27/02/2020 às 00h38min - Atualizada em 27/02/2020 às 00h38min

Maria Sharapova diz adeus ao Tênis

A russa se despede das quadras e deixa um legado com cinco Grand Slams e um bronze olímpico

Dara Oliveira - Editado por Paulo Octávio
Foto: REUTERS/Christian Hartmann
A tenista Maria Sharapova anunciou nesta quarta-feira (26) sua despedida do esporte profissional. No artigo publicado na revista Vanity Fair, a atleta percorreu sua trajetória esportiva, enfatizou a importância do tênis na sua vida, e apontou as incontáveis lesões sofridas como sendo os motivadores da decisão. Perto de completar 33 anos de idade, a russa sai de cena como um dos grandes nomes do tênis mundial. No artigo intitulado “Tênis - estou me despedindo”, a esportista fez uma reflexão acerca da própria carreira, desde o início quando ainda era apenas uma criança. Ela também aborda seus dias de glória dentro das quadras e finaliza com uma despedida da carreira profissional.

"Ao dar minha vida ao tênis, o tênis me deu uma vida. Vou sentir falta todos os dias. Vou sentir falta do treinamento e da minha rotina diária acordar de madrugada, amarrar o sapato esquerdo antes do direito e fechar o portão da quadra antes de acertar minha primeira bola do dia. Vou sentir falta da minha equipe, dos meus treinadores. Vou sentir falta dos momentos sentada com meu pai no banco da quadra de treino. Os apertos de mão – ganhando ou perdendo – e as atletas, sabendo ou não, que me pressionaram a dar o meu melhor", conta a agora ex-tenista. A esportista ainda declara estar pronta para os desafios futuros. “Olhando para trás agora, percebo que o tênis tem sido minha montanha. Meu caminho foi cheio de vales e desvios, mas as vistas de seu pico eram incríveis. Depois de 28 anos e cinco títulos de Grand Slam, estou pronta para escalar outra montanha – para competir em um tipo diferente de terreno”.

TÍTULOS, LESÕES E POLÊMICA

O primeiro Grande Slam da russa foi conquistado em 2004, quando ela esava com 17 anos. Em 2005, a esportista assumiu pela primeira vez o topo do ranking mundial da categoria, posição que ela voltaria a ocupar em outras quatro ocasiões ao longo da carreira. Em 2006, no Aberto dos Estados Unidos veio o segundo Slam. No Aberto da Austrália, em 2008, o terceiro. E os dois Roland Garros, em 2012 e 2014, fecham o ciclo de Slams. Sharapova também conquistou uma medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres.

Mas, mesmo com os troféus e o reconhecimento, a carreira de Sharapova foi marcada pelas lesões. Em 2007, foi constatada a primeira fratura no ombro direito, o qual foi submetido a duas cirurgias. Com o passar dos anos, as lesões só se multiplicaram e tornaram inevitável o afastamento da atleta do tênis. Já em 2016 a polêmica tomou conta da carreira da esportista. O exame antidoping realizado durante o Aberto da Austrália revelou que Sharapova utilizava a substância Meldonium. O episódio rendeu seu afastamento do esporte por dois anos.

Ao se despedir, a ex-atleta publicou em suas redes sociais uma foto de infância na qual aparece segurando uma raquete. Na legenda, ela declara “O tênis me mostrou o mundo – e me mostrou do que eu era feita. Foi assim que me testei e como medi meu crescimento. E assim, independentemente do que eu escolher para o meu próximo capítulo, minha próxima ‘montanha’, ainda estarei me esforçando. Ainda vou evoluir. Eu ainda estarei crescendo”. 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »