09/09/2019 às 18h33min - Atualizada em 09/09/2019 às 18h33min

Bienal do livro quebra recorde de público com inclusão e diversidade em sua programação

Durante 10 dias o evento reuniu leitores e autores em programações diversas

Mylla Marcolino - Editado por Millena Brito
Assessoria Bienal do Livro Rio
Foto: Divulgação/ Bienal do Livro Rio
 

De 31 de agosto a 08 de setembro aconteceu, no RioCentro, Zona Oeste do Rio a XIX Edição da Bienal Internacional do Livro. O maior evento literário do Brasil chegou ao fim com mais 4 milhões de livros vendidos e reuniu leitores de todas as idades para uma imersão inovadora. Com espaços interativos e lúdicos, o público pôde além de comprar livros, assistir bate-papos engrandecedores e encontrar seus autores favoritos. Seguindo a tradição da homenagem aos países do mundo, esse ano o Japão foi o país escolhido pela organização do evento.

Pela primeira vez em 38 anos, o evento possui um espaço exclusivo para crianças - com contação de histórias, bate-papo e sessão de autógrafos. Além disso, o evento conta com uma assistência especial para pessoas com deficiências e autistas.

 

Conheça os espaços da #BienalRio:


Mauricio de Sousa e Mario Sérgio Cortella participaram do Encontro com Autores. Foto: Divulgação/ Bienal do Livro Rio

Mauricio de Sousa e Mario Sérgio Cortella participaram do Encontro com Autores. Foto: Divulgação/ Bienal do Livro Rio

Encontro com Autores

Aconteceu num auditório para 410 pessoas, foi um lugar ideal para um bate-papo descontraído e divertido sobre assuntos da atualidade. Nomes nacionais e internacionais de todas as idades e de públicos diversos foram convidados como Letícia Braga, Macoto Tezka, Mauricio de Sousa, Reshma Saujani, Nathalia Arcuri, Mário Sérgio Cortella, Breno Paquelet e Alexandra Gurgel.

Café Literário. Foto: Divulgação/ Bienal do Livro Rio

Café Literário. Foto: Divulgação/ Bienal do Livro Rio

Café Literário 

O espaço se desenha como um espelho da sociedade e do mundo dos livros. E nele cabem histórias inesgotáveis de um mundo inteiro. Há histórias sobre a escravidão no Brasil e suas marcas atuais. Sobre os avanços do feminismo e das discussões de gênero. Sobre a corrupção enraizada no dia a dia. Sobre autoritarismo e democracia. Sobre os desafios de pais e educadores para entender as mudanças do século XXI. Sobre a obrigação de ser feliz e também sobre a dificuldade de encarar o luto na era das redes sociais. Há espaço também para debater Monteiro Lobato e entender a tradição e modernidade encontradas na literatura do Japão.

Mesa

Mesa

Arena #SemFiltro

Local onde a literatura foi o ponto de partida para conversas sobre temas relevantes da juventude, tais como: cultura, empreendedorismo, games, futuro, afeto, lazer, fé, mídias, drogas, moda, padrões de beleza e identidade. Os convidados foram autores nacionais e internacionais, personalidades com vocação para construir narrativas nas diversas mídias. Foram recebidos nomes que vão de Giovanna Chaves a Luis Fernando Veríssimo, de Thalita Rebouças a Conceição Evaristo, de Projota a Mário Sérgio Cortella, de Geovani Martins a Ruy Castro, de Eduardo Spohr a Mark Manson, passando por Carina Rissi, Paula Pimenta, Sidarta Ribeiro, Luiza Marilac, Ana Maria Gonçalves, Rachel Lippincontt, Maria Ribeiro, Xico Sá, entre outros.

A mediação dos bate-papo ficou por conta dos curadores Ana Paula Lisboa, Bruno Levinson, Claudia Sardinha, Cléria Bessa, Felipe Cabral, Isabel Diegues, Leticia Pires e Rosane Svartman.

Fórum da Educação   Foto: Divulgação/ Bienal do Livro Rio

Fórum da Educação Foto: Divulgação/ Bienal do Livro Rio

Fórum da Educação 

Em sua 3ª edição, a programação voltada foi voltada para os maiores mediadores de leitura, os professores. Com a curadoria do LERCONECTA -  um coletivo de experiências, ideias, pessoas, leituras, encontros, que investe na Educação Cultural de professores, crianças e pais - foi apresentado um painel inspirador e motivador sobre o papel da Educação no novo tempo. Professores e referências da área foram convidados para fortalecer a rede e encarar o desafio de educar na contemporaneidade.

Espaço voltado para crianças.  Foto: Divulgação/ Bienal do Livro Rio

Espaço voltado para crianças. Foto: Divulgação/ Bienal do Livro Rio

Pela Estrada Afora...

Com a missão de incentivar o hábito de leitura para mudar o país, o espaço foi uma ótima porta para a entrada de crianças no universo encantado dos livros. O contato com a literatura desde os primeiros anos de vida é essencial para semear o interesse pela linguagem escrita.

As crianças entraram em um livro pop-up gigante. Foram quatro grandes ambientes repletos de surpresas, onde os livros ganham vida e as crianças são convidadas a sentir as histórias, tocando, ouvindo, lendo palavras e imagens, ampliando assim seu repertório.

As ilustradoras Mariana Massarani, Marilda Castanha e Anabella López foram convidadas para ambientar os espaços, potencializando a experiência leitora das crianças.


Além dos espaços oficiais, os stands das editoras tinham programação especial, que incluía sessões de autógrafos com autores e bate-papos. A Editora Intrínseca tinha um mini auditório para encontro de fãs, o Submarino montou maior stand magnífico, com um espaço reservado para  bate-papo com autores tais como, Luiza Trigo, Iris Figueiredo, Thalita Rebouças, Raphael Montes, Bruna Vieira, entre outros.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »