06/09/2019 às 16h42min - Atualizada em 06/09/2019 às 16h42min

Santificação de Dulce

Um dia dedicado a agradecimentos e reconhecimento por suas maravilhas

Gabriela Araújo - Editado por Letícia Agata
Foto: ARQUIVO JORNAL CORREIO*
O dia 13 de outubro será celebrado com muito festejo e alegria para devotos, católicos e admiradores da Irmã Dulce, pois neste dia será comemorada sua canonização no Vaticano. Conhecida por seus milagres, a beata é a terceira mais rápida a ser canonizada e a primeira mulher brasileira a conseguir o título.
Desde cedo manifestou o seu interesse pela vida religiosa. Aos 13 anos, Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes, começou a acolher os doentes e moradores em situação de rua em sua casa, na Rua Independência, localizada no bairro de Nazaré, em Salvador, Bahia. Sua residência passou a ser conhecida como A Portaria de São Francisco, pelo grande número de pessoas carentes que iam até o local.
A devota católica Rafaela Lopes, que segue os passos da religiosa há um ano, demonstra o significado dela em sua vida: “Irmã Dulce significa pra mim exemplo de santidade, humildade, paciência, caridade e, acima de tudo, amor, pois ela soube amar a Deus sobre todas as coisas e amar ao próximo, inclusive o nosso próximo que nós, hoje, ainda excluimos. Ela soube enxergar e cuidar do Cristo Abandonado em cada irmão que necessitava do seu cuidado. Costumo dizer pra mim mesma que Irmã Dulce alimentou os famintos de amor com o amor e que, assim como ela, eu possa fazer o mesmo: alimentar esses homens que têm sede e fome do amor verdadeiro”, declarou.

Milagres de Dulce
Segundo o portal G1 Bahia, publicado no dia primeiro de julho, a Arquidiocese de Salvador afirmou que o milagre que levou a Bem-Aventurada Dulce dos Pobres a ser canonizada foi a cura da cegueira de um homem que, depois de 14 anos, voltou a enxergar. O resultado intrigou até os médicos da época, pois foi constatada uma lesão que impedia o sentido da visão do rapaz.
O primeiro milagre dela reconhecido pelo Vaticano foi em outubro de 2010, ano em que foi beatificada. Essas e outras dádivas podem ser lidas no site das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID).

Coletiva
No dia primeiro de agosto, em Salvador, foi realizada uma coletiva de imprensa com o Arcebispo Dom Murilo Krieger, que revelou que, um dia após a canonização da Santa, haverá uma missa na Igreja de Santo Antônio dos Portugueses, em Roma, para agradecer o dom da Irmã Dulce. Já em Salvador, a celebração dessa dádiva será no dia 20 de outubro, na Arena Fonte Nova, e contará com o apoio da Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia.

Obras Sociais Irmã Dulce
Em 1959 foi inaugurada oficialmente a organização Obras Sociais Irmã Dulce, localizada no Largo de Roma, em Salvador. A organização conta com 17 especialidades, como urologia, mastologia, oncologia, entre outras. Além disso, há o Centro Cirúrgico e o Centro de Tratamento Intensivo 100% gratuito, através do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo o órgão, foram realizadas mais de 280 mil cirurgias nos últimos 25 anos.
Para celebrar a canonização, a OSID lançou um kit de boné e camiseta estampandos com a imagem da Santa e fitinhas do Bonfim, como forma de representação da capital baiana. Os acessórios devem ser usados no dia da comemoração e podem ser adquiridos na sede da instituição. Além desse conjunto, a organização publicou nas redes sociais uma música composta para cerimônia de canonização, intitulada “Doce Luz”, e disponibilizada no site das Obras Sociais.

Bahia
O governador da Bahia, Rui Costa, sancionou, no dia 04 de setembro, a lei n◦ 14.119, que define a data 13 de outubro como o Dia da Santa Irmã Dulce dos Pobres, a qual deverá ser celebrada todos os anos.
O dia 14 de agosto foi de comemoração para os cantores Tuca e Saulo Fernandes. A cerimônia, que contou com a presença de Maria Rita Pontes, superintendente da Obras Sociais Irmã Dulce, marcou a nomeação dos embaixadores oficias da Santa. Atrevessando essa nomeação, artistas baianos, como Ivete Sangalo, Durval Lelys, Luiz Caldas, Margareth Menezes e outros, gravaram um audiovisual homenagenando Dulce. O projeto chamado A Bahia Canta a sua Santa, pode ser visto nas redes sociais dos artistas e no Youtube.

Morte
Irmã Dulce faleceu no dia 13 de março de 1992, aos 77 anos, no Convento Santo Antônio, em Salvador. Depois de 27 anos de sua morte, Dulce veio a ser canonizada, sendo a terceira mais rápida, só ficando atrás da Santa Teresa de Calcutá, que foi canonizada 19 anos após a sua morte, e o Papa João II, 9 anos depois.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »