20/01/2020 às 21h30min - Atualizada em 20/01/2020 às 21h30min

Itaú Cultural apresenta a mostra “Ocupação Alceu Valença”

Nesta 48ª edição da Ocupação, o espaço Itaú Cultural homenageia o cantor e compositor pernambucano

Jéssica Natacha - Editado por Mário Cypriano
Itaú Cultural
(Foto: Divulgação / Enciclopédia Itaú Cultural - Alceu Valença)

A “Ocupação Alceu Valença” teve início em 14 de dezembro de 2019 e permanece em exposição até o dia 02 de fevereiro, no Itaú Cultural, localizado na Avenida Paulista. Ao adentrar o espaço, o público se depara com fotografias nas paredes que já começam a trilhar os grandes momentos vividos pelo cantor, compositor, instrumentalista e advogado Alceu Paiva Valença.  

A mostra é composta por espaços semelhantes, porém, cada ambiente conta um pedacinho da vida e dos lugares habitados por este artista eletrizante. As paredes apresentam autorretratos do compositor e instrumentalista, fotografias com a família, amigos, time de futebol e os trechos de suas canções.  

Buscando a inclusão, em cada ambiente existem telas abaixo das obras que transmitem vídeos sobre cada imagem ao redor do espaço, auxiliando visitantes com deficiência auditiva. Ao final de cada experiência, depoimento, canção e relato do próprio Valença, o ouvinte recebe explicações detalhadas sobre os retratos ao redor.

A interatividade com as obras é fascinante! Um dos espaços permite que o público ingresse no mundo cibernético por meio de uma experiência 3D, com duração de seis minutos – a realidade virtual é uma narrativa do artista sobre moradia, família e lugares por onde passou, transmitindo um trecho de um dos seus shows ao final. 

Os visitantes que já passaram pela mostra ficaram deslumbrados ao conhecer um pouquinho mais sobre a história deste grande artista da música brasileira.  
 

O ARTISTA 

Alceu Paiva Valença, mais conhecido como Alceu Valença, é cantor, compositor, instrumentista e advogado. Nasceu em 1946 no interior de Pernambuco, na cidade de São Bento do Una. Desde pequeno interessava-se pela música. As referências musicais nordestinas ficaram por conta do eterno Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Marinês, que ajudaram em seu desenvolvimento. O avô Orestes Alves Valença era poeta e violeiro, e foi uma peça importante para a formação do artista.  

Alceu formou-se em Direito em 1969, porém, desistiu da carreira para seguir com a música e, a partir daí, fora buscar irradiar as pessoas com sua energia contagiante. O Álbum de estreia "Quadrafônico" (1972), foi em parceria com Geraldo Azevedo, no início censurado, mas tempos depois, as canções virariam clássicos. Depois disso, foi um sucesso atrás do outro, rendendo ótimas premiações, filmes e um livro de poesias. 
 

 SERVIÇO 

Local: Itaú Cultural – Avenida Paulista, 149, São Paulo, SP - Próximo à estação Brigadeiro de metrô 
Dias e horários: Terça a sexta, das 09h às 20h – com permanência até às 20h30. 

                            Sábado, domingo e feriado, das 11h às 20h 

Entrada gratuita – sujeito a lotação / piso térreo

Livre para todos os públicos. 

A exposição ficará disponível ao público até 02 de fevereiro (domingo). 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »