21/09/2019 às 12h09min - Atualizada em 21/09/2019 às 12h09min

Setembro Amarelo: a música como válvula de escape

A banda Teorias do Amor Moderno divulga a música “Ansiedade” e o foco é a conscientização social sobre a saúde mental

Jéssica Natacha - Editado por Mário Cypriano
Assessoria de imprensa da banda e Larissa Alves
Foto: Divulgação / Teorias do Amor Moderno

Setembro Amarelo surgiu com o intuito de conscientizar a sociedade sobre o suicídio e quais os métodos de prevenção. A ansiedade e a depressão são pontos-chave a serem discutidos. Não dá para fechar os olhos e deixar para lá! O assunto precisa ser compartilhado cada vez mais, ampliando as redes mundiais para a quebra de tabus.  

Os indivíduos sofrem, muitas vezes, por não saberem como agir ou a quem procurar. É uma doença séria e não deve ser tratada como vitimismo. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o suicídio acontece, na maioria das vezes, entre jovens de 15 a 29 anos – sendo maior o índice para homens e idosos acima de 70 anos. Ainda, segundo a OMS, o Brasil está em oitavo lugar dentre os países com maior número de suicídios.

Em setembro de 2017, o Ministério da Saúde lançou uma agenda estratégica para a redução dos óbitos em 10% até 2020. Além disso, foi ampliado a rede de assistência de saúde mental pelo país. Também foi criado um Plano Nacional de Prevenção do Suicídio: o Centro de valorização da vida (CVV),  equipado com profissionais para atendimento ao público em território nacional, atendendo 24h por dia pelo número 188. A ligação é gratuita! 

Teorias do Amor Moderno é uma banda formada por amigos, que começou com o incentivo da vocalista Larissa Alves. Ela montou o projeto inicial em 2007, porém, somente em 2011 a carreira começou a fluir. O intuito da banda é transmitir, através das canções, palavras de apoio, positividade, conforto e carinho. As letras são autobiográficas e a música “Ansiedade” é o segundo single do EP Trilátero, lançado em fevereiro de 2019 e transformado em videoclipe em sintonia com a campanha do setembro amarelo. Há dois anos, a banda é formada por Larissa Alves (vocalista), William Vazquez (baixista) e Maurício Rios (baterista).

Larissa Alves, vocalista da banda Teorias do Amor Moderno, concedeu entrevista ao Lab Dicas de Jornalismo. Ela relata um pouco de sua vivência e como a música ajuda no combate a depressão. 

Jéssica Natacha: O que te levou a compartilhar uma autobiografia através da música "Ansiedade"? Conte-nos um pouco a sua história!

Larissa Alves: Minhas composições num todo são muito autobiográficas.A diferença em "Ansiedade" para as outras é que nela não existiu nenhuma parte "poética", cada frase dela é real. Eu não precisei adequar palavras, nem rimas de versos sabe? (risos). Ela é a minha verdade desde a primeira palavra até a última. 2017 foi um ano um tanto complicado pra mim, onde desencadeou as minhas crises de ansiedade, iniciei terapias e tive ajuda e carinho das pessoas próximas a mim. Elas fizeram com que hoje eu encare a ansiedade de uma outra forma. E é disso que a música fala, sobre como o amor e carinho das pessoas que te querem bem, te ajudam a reverter o cenário. 

JN: Como alertar as pessoas sobre um assunto tão delicado como a ansiedade e depressão? E como fazê-los entender sobre um assunto tão pertinente e sério? 

LA: Temos que falar cada vez mais sobre, temos que mostrar que é real e o quanto as pessoas sofrem. A sociedade precisa aprender a diagnosticar quando ver alguém próximo passando por esses problemas, pois ele será peça chave na recuperação dessa pessoa. Tem que ser cada vez mais escancarado o assunto, pra deixar de ser tabu. 

JN: As faixas do EP "Trilátero" são definidas por cor. Qual o propósito disso? 

LA: É consequência das próprias músicas. As cores trazem sensações e emoções, elas falavam tanto pra nós, que houve necessidade de externalizar além da audição e então colocamos as cores que já existiam nessas músicas, pra fora delas.  O amor que é representado pela cor rosa, que é a cor que representa a representa, a ansiedade é representada pelo cinza e o amarelo, não é à toa que a música “Ansiedade” seja representada pela campanha do setembro "amarelo", e a cor laranja  representa alegria, humor, entusiasmo, que é sobre o que Rua Augusta fala. 

JN: Acredita que a música pode ajudar na conscientização sobre a causa? 

LA: Com certeza! Ela tem o intuito de mostrar essa "Luz no fim do túnel", a gente precisa ter força pra enxergá-la, mas ela tá ali, ao lado do amor das pessoas que nos querem bem.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »