30/04/2020 às 13h27min - Atualizada em 30/04/2020 às 13h27min

Polícia Civil de Mogi Guaçu esclarece desaparecimento da pequena Ísis Helena

Ainda de acordo com o delegado, com o uso de uma colher de pedreiro que foi apreendida, Jennifer abriu a cova

Rute Moraes - Editor: Ronerson Pinheiro
SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo)
Foto/Reprodução: Arquivo pessoal

A Polícia Civil de Mogi Guaçu no interior de São Paulo, informou que finalizou a investigação sobre o desaparecimento da pequena Ísis Helena de 1 ano e 10 meses. A criança sumiu no início de março e o corpo foi encontrado na última quarta-feira (29). A mãe da garota confessou a autoria do crime e está presa preventivamente.

Registrado na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) da cidade de Mogi, o caso foi apurado pela unidade especializada e, posteriormente, transferido para a delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Mogi Guaçu, que, juntamente com a Delegacia Seccional prosseguiu com as apurações.

O trabalho investigativo e de inteligência das forças policiais analisou as imagens de câmeras de segurança e ouviu testemunhas, conseguindo prender temporariamente, no dia 17 de abril, a mãe da criança. Na última terça-feira (28), Jennifer Natália Pedro, de 21 anos, confessou o crime e revelou o local onde o corpo estava escondido.

Com autorização judicial, Jennifer Natália, voltou para Itapira-SP, acompanhada dos investigadores, delegados, médico-legista e agentes penitenciários. Na manhã desta quarta-feira (29), o corpo localizado às margens do Rio do Peixe. “A criança foi enterrada nua. Ela (mãe) tirou sua roupa, fralda, jogou no rio, e a colocou (criança) no buraco de barriga para cima”, conta, o delegado seccional, José Antônio de Souza. Ele ainda completou. "Hoje, o Ronaldo (policial) começou a bater a chibanca (um tipo de picareta) limpou com a mão, e ali estava o crânio da criança", concluiu.

Ainda de acordo com o delegado, com o uso de uma colher de pedreiro que foi apreendida, Jennifer abriu a cova. Ela confessou que levou a colher dentro de uma sacola plástica, juntamente com um refrigerante de menos de 2L, para beber ao final de tudo.

O caso foi encerrado e o inquérito policial (IP) relatado com pedido de prisão preventiva da mãe de Ísis Helena, que foi indiciada por homicídio doloso (quando há intenção de matar), por omissão com dolo eventual e ocultação de cadáver. Jennifer deverá ser transferida para a Penitenciária Feminina de Tremembé-SP.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »