. Dentre as principais cidades estão Lima, Cusco e Arequipa.

Foto: Viagem e Turismo
 
Quanto aos custos de vida no país, os preços são bastante razoáveis. A moeda peruana, o novo sol, é um pouco mais valorizada que o real, mas a cotação ainda sim é muito atrativa: no dia 05/09/19, 1 sol peruano era equivalente a R$1,20. Em Lima, o custo de alugar um apartamento de um quarto no centro da cidade é de, em média, 1600 soles e o transporte gira em torno de 85 soles. Já a refeição em um restaurante simples pode sair por R$15 na capital. Em Cusco, o preço do curso intensivo de espanhol é de aproximadamente 140 dólares por semana, valor mais barato desta lista.
 

É importante mencionar, também, que os preços variam bastante a depender do estilo de vida de cada um e também da localização escolhida. Cidades menores são, normalmente, mais baratas para se viver do que capitais e grandes metrópoles. Além disso, existem outras opções de acomodação, como hostels e Airbnb, que podem sair mais em conta para quem deseja explorar esses países.


 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »