13/11/2019 às 07h30min - Atualizada em 13/11/2019 às 07h30min

Netflix lança terceira temporada de Atypical

Novas mudanças e decisões afetam a vida de Sam, de sua família e amigos

Neila Grenzel - Editado por Letícia Agata
Crédito: divulgação
Nessa temporada, a série consegue manter o ritmo e, como característica, traz diferentes reflexões. Atypical, que gira em torno de Sam Gardner, jovem diagnosticado com autismo, mantém a proposta em mostrar que dificuldades nas relações sociais não é um problema restrito a pessoas dentro do espectro autista. Para os leitores, este texto pode conter spoilers.

Na terceira temporada, Sam Gardner passa por grandes mudanças. Após dizer "eu te amo" à Paige, ele reata seu relacionamento com sua ex-namorada de treino, o que logo se torna um namoro à distância, pois ambos vão para faculdades diferentes. É interessante ver a adaptação de cada um com o ambiente universitário. Paige, apesar de sempre bem resolvida e planejada na época escolar, passa por dificuldades em fazer novos amigos, o que interfere diretamente em sua vida pessoal e educacional. Sam, apesar do medo e esforço extremo em encontrar uma nova “turma”, se sai bem. É curioso observar a relação de Sam com seus novos professores.

No núcleo familiar, Casey, a irmã mais nova de Sam, já se adaptou a nova rotina na escola particular, mas como a vida não para, novas descobertas desenrolam. Na temporada anterior foi deixado rastros de uma possível paixão de Casey por sua amiga Izzie. Nos novos episódios, esse amor se desdobra com todos os desafios que envolvem a relação. Lembrando que Casey namora o Evan, e ela não poderia ter escolhido melhor (provavelmente você vai chegar nessa conclusão ao final da terceira temporada).

Os pais de Sam, Doug e Elsa, tentam se recuperar de uma crise após uma traição. É nítido que Elsa é quem mais se esforça, talvez por isso ela chegue à conclusão que o único caminho é a separação, o que não agrada a Doug em primeiro momento. Mas, estranhamente, essa escolha causa o efeito contrário. A relação dos dois demonstra que relacionamentos longos não são fáceis e que o amor não é a única variável. Filhos, alegria, tristeza, motivação, desmotivação, segurança, insegurança, valorização, e desvalorização, interferem diretamente. Em momento de crise não existe uma pessoa certa e outra errada. Relações são complexas e mais complexo ainda é manter uma.

Outro personagem com destaque na vida do Sam é Zahid, seu melhor amigo que conheceu no trabalho. Zahid também começa a faculdade e começa a namorar. A garota se revela controladora e é o estopim para o fim de uma amizade. Quando Sam resolve dedurar ao chefe que a namorada do amigo assaltou a loja em que trabalham, Zahid resolve se afastar. O afastamento afeta Sam, que sempre teve Zahid como apoio, principalmente em momentos de crise. Mas uma promessa feita por Sam de não deixar o amigo ferrar com o curso de enfermagem, ironicamente, não deixa que a amizade dos dois se “ferre”.

Em 10 episódios, a nova temporada consegue prender o público em uma maratona e mantém o frescor da primeira temporada. Uma série que vai além do entretenimento. Através do audiovisual, ficção e pitadas de humor, constrói debates significativos para os dias atuais. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »