03/04/2020 às 12h30min - Atualizada em 03/04/2020 às 13h30min

Cataratas do Iguaçu: o destino do mundo está diferente

Bruna Gonçalves - Editado por Jéssica Belo
Imagem de Cassiano Rolim/RPC.

Considerada uma das sete maravilhas naturais do mundo, as Cataratas do Iguaçu atrai turistas de vários países. Todos querem passar por essa experiência em meio a natureza, que além de deslumbrar os olhos com tanta beleza, deixa a alma e o corpo mais leve. 

Em todo o estado do Paraná, desde de Junho de 2019 até Março deste ano, os registros apontam chuvas abaixo da média. Júlio Gonchorosky, diretor de meio ambiente e ação social da Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná), explicou que todos os rios do estado estão sofrendo e essa, pode ser considerada “uma das estiagens mais severas dos últimos 50 anos”, disse Júlio.

O Rio Iguaçu, que nasce na capital do estado e deságua em Foz do Iguaçu, é considerado o maior do estado. A Copel (Companhia Paranaense de Energia) responsável pelo monitoramento hidrológico do rio, divulgou que nesta quinta-feira (02), a vazão do posto hidrométrico Hotel Cataratas, às 14h foi de 259 mil litros de água por segundo - Um valor muito baixo levando em conta que a vazão normal é de 1,5 milhão.
 

Imagem de Cassiano Rolim/RPC.

Imagem de Cassiano Rolim/RPC.

O cenário conhecido mundialmente teve mudanças significativas nos últimos dias. As 275 quedas, agora contam com águas em um nível bem mais baixo, os paredões de rochas aparecerem e o barulho que dava pra ouvir a quilômetros de distância, está ficando baixinho... Em compensação o canto dos pássaros aumentou e os animais, que entre um turista e outro, ganhavam lanchinhos agora podem aproveitar seu habitat e procurar calmamente pelos alimentos que a natura os fornece. Isso porque as Cataratas do Iguaçu, estão fechadas para a visitação desde o dia 18 de Março, em razão do novo Coronavírus. 

Abaixo é possível observar um comparativo entre as Cataratas do Iguaçu em sua vazão normal e como ela está atualmente:

Sem dúvida, o cenário continua lindo, porém, quanto antes a situação se normalizar melhor. Sendo assim, o que resta é torcer para as condições climáticas colaborarem entretanto, as expectativas do Sistema Meteorológico do Paraná não são muito altas. Segundo a meteorologista Ana Beatriz Porto da Silva, “Não é muito boa a previsão do período [...] tem uma expectativa sim que o sistema tenha mais chuva no sul do Paraguai e região da tríplice fronteira [divisa entre Brasil, Argentina e Paraguai] mas isso pode mudar.”

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »