25/04/2020 às 12h27min - Atualizada em 25/04/2020 às 12h27min

Ferramenta do Facebook permite rastreio de casos da Covid-19

Pesquisa recebe 150.000 mil relatórios diariamente para a montagem de mapa em tempo real da propagação do vírus

Thiago Oliveira
The Verge
Getty Images
O Facebook apresentou uma ferramenta que permite o rastreio de casos de coronavírus nos Estados Unidos. A parceria com a Universidade Carnegie Melon que conduz as pesquisas já rendeu resultados. Por dia, a universidade recebe 150.000 mil relatórios de possíveis sintomáticos da Covid-19. A coleta de informações é feita através de um link no feed de notícias, que guia o usuário até a pesquisa.

Segundo o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, a pesquisa de sintomas em breve poderá prever a propagação do vírus. A universidade deve utilizar ainda, os dados obtidos para criar mapas interativos com atualizações diárias sobre a pandemia.

A ferramenta não funciona como um diagnóstico, mas serve de base para visualizar como o vírus tem se comportado. Como a pesquisa cruza os dados com as informações oficiais do governo, o que revela um alto nível de confiabilidade.

O objetivo da empresa é estender a pesquisa para outros países, para isso, a Universidade Maryland começa a captar dados sintomáticos globalmente. Para o professor associado da Carnegie Melon, Ryan Tibshirani, se a participação no resto do mundo seguir o curso dos EUA, em breve eles poderão revelar áreas que a doença pode se espalhar.

Vale ressaltar que os dados coletados pelo Facebook vão direto para os pesquisadores, não ficando disponíveis para a empresa. A preocupação sobre segurança e privacidade é uma pulga que segue a imagem do Facebook, que se envolveu em inúmeros escândalos e é investigada por órgãos americanos como o Federal Trade Commission.

Para Zuckerberg, as pesquisas podem ajudar os governos a preverem como a pandemia se comporta em seus países. Segundo ele, essa é uma medida que pode ajudar a autoridades enxergarem a realidade do vírus, principalmente em países onde os governantes demoraram a agir na contenção da doença.

"Alguns desses governos, francamente, não estão empolgados com o mundo saber quantos casos reais existem ou indicadores de como está se espalhando em seus países. Portanto, divulgar esses dados é muito importante." Disse Zuckerberg ao The Verge.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »