18/04/2020 às 23h23min - Atualizada em 18/04/2020 às 23h23min

Quarentena: Surto de ações online

A internet é um campo heterogêneo, por onde circulam variadas informações, servindo aos mais diversos interesses.

Ariel Vidal - Revisado por Mário Cypriano
Foto: Reprodução Internet

Para aqueles que acompanham as redes sociais, devem ter visto muitas lives de artistas, professores, até mesmo simpatizantes que praticam atividades como hobbies e tem utilizado das plataformas para se comunicar com o público da internet. Essas práticas não são decorrentes da pandemia, antes mesmo deste quadro, as redes sociais já alcançavam as pessoas através das possibilidades de se estar em vários lugares em um click, uma transmissão, mesmo dentro de casa. No entanto, antes era uma possibilidade, hoje é a única opção. 

Só nessas últimas semanas de março e abril, foram vistos diversos artistas transmitindo ao vivo horas de música, além disso tornou-se comum ter aulas teletransmitidas, atendimentos psicológicos e reuniões religiosas. Como melhor opção de interação com o público, a audiência das lives têm aumentado a cada a dia, e a aderência já chegou a 3,1 milhões de pessoas conectadas na transmissão de Jorge e Mateus. Na mesma pegada, Marília Mendonça registrou 3,2 milhões enquanto cantava ‘Todo mundo vai sofrer’, superando os colegas sertanejos.

O Jornalista e mestre em Estudos de Mídias pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Alyson Moreira cita que as possibilidades tecnológicas não iniciaram durante a pandemia e não irão terminar com ela, mas sim incentivou a utilização dos meios que já fazem parte da rotina dos usuários da internet.

 “A pandemia, pôs à prova alguns sistemas técnicos informacionais no processo produtivo de setores mais tradicionais que podem, a meu ver, ser mais utilizados daqui pra frente.” reforça Alyson.


Impactos nos relacionamentos

Com o crescimento da pandemia do COVID-19, foi necessário a restrição social, por orientação do Ministério da Saúde para evitar a maior propagação do vírus. Por isso, as diversas ações nos sites tem aliviado o isolamento social, principalmente para os casos de riscos, para que sintam-se entretidos pelas programações.

“Não dá para manter encontros dentro de uma certa normalidade enquanto a quarentena continuar. Já a falta do contato humano, e o desafio de se adaptar a essa nova rotina de reclusão são necessários neste momento. Mas é tudo uma questão de tempo. Iremos superar isso.” explica.

O jornalista conta que a utilização das plataformas são maneiras de manter as pessoas em casa, e independentemente do momento é possível manter os laços de relacionamentos.


Solidariedade online
 

Diversas personalidades têm utilizado até de lives para arrecadar doações a instituições afetadas pelo COVID-19, além de contribuir para sociedade com tutoriais e dicas de alimentação por profissionais da nutrição para manter a imunidade completa. 
 

Legenda: Adriana Araujo, âncora do Jornal da Redord postou em seu instagram sobre a importancia de respeitar as orientações da OMS e praticar o bem. 

“Redes solidárias, e de cooperação têm sido criadas para o enfrentamento coletivo do novo coronavírus. Desde campanhas em prol dos profissionais de saúde que estão no front da batalha, como também doações em dinheiro para compras de insumos, por organizações sociais para famílias em vulnerabilidade social." Declara o mestre em mídias.

No entanto, ele chama a atenção para a diversidade de informações que a internet possui, em que muitas carregam histórias falsas. Por isso é preciso ter prudência e saber distinguir o que é verdade, o que é mentira.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »