20/09/2019 às 17h21min - Atualizada em 20/09/2019 às 17h21min

As Cores do Solar do Unhão

Gabriela Araújo - Editado por Mário Cypriano
Foto: Camile Akiyama
Ao chegar no Solar do Unhão, é impossível não notar as cores e os grafites que estampam as paredes nas casas dos moradores. Localizado na Comunidade do Solar do Unhão, bairro da Gamboa de Baixo, o Museu de Street Art de Salvador (MUSAS) é responsável por colorir os quatro cantos da região.

Dentre as principais atividades desenvolvidas estão os grafites, intervenções realizadas a céu aberto e na sede do museu, onde também funciona a casa dos pescadores. Júlio Costa, 38, um dos idealizadores do MUSAS, afirma que a ação é colaborativa e que a comunidade também faz parte do projeto. Muitas vezes quando algum grafite não agrada aos moradores, eles recorrem aos artistas para relatar as suas opiniões. O mesmo acontece quando algum grafite que toda a comunidade gosta é apagado. "Eles são, na verdade, o que a gente chama de curador, comunidade curadora", afirma.

Além dos grafites, marca registrada do projeto, atividades como exposições, exibições de filmes e oficinas são oferecidas para a comunidade e visitantes, que além de contemplados pelas ações desenvolvidas, serão abraçados pela vista da Baía de Todos-os-Santos.

Após a instalação, muitos turistas e visitantes locais interessados na Arte Urbana passaram a visitar a comunidade à procura do museu. A estudante Letícia Conceição, 18, frequentadora da Gamboa de Baixo, ressalta a importância do museu para a comunidade. ''É uma arte da favela e para a favela. O fato crucial é que está localizada numa área predominantemente preta e pobre, e isso é bom demais, já que a visibilidade da arte periférica ainda é baixa'', conta.

E você? Está esperando o que para fazer uma visita?

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »