13/05/2020 às 18h18min - Atualizada em 13/05/2020 às 18h18min

Twitter e Instagram lançam 'alerta de fake news' em postagens falsas sobre a Covid-19

Em alguns casos, o conteúdo pode ser excluído da rede social

Por Isabela Tavares - Editado por Luana Gama
Estadão / G1
Divulgação / Twitter

Para tentar combater a disseminação de fake news sobre a pandemia do novo coronavírus, duas redes sociais estabeleceram medidas para advertir os usuários sobre os conteúdos falsos que circulam nas redes. O Twitter anunciou nesta segunda-feira (11), que vai incluir alertas em tuítes com informações falsas ou controversas sobre a pandemia. A plataforma vai disponibilizar links para redirecionar o usuário a uma página com informações confiáveis.  

 

Além disso, o Twitter vai classificar os conteúdos falsos sobre a Covid-19 em três categorias: informações enganosas, afirmações questionáveis e afirmações não confirmadas. Caso a informação represente perigo à saúde, a postagem será coberta com uma tarja ou excluída. Tuítes com informações falsas ou que propaguem a desinformação terão uma alteração no algoritmo e serão entregues a um menor número de pessoas. 

 

O Instagram também estabeleceu medidas em relação às fake news sobre o novo coronavírus. A rede social marcou como notícia falsa uma publicação do presidente Jair Bolsonaro que mostrava um comparativo entre óbitos por doenças respiratórias no Ceará em 2019 (6.377), e em 2020 (6.296), entre 16 de março e 10 de maio de cada ano. O conteúdo induzia o usuário a acreditar que o número de mortes causadas por sindromes respiratórias diminuiu em 2020, apesar da chegada da Covid-19 no país. A postagem foi removida após uma checagem da Agência Lupa, que mantém parceria com o Facebook. Segundo a Agência, os números estavam desatualizados e incluíam mortes por outras causas além de problemas respiratórios.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »