08/09/2019 às 19h34min - Atualizada em 08/09/2019 às 19h34min

A Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos é exemplo da história do Brasil

No século XVI os jesuítas criaram a Irmandade Nossa Senhora do Rosário dos Pretos para os escravos

Lucas Amorim - Editado por Letícia Agata
Lucas Amorim
     A Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos é uma das principais igrejas do centro de Maceió. Ela fica situada em frente à Travessa Rua do Sol com a Av. Moreira Lima, S/N, Centro, próxima da Igreja Nossa Senhora do Livramento. Com rico valor histórico e com grande importância para os fiéis, ela recebe dezenas de visitantes todos os dias, de turistas à moradores da cidade. As principais celebrações da igreja são o Dia de Nossa Senhora do Rosário, em 7 de outubro, e Corpus Christi, em 11 de junho.
 
História
     No século XVI, com influência de Portugal, os jesuítas criaram as Irmandades de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, para homens de cor e escravos. As irmandades trouxeram uma dimensão humana para os escravos, que eram vistos como bestas. Há controvérsias sobre a criação da irmandade, pois alguns estudiosos dizem que ela foi criada para suprir as novas necessidades da coroa portuguesa, que precisava de escravos socializados ao meio urbano.
     A Irmandade Nossa Senhora do Rosário dos Pretos se espalhou por todo Brasil. Em Alagoas, há três templos dedicados a ela: em Penedo, Marechal Deodoro e Maceió. A irmandade de Maceió tem, em seu Estatuto, 18 capítulos, aprovados em 4 de outubro de 1830, em Olinda, pelo Bispo D. Perdigão. Em 1840, o então presidente das Províncias de Alagoas, Visconde de Sinimbu, indicou o consistório da igreja como Assembleia Provincial, porém nunca foi usada para tal fim, pois os legisladores consideravam o local inadequado.
     Apesar de Maceió ser uma cidade da primeira metade do século XIX, suas características religiosas têm aspectos vistos em todo Brasil colonial. A cruz foi o primeiro símbolo do catolicismo popular brasileiro, seguido do oratório, das ermidas, capelas e igrejas. Antes de existir o templo, houve, primeiramente, um cruzeiro. Em seguida, uma capela que originou o prédio atual.
     O Padre Celso Alípio Mendes Silva fica na igreja pelo período da tarde, atende os fiéis para confissão e celebra a Santa Missa, às 16:30, todos os dias de segunda a sexta-feira. Ele explica como a igreja se tornou Santuário Eucarístico: “em 1945, houve o Congresso Eucarístico Provincial de Ação Católica. As três dioceses eram unidas: Maceió, Penedo e Aracajú. O congresso era muito falado. Vieram muitos oradores, muitos bispos e teve muita adoração eucarística. Como lembrança, foi instituído nessa igreja (Nossa Senhora do Rosário dos Pretos), o Santuário Eucarístico”.
 
Arquitetura
     A igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos é de arquitetura neoclássica, porém sua fachada sofreu influência do barroco brasileiro. Seu frontão deveria ser triangular, mas é em curvas. Como evolução do estilo neoclássico no Brasil, o nicho, que deveria ser no frontão, foi substituído por uma janela.
     O templo foi construído por negros escravizados e que tinham pouco recurso. Loterias foram feitas para arrecadar recursos a fim de finalizar a obra. Como consequência do baixo orçamento, sua arquitetura não tem um padrão estético e possui características de outras vertentes arquitetônicas, como o barroco. O seu coruchéu, presente na torre maio,r é revestido por cacos de pratos em azul e não azulejos.
     Verônica Farias frequenta a igreja há cinco anos e trabalha como voluntária no templo. Ela fala sobre a importância de Nossa Senhora do Rosário em sua vida: “eu tenho filhos e, como mãe, não tinha como fazer o que virgem Maria fez pelos meus filhos, porque teve momentos na vida que só ela foi capaz de fazer. Eu agradeço isso a ela e agradeço por ela ter me permitido esse amor que tenho a Nossa Senhora”.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »