17/09/2019 às 19h37min - Atualizada em 17/09/2019 às 19h37min

Decisão e 1º de maio 'brigam' nos tribunais e paralisam série A2 do Pernambucano

Julgamento do caso será na sexta-feira (20)

Gabriel Amorim - Editado por Paulo Octávio
Decisão e 1º de Maio se enfrentaram na 5ª rodada; partida ficou empatada em 1x1. Foto: Juliane Peixinho/Globo Esporte
Série A2 do campeonato pernambucano, mais uma vez, teve de ser paralisada por uma polêmica envolvendo um de seus clubes. O time 1º de Maio entrou com mandado de garantia no STJD pedindo a suspensão do torneio. Presidente do clube, Josué Nascimento, quer que o Decisão perca os dez pontos que recuperou após uma série de decisões no tribunal, assim o seu time garante vaga na segunda fase. Julgamento do caso será nesta sexta (20). O Decisão foi punido por exceder o limite de transferências interestaduais permitidas na competição – segundo previsto em regulamento, a equipe poderia inscrever apenas quatro atletas vindos de outras federações estaduais. O clube chegou a perder a causa na primeira instância, mas reverteu a situação em segunda instância e recuperou os pontos que havia perdido com a punição imposta pelo TJD-PE.

Nascimento alega que o Decisão infrigiu o paragrafo 4º do artigo 6º. Este trecho do regulamento  explica que cada agremiação pode escalar apenas quatro atletas de outros estados.  Caso o STJD dê causa ganha para o 1º de Maio, o Decisão cai da terceira colocação para a oitava e última posição com apenas dois. E o 1º de Maio se classificaria para a segunda fase da competição; na primeira fase da competição a equipe petrolinense ficou em sétimo na tabela. Os clubes foram notificados da paralisação momentos antes de entrarem em campo para a abertura da primeira rodada da segunda fase da competição.


Mas essa não foi a primeira vez que esse tipo de caso aconteceu na competição. Em 2015, a equipe do Belo Jardim tinha sido eliminada após perder 12 pontos no tribunal. Motivo foi a escalação de cinco atletas contra as equipe de Afogados e Petrolina, que extrapolaram a quantidade de jogadores nascidos até o ano de 1993. Posteriormente, equipe conseguiu uma liminar e paralisou as semifinais da Série A2. Outro clube que recorreu naquele ano foi a do Afogados, que após perder 18 pontos pela escalação irregular do atleta Romário, conseguiu uma liminar e reverteu sua situação na competição. Os dois times pegaram as vagas de Petrolina e Araripina nas semifinais, respectivamente. Ao fim do imbróglio, o Belo Jardim acabou sagrando-se campeão daquela edição.
 
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »