02/06/2020 às 15h13min - Atualizada em 02/06/2020 às 15h09min

A reimaginação da Era de Ouro do Cinema Americano

Uma crítica a série Hollywood da Netflix

Ernandes Silva - Editado por Fernanda Simplicio
Reprodução: Instagram
Disponibilizada na Netflix no mês passado, Hollywood é a mais nova produção do Ryan Murphy e Ian Brennan. A trama da minissérie tem como época a Hollywood dos anos 40, pós-guerra, e segue um grupo com um sonho em comum de chegar ao estrelado hollywoodiano. E no caminho para conseguir alcançar esse objetivo eles terão que lidar com diversos dilemas e obstáculos no percurso.

É importante falar da proposta da produção “What if you could rewrite the story?”, a qual aparece nos materiais de divulgação como quase um slogan. A tradução dela é “E se você pudesse reescrever a história?”, algo que é executado muito bem em seus 7 episódios. Hollywood possui fatos costurados com ficção, ou seja, ela traz acontecimentos e personagens que existiram e mescla com a sua narrativa e assim reinventando a Era de Ouro do Cinema Americano. Dessa forma, a minissérie pode ser considerada um realismo fantástico que envolve o espectador e faz com que ele queira mais daquela história. Ela também foca e m
ostra os bastidores da produção de um filme.

Além disso, a história traz uma crítica forte no seu subtexto a indústria do cinema e a sociedade americana dos anos 40 com suas ações e discursos racistas, homofóbicas, xenofóbicas, sexistas — as quais, infelizmente, não mudaram tanto com o passar das décadas. E ao longo dos episódios podemos ver que pequenos e grandes atos contra esse sistema, como um todo, vão mudando ele. O que pode atrapalhar um pouco a experiência caso não haja uma suspensão de descrença por parte de quem está assistindo.



Já a parte mais técnica da produção é ótima, não tem uma direção revolucionária mas cumpre bem o seu papel. A fotografia é bastante bonita e com planos e enquadramentos muito bem utilizados para exibir todo o trabalho da direção de arte que é incrível. A trilha sonora desempenha seu papel muito bem e todos esses elementos fazem com que a imersão naquele universo seja garantida. As atuações em sua grande maioria são ótimas e vale mencionar a formação do elenco, o qual envolve grandes nomes e alguns novatos, muitos dos quais já participaram ou fizeram produções com o Ryan Murphy antes.
O elenco dos aspirantes é composto por David Corenswet (The Politician) como Jack Castello, Darren Criss (Glee e ACS: The Assassination of Gianni Versace) como Raymond Ainsley, Laura Harrier (Homem-Aranha: De Volta ao Lar) como Camille Washington, Jake Picking (O Dia do Atentado) como Rock Hudson, Jeremy Pope (The Ranger) como Archie Coleman, e Samara Weaving (A Babá) como Claire Wood.



Ademais, o elenco ainda conta com o ator e diretor Joe Mantello como Dick Samuels, Dylan McDermott (As Vantagens de Ser Invisível e AHS: Murder House) como Ernie West, Holland Taylor (Dois Homens e Meio e Legalmente Loira) como Ellen Kincaid, Jim Parsons (The Big Bang Theory) como Henry Wilson, e a atriz e cantora Patti LuPone como Avis Amberg.
E no fim, Hollywood é uma homenagem a Era de Ouro do Cinema Americano, uma recriação com tom otimista de uma nação, e um presente para fãs da Sétima Arte.

REFERÊNCIAS: 
Hollywood. IMDb. Disponível em: <https://www.imdb.com/title/tt9827854/?ref_=ttmi_tt>. Acesso em: 29 de mai. de 2020.
https://www.netflix.com/br/title/81088617
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »