04/06/2020 às 16h44min - Atualizada em 04/06/2020 às 16h37min

Grifes se posicionam sobre o homicídio de George Flyod

Estados Unidos entram no 10° dia de manifestações contra atos racistas

Franciele Oliveira - Editado por Larissa Barros
Reprodução / Redes sociais
Após ondas de manifestações contra a morte de George Flyod, em Minneapolis, nos Estados Unidos, grupos de grife como Gucci e Prada se pronunciaram e demonstraram apoio ao movimento antirracista. O homicídio aconteceu dia 25 de maio e EUA já se encontram no 10° dia de protesto.

A morte de Flyod foi gravada pelo celular de vários pessoas que estavam no local. O registro mostra um policial branco ajoelhado sobre o pescoço de George durante uma abordagem policial. No momento das agressões a vítima dizia repetidamente que não conseguia respirar. 

Em nota, a Gucci, quarta-feira (3), lamentou a perda de Flyod e das muitas vidas negras que foram perdidas antes dessa, “nós estamos com aqueles que exigem justiça pela violência contra eles”. Além de declarar que nesta quinta-feira (4), todas as operações da empresa nos Estados Unidos serão pausadas para que os funcionários tenham um dia de luto, a marca também se comprometeu a fazer parte da solução.

“Nós estamos em solidariedade e em ação com a comunidade negra que sempre nos apoiou”. 


O grupo Prada também se posicionou, através de uma imagem publicada nas redes sociais segunda-feira (1). Em postagem a grife declarou a sua indignação e tristeza pelas injustiças enfrentadas pela comunidade negra e afirma que mantém firme o apoio e solidariedade contra o racismo.

“Nós levantamos nossa voz e continuamos a trabalhar com nosso conselho de diversidade e inclusão, para lutar por justiça racial em todos os lugares”.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »