05/11/2019 às 09h33min - Atualizada em 05/11/2019 às 09h33min

A expansão do universo Turma da Mônica

Gibis, graphic novels, live-action, jogo para PC e console, Turma da Mônica Jovem na televisão... ufa

Carolina Rodrigues - Editado por Bárbara Miranda
FONTE: Divulgação (via Quizur)
Quando Maurício de Sousa colocou no papel a primeira edição da “Turma da Mônica” em 1970, talvez ele não imaginasse as proporções que a revistinha teria. Derivada de Franjinha e Bidu (1959), Cebolinha, Cascão e, por fim, a personagem principal, Mônica, Maurício criou um império que hoje, segundo a Maurício de Sousa Produções (MSP), tem uma tiragem mensal de 2,5 milhões de gibis.

Primeiro, a versão animada da turminha foi parar nas telas da TV na década de 1970. Duas décadas mais tarde, devido ao grande sucesso, foi inaugurado o Parque da Mônica em São Paulo – em 1987, mais de 5 milhões de revistinhas eram vendidas mensalmente.

Um sucesso estrondoso que hoje se reflete em novos projetos. Além dos gibis, a MSP também investe em novas produções, acompanhando as tendências do momento.
 

A Mônica e sua turma cresceram...

FONTE: Adoro Cinema.
 
Algum tempo mais tarde, com a crescente tendência do estilo mangá, a MSP dá um grande passo ao lançar, em 2008, a Turma da Mônica Jovem. Sucesso até hoje, e vendendo mais do que os próprios gibis da turminha mais nova, a TMJ tem mais de 100 edições lançadas.

E hoje, 11 anos mais tarde, a Turma da Mônica Jovem estreiam uma série animada lançada em parceria com o canal Cartoon Network.

A animação estreia dia 7 de novembro, próxima quinta-feira e mostrará a turma enfrentando percalços da adolescência, ao trazer reflexões sobre bullying, comportamento, uso de redes sociais, dentre outros temas. Estão confirmados 13 episódios para essa primeira temporada.
 

Mônica nos videogames

A MSP sempre investiu em tendências do momento. No final dos anos 1990 não foi diferente. Conforme a turma ganhava cada vez mais prestígio, o Portal Turma da Mônica estava no ar. Um site de aparência bem simples, repleto de games que faziam qualquer criança passar a tarde inteira jogando. (Eu, aliás fui uma delas!).

Ano passado, o jogo “Mônica e a Guarda dos Coelhos” foi lançado para PCs e consoles. É possível jogar individualmente ou em grupos de até quatro jogadores que podem escolher Mônica, Magali, Cebolinha e Cascão.

Cada jogador tem uma tarefa diferente e todos juntos são responsáveis por proteger a torre principal.
 


Novos personagens

Mais representatividade é o que a sociedade em que vivemos clama. Neste ano foram anunciados dois novos personagens que entraram para a turma.

O menino Edu tem nove anos e possui uma doença genética rara chamada Distrofia Muscular de Duchenne (DMD). O personagem foi lançado no Congresso Paulista de Pediatria deste ano.

Já Milena é a personagem negra que estava faltando. Cheia de autoestima e defensora dos animais, ela causou boas respostas nas redes sociais da Turma da Mônica.

Em entrevista ao UOL Geek, Mônica Sousa, diretora-executiva da MSP, disse que muitas vezes o público clamou por uma personagem negra em quem pudessem se espelhar. Para ela, Milena é uma personagem de extrema importância, por trazer representatividade ao público. “Agora podem se reconhecer também na Milena”, afirmou.

Toda a turma para além do tradicional

Além das histórias da Turma da Mônica em si, a Maurício de Sousa Produções também investe na criação de histórias alternativas, as graphic novels.

O projeto é derivado da primeira graphic novel MSP 50, lançada em 2009 como comemoração dos 50 anos de carreira de Maurício de Sousa. Deu tão certo, que deslanchou. A novel mais conhecida virou filme, Turma da Mônica: Laços, de Lu Cafaggi e Vitor Cafaggi. Com ela, o projeto do MSP ficou de fato popular.

Foram lançadas graphic novels de diversos personagens como Astronauta, Bidu, Piteco, Chico Bento, Papa-Capim...

Tina –  Respeito, de Fefê Torquato, chamou a atenção por se tratar de um tema de extrema relevância social, assim como o recém indicado ao prêmio Jabuti, Jeremias: Pele, roteirizado por Rafael Calça e ilustrado por Jefferson Costa.

Na graphic novel de Tina, acompanhamos a recém-formada jornalista realizando seu sonho de trabalhar numa redação. Nesse ambiente, porém, como a sinopse diz, “ela só não esperava que seu maior desafio fosse ser pessoal, e não profissional”. Tina é vítima de assédio.

Em Jeremias: Pele, acompanhamos Jeremias lidando pela primeira vez com preconceito por causa da cor da sua pele. “A história é recheada de dor, superação, aprendizado e preparação para a vida”. A história é tão forte e bem escrita que está entre os cinco finalistas do prêmio Jabuti, maior premiação literária do Brasil, na categoria história em quadrinhos.
FONTE: Folha de São Paulo.
 

REFERÊNCIAS

LUISA, Ingrid. O plano realmente infalível de Maurício de Sousa. Disponível em: <https://super.abril.com.br/especiais/o-plano-realmente-infalivel-de-mauricio-de-sousa/>. Acesso em 3 de out de 2019.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »