28/09/2019 às 15h21min - Atualizada em 28/09/2019 às 15h21min

Toques de natureza e a Dior apresenta a pauta ambiental na PFW

Com um desfile de tirar o fôlego, Dior lança a clássica camisa social de volta ao armário das fashionistas.

Beatriz Oliveira ; Editado por Luana Bastos
Nos últimos dias todos os olhares da moda se voltam a Paris, a semana de moda encera a temporada primavera/verão 2020 e fecha o mês mais importante para as revistas de moda, setembro. Considerada a mais brilhante e elegante de todas, a PFW reúne as principais maison do cenário atual.

Durante esses dias o mundo é apresentado a tradicional moda francesa e passa a conhecer as principais tendências das alta costura com  as assinaturas mais importantes e renomadas como Chanel, Christian Dior, Alexander McQueen, Givenchy, Louis Vuitton, Yves Saint Laurent e outras. É também nesse momento que as fashionistas podem desfilar pela última vez suas tendências no Carrousel du Louvre ou as margens do rio Siena.

Um dos desfiles mais aguardados era o da tradicional casa de moda Dior, e não deixou a desejar, a maison apresentou um verdadeiro espetáculo impecável, do cenário as peças, passando pelos sons e todas sensação a quem assistia. A coleção da Dior trouxe para semana de moda o seguinte questionamento: a natureza e sua relação com o homem.

A temática foi toda inspirada na natureza e na paixão de Christian Dior, fundador da grife, em jardinagem. E nas fotografias de sua irmã, Catherine Dior, a botânica sempre posava rodeada de flores, Miss Dior, como era chamada, foi uma personagem importante para história da marca.

DIOR 2020

DIOR 2020


Fonte: Vogue

O cenário do desfile da Dior foi criado em colaboração com o Coloco, coletivo de botânicos, jardineiros e paisagistas urbanos. A pegada sustentável esteve presente na passarela, que contou com 164 árvores para compor o local, que serão replantadas na capital francesa para reforçar a arborização da cidade.

A ideia de um "jardim inclusivo" da Dior tinha como objetivo promover a necessidade da diversidade de plantas e  fomentar o debate em resposta às mudanças climáticas, que também são influenciadas pela industria de moda e o consumo desenfreado com o fast fashon.

A designer Maria Grazia Chiuri, primeira mulher a comandar a direção criativa da Dior, grife criada em 1946, também apresentou nas peças a preocupação da marca com a natureza e a crise climática. As peças apresentaram tecidos naturais, em palha, ráfia e algodão, texturizada e artesanais. A silhueta vitoriana clássica e característica da marca também estava presente acinturada e fluida, com acessórios pesados e coturnos.

E a peça-chave da Dior nesse verão foi a camisa social masculina, em um azul bic, a camisa com botões apareceu em 13 looks, as combinações transitaram entre o tradicional terninho à saia longa e sobreposições ousadas, por baixo de vestidos e jardineiras. A peça de alfaiataria ganhou uma versatilidade especial e promete ser a principal tendência da marca para a próxima estação.

DIOR 2020

DIOR 2020


Fonte: Vogue

As peças foram bordadas e estampadas com elementos que remetem a natureza, como os ramos, folhagens e flores. O DNA clássico da Dior apresentou doses de fluidez, peças contemporâneas, transparência, tons brancos e leveza para o verão, sem deixar de lado os itens mais mais rústicos e pesados apareceram com a alfaiataria e a histórica padronagem pied-de-poule em cores terrosas e bege.

DIOR 2020

DIOR 2020


Fonte: Vogue

DIOR 2020

DIOR 2020


Fonte: Vogue

Conjuntos jeans, saias plissadas e longas, macacões e jardineiras estão na coleção da Dior. O jeans com lavagens desgastadas e tie-dye foram um dos destaques. Junto com os acessórios protagonistas do desfile, os chapéus de palha e cintos. As cores também estavam presentes e se misturavam em peças únicas em uma harmonia perfeita.

DIOR 2020

DIOR 2020


Fonte: Vogue

Mais uma vez, uma das marcas mais famosas mundialmente fez um desfile de tirar o fôlego e mostrou que a moda também se preocupa com as causas ambientais.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »