15/01/2020 às 10h16min - Atualizada em 15/01/2020 às 10h16min

Com fusão, franquia Red Bull "dá asas" à equipe do interior paulista

Com mais de R$ 200 milhões disponibilizados para contratações, Red Bull Bragantino surge como nova aposta do campeonato e visa conquistas a longo prazo

Tamires Zinetti - Editado por Paulo Octávio
Foto: Divulgação/RB Bragantino
Em abril de 2019 foram necessários R$ 50 milhões de reais para que a fusão entre a marca de bebidas energéticas austríaca, Red Bull, e o time do interior paulista Bragantino se concretizasse. O Red Bull Bragantino não só ganhou asas, como também voou direto para o acesso da elite do futebol nacional, já que conquistou o título da Série B. A parceria traz benefícios para ambos, para o Red Bull com a oportunidade de acelerar os projetos e chegar à Série A. Já o time de Bragança Paulista ganha um “respiro” financeiro pois o clube contava com dívidas e também não disputava a elite do futebol nacional desde 1998, ano em que foi rebaixado. 

Os jogadores contratados para esta temporada reforçam o modelo da franquia Red Bull no mundo, como na Alemanha (RB Leipzig), Áustria (RB Salzburg) e Estados Unidos (New York Red Bulls). A ideia é que jovens jogadores em potenciais sejam identificados,  contratados e posteriormente vendido por um alto valor no futuro.

Dois exemplos recentes são das vendas do Red Bull Salzburg da Áustria, que vendeu dois jovens talentos; o japonês Takumi Minamino, 24, para o Liverpool, e o norueguês Erling Haaland (19) para o Borussia Dortmund.  Segundo o Daily Mail,  jornal britânico, a empresa não foca apenas no dinheiro, mas  em construir um “império mundial” de fabricação de talentos esportivos.

No Brasil, o Red Bull Bragantino segue a mesma filosofia de contratação de jovens promessas com menos de 25 anos e já conta com o zagueiro Léo Realpe (18), o lateral esquerdo Luan Cândido (18), o volante Matheus Jesus (22), o meia Thonny Anderdon (22) e os atacantes Arthur (21) e Alerrando (19). O time também tenta a contratação do goleiro Cleiton, de 22 anos da seleção brasileira Sub- 23 e que pertence ao Atlético MG. O arqueiro tem multa de R$ 18,5 milhões e também é pretendido pela Inter de Milão (ITA).

Em entrevista ao jornal LANCE, Thiago Scuro, CEO da parceria entre Bragantino e Red Bull, conta que as contratações visam um modelo de jogo mais técnico e a ideia é que o time dispute a primeira parte da tabela, mas também adota cautela ao falar de metas principalmente relacionadas a disputa da Libertadores.
 "Nós esperamos que o time brigue na ponta de cima da tabela, em três ou cinco anos. Então precisamos dar continuidade não só as ideias, mas nos jogadores também", afirmou.  
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »