10/07/2020 às 11h16min - Atualizada em 10/07/2020 às 11h01min

Em meio a pandemia, surgem relatos de casos de peste bubônica e novo vírus da gripe

Enquanto enfrentamos o coronavírus, novos casos de peste bubônica surgem enquanto um novo vírus da gripe é descoberto

João Pedro Felix - Editado por Manoel Paulo
Fonte: Pixabay

O termo “pandemia” se refere quando uma doença se espalha por todo o globo terrestre, começando com um surto em determinada região e assim se expandindo pela transmissão de pessoa por pessoa. A última vez que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o estado de pandemia foi para o H1N1, conhecido como gripe suína, e tornou a declarar em 2020 com o surgimento do coronavírus (SARS-CoV-2), com primeiros casos notificados em Wuhan na China, e que hoje já alcançou mais de 12 milhões de casos confirmados. 

 

O número é alto, mas ainda não alcança o topo das pandemias que o mundo sofreu. Numa breve recordação temos em primeiro lugar a peste bubônica, que assolou a idade média com mais de 200 milhões de mortos entre 1347 e 1351, e as diversas variações do vírus da gripe, como a gripe espanhola (H1N1/Porcos) que atingiu de 40 a 50 milhões de mortos entre 1918 e 1919, e a mais recente gripe suína (H1N1/Porcos), em 2009 e 2010 que alcançou a marca 200 mil.

 

Novos relatos
 

No domingo (05/07), foi notificado na cidade de Bayannur, região chinesa da Mongólia Interior, um caso confirmado da peste bubônica, também conhecida como peste negra causada pela bactéria Yersinia pestis,transmitida através de pulgas que são infectadas por roedores, e nesse caso em específico, as suspeitas caem sobre o consumo de carne de marmota.

 

Em fala para o Portal R7, a pesquisadora da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) Marinella Della Negra, tranquiliza afirmando que, nos dias atuais, existem condições sanitárias adequadas, rápido diagnóstico e tratamento eficiente à base de antibióticos. O risco de uma pandemia causada pela peste bubônica hoje em dia é praticamente nula, devido aos conhecimentos presentes da doença. 

 

Mas não somente doenças conhecidas assolam o mundo. Ainda na China, cientistas descobriram em porcos uma cepa da influenza, isto é, uma nova linhagem do vírus da gripe, que foi descrito com potencial de crescer e se multiplicar nas células que revestem as vias aéreas humanas. O vírus, chamado pelos pesquisadores de G4 EA H1N1, ainda não possui casos confirmados em humanos, mas existem suspeitas de infecções em trabalhadores de matadouros e da indústria suína chinesa. 
 

Pandemias

 

Existe um fator que une muitas dessas pandemias, especialmente as citadas no texto acima: o consumo de carne animal. Seja pela má manutenção de animais em abatedouros e indústrias do ramo de consumo animal, como aponta a gripe suína e a gripe aviária. Aponta-se também a alimentação exótica, comum em países asiáticos, como o consumo de carne de marmota nos recentes casos de peste bubônica na Mongólia, e as suspeitas sob o pangolim como transmissor da Covid-19. 

 

A história registra pandemias de séculos atrás, e mesmo com o avanço da ciência, e um dos maiores problemas que a humanidade pode enfrentar. Isso devido a mutação genética dos vírus, a exemplo do vírus da gripe. Uma pandemia se deriva de uma epidemia  enfermidade que atinge grande número de indivíduos em uma determinada localidade e de forma simultânea  que, seja por falta de medidas sanitárias ou tratamentos, e pela facilidade de contaminação, expande suas fronteiras e se torna uma pandemia, o grande medo do século XXI. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »