12/06/2020 às 18h37min - Atualizada em 12/06/2020 às 18h32min

Mundo racista: Uma análise sobre o filme ‘Corra’

A trama coloca em discussão o contexto racial em diferentes camadas da sociedade

Thaís Santos - Editado por Fernanda Simplicio
Reprodução: Cromossomo Nerd
O longa ‘Corra!’ (2017) abre a sequência acompanhando um homem negro, que visivelmente se sente ameaçado ao caminhar pela rua escura em um bairro tipicamente habitado pela classe média branca. Ao que tudo indica ele busca por um endereço. Logo de cara é apresentado uma camada do contexto racial: está é identificada pelo medo de um personagem negro por estar em um ambiente branco.

A trama segue, com uma pegada de suspense, terror ao tratar da questão do racismo, do horror de viver em um mundo assim, apresenta reflexão a respeito de situações constrangedoras, traumáticas de quem sofre esse tipo de preconceito na sociedade. E nos provoca a sentir de certa forma a tensão, medo, angústia, aflição que o personagem negro vive como refém do branco.

A narrativa do filme então acompanha as experiências do jovem negro Chris, que viaja para o interior com sua namorada Rose, que é branca para conhecer a família abastada dela. Ao chegarem no local, o fotógrafo Chris é recebido muito bem pelos pais de Rose. (o casal é interpretado por Daniel Kaluuya e Allison Williams).

A princípio, parece estar tudo indo muito bem, exceto quando os pais da jovem começam a mostrar outras camadas do racismo ao usar um discurso de que não teriam problema algum em votar novamente Barack Obama, que foi presidente dos Estados Unidos homem negro, comentário desnecessário. E ao desmerecer a relação do casal, não levando a sério o relacionamento. O racismo velado.
  
Aqui são identificadas como as pessoas são realmente racistas ao usarem discursos de tal forma para aparentarem que não são, deixam visível o que são na verdade. Chris se sente desconfortável com os pais de Rose e identifica um comportamento um tanto estranho dos empregados da casa, os únicos negros que trabalham ali, com olhares inexpressivos parecendo robôs.

A história ficcional, é feito por um diretor negro Jordan Peele, que propôs essa jogada entre espectador negro e o branco. Mostra o olhar de quem sente de fato a situação racial, na pele e relata os privilégios de pessoas brancas, os benefícios pelo tom da pele.  

Corra é um convite do cineasta para entender a importância de combater a violência gerada pelo racismo e mostra como é a expectativa de um negro num ambiente de brancos.


REFERÊNCIA:
MORAES, F. Corra, o filme de terror sobre o monstro chamado racismo.   Metrópoles, 17 de mai. 2017. Disponível em:< https://www.metropoles.com/spoilers/corra-o-filme-de-terror-do-momento-entenda-o-fenomeno?amp>. Acesso em: 12 de jun. de 2020.

O GLOBO.  Preto no branco: 9 visões sobre onde está o racismo estrutural. Portal Geledés, 07 de jun. 2020. Disponível em:< https://www.geledes.org.br/preto-no-branco-9-visoes-sobre-onde-esta-o-racismo-estrutural/>. Acesso em: 12 de jun. de 2020.

LIMA, J. D. Por que o filme Corra desafia a classificação de ‘comédia’.  Nexo Jornal,19 de nov. 2017. Disponível em:< https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/11/19/Por-que-o-filme-%E2%80%98Corra%E2%80%99-desafia-a-classifica%C3%A7%C3%A3o-de-%E2%80%98com%C3%A9dia%E2%80%99>. Acesso em: 12 de jun. de 2020.

 Uma análise sobre Corra e o racismo velado. Portal Geledés, 01 de mar. 2018. Disponível em : <https://www.geledes.org.br/uma-analise-sobre-corra-e-o-racismo-velado/>. Acesso em: 12 de jun. de 2020.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »