01/04/2020 às 19h00min - Atualizada em 01/04/2020 às 19h00min

O futuro das premiações com a pandemia do Coronavírus

Cerimônias buscam alternativas para avaliar e assistir aos filmes

Júlia Victória - Editado por Bárbara Miranda
Com a pandemia do Covid-19, diversos filmes tiveram seus lançamentos adiados e gravações de séries foram interrompidas. Com essa ausência de produções e a incerteza de quando a situação será tranquilizada, um segmento da indústria fica comprometido e com o futuro indefinido: as premiações.
 
Elas dependem desses lançamentos e renovações, mas esse lapso de conteúdo faz com que todas enfrentem um grande problema. Cerimônias como a do Globo de Ouro e o Oscar privilegiam longas que foram lançados primeiramente nos cinemas. Se essa regra for mantida, os estúdios e as próprias premiações serão muito prejudicados, já que não há filmes em exibição e as salas estão fechadas por tempo indeterminado.
 
Com esse obstáculo pela frente, os organizadores se viram obrigados a repensar os meios de avaliação dos filmes. A Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, por exemplo, decidiu mudar as regras para a cerimônia do Globo de Ouro de 2021. A HFPA, sigla da associação em inglês, anunciou que não será obrigatório o lançamento dos longas primeiramente nos cinemas. As distribuidoras vão poder transmiti-los em formatos diferentes como em streaming, TV aberta e a cabo.E Mesmo assim poderão competir nas categorias cinematográficas.
 
Esse novo regulamento deve valer, inicialmente, para as produções que estreariam de 15 de março a 30 de abril. Contudo, a HFPA cogita a expansão desse prazo já que os números da doença aumentam diariamente e os EUA são o novo epicentro da pandemia no mundo.
 
Anteriormente, os estúdios deveriam organizar uma sessão especial voltada apenas para os 90 membros da Associação. Essa determinação também foi temporariamente anulada. Em vez da exibição presencial, os responsáveis pela produção do filme vão poder enviar links ou cópias digitais para os afiliados da HFPA.
 
O Globo de Ouro é uma das premiações mais importantes, pois abre o calendário das cerimônias e serve de termômetro para o grande evento da temporada, o Oscar. A celebração dos maiores êxitos cinematográficos do ano também deve sofrer alterações. A Academia está analisando o crescimento do coronavírus e, assim como o Globo de Ouro, deve mudar a maneira de avaliação dos filmes. Por enquanto, nenhum comunicado oficial foi feito, mas sabe-se que os organizadores estão discutindo medidas para que a entrega da estatueta aconteça ano que vem e que tenha concorrentes suficientes.
 
Já no universo das séries não é diferente. As gravações de The Morning Show, The Handmaid's Tale, The Witcher, Fargo e de várias outras foram interrompidas. A premiação que coroa as melhores produções da TV e do streaming também deve ser afetada.
 
Academia Nacional de Artes e Ciências Televisivas dos EUA anunciou o cancelamento do Daytime Emmys, que premia as produções americanas televisionadas antes das 18h.  Já para a cerimônia principal, o Primetime Emmys, não foi divulgado nenhuma informação.
 
Outra premiação que teve de ser alterada por conta da pandemia foi Tony Awards, conhecido como o “Oscar do teatro”. O evento estava programado para o dia 7 de junho, mas foi adiado sem uma data definida. A versão britânica do prêmio, o Olivier, também foi suspenso.
 
Essas suspensões acompanharam os cancelamentos de diversos espetáculos da Broadway (nos EUA) e em West End (na Inglaterra).
 
REFERÊNCIAS
 
OMELETE. Tudo o que já foi cancelado na cultura pop por causa do coronavírus. Disponível em: https://www.omelete.com.br/quarentena-coronavirus/coronavirus-tudo-o-que-foi-cancelado#5. Acesso em 01 de abril de 2020.
 
UOL. Globo de Ouro muda regra e filmes não precisarão passar primeiro no cinema. Disponível em: <https://www.bol.uol.com.br/entretenimento/2020/03/26/globo-de-ouro-no-coronavirus-filmes-nao-precisarao-estrear-1-no-cinema.htm?cmpid=copiaecola>.Acesso em 01 de abril de 2020.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »