17/07/2020 às 17h42min - Atualizada em 17/07/2020 às 15h58min

Relacionamento abusivo: as aparências enganam

Segundo a ONU, três a cada cinco mulheres passaram por um relacionamento abusivo

Daiane Ramos - Revisado por Luhê Ramos
Imagem do casal Mayra Cardi e Arthur Aguiar, retirada da internet
Após três anos de relacionamento, a empresária Mayra Cardi e o ator e cantor Arthur Aguiar anunciaram sua separação, e afirmaram ter sido de uma forma totalmente amigável. Porém, um mês após o anúncio, Mayra divulgou um vídeo no qual ela acusava o ex-marido de ter transformado o relacionamento dos dois em algo totalmente tóxico. O relato da empresária fez despertar o assunto de que muitas mulheres sofrem ou já sofreram um relacionamento abusivo e nem se dão conta.
 
Segundo Mayra, o cantor a traiu com cerca de 16 mulheres ao longo do relacionamento. Ela acrescentou que não podia postar fotos de biquíni, pois o marido não gostava. A gravidez da empresária também ocorreu no tempo que o marido quis, mesmo que Mayra tenha pedido que ele esperasse alguns meses para ela poder se tratar dos traumas que já estavam sendo causados pelo relacionamento. Aguiar, por sua vez, publicou um vídeo rebatendo as acusações e apenas confirmou que realmente havia traído a ex-mulher. Mas, em seguida, excluiu o vídeo.

O ator repetiu diversas vezes que nunca foi um abusador. Mayra então divulgou diversos prints que comprovam a censura que o ator fazia à esposa quando eram casados. Cardi ainda divulgou um áudio de 2018, de quando estava grávida da pequena Sophia (de hoje um ano e meio). Nele a empresária falava com sua doula e explicava o ponto crítico em que estava seu relacionamento e o quanto isso estava prejudicando sua preparação para o parto normal, que também foi uma exigência de Arthur. Casos semelhantes são mais comuns do que parecem. Segundo a ONU, três em cada cinco mulheres já sofreram com um relacionamento abusivo.

Uma vítima que prefere não se identificar relatou um relacionamento extremamente abusivo que viveu com apenas 12 anos. “Eu simplesmente não podia sair de casa, nem com a minha mãe, pra lugar nenhum, só com ele”, afirmou. A vítima ainda disse que só percebeu a gravidade da situação quando não podia fazer mais nada sem estar na companhia do seu então parceiro, e ainda relatou que chegou a ser agredida durante as discussões do casal. Ela afirmou que não carrega mais tantos traumas por ter conseguido esquecer as atitudes do ex. Muitas vítimas, infelizmente, chegam a passar anos sem conseguir se relacionar com outra pessoa por acreditarem que passaram pela mesma situação.

O psicólogo Alifi Soares, especializado em Logoterapia e que atende pacientes no interior da Paraíba, declarou que: "não é constatado significativamente que os parceiros ou cônjuges que praticam um relacionamento abusivo possuam alguma doença mental”, comentou. A própria Mayra Cardi chegou a pensar que Arthur poderia sofrer de alguma doença, o que justificaria as atitudes de seu ex-companheiro.
 
Sobre o traço dos abusadores, o Psicólogo declara: "é uma pessoa que trabalha, tem uma vida social, bons antecedentes, ou seja, é um 'cidadão comum", ressalta. Talvez seja esse o motivo de muitos agressores viverem impunes. Algumas atitudes acabam passando despercebidas por pessoas ao seu redor, fazendo com que haja um discurso “controverso” quando uma vítima decide expor o que sofreu.

Alifi Soares ainda diz que há vários fatores que contribuem para que uma vítima demore a reconhecer seu abusador, sendo eles: dificuldades emocionais e afetivas; “insegurança e incerteza diante do que está acontecendo, medo, crença de que isso vai passar”; econômica, por haver uma dependência financeira em alguns casos; e até mesmo questões legais e jurídicas, ”desgaste relacionado ao tempo e à burocracia”, afirmou o psicólogo.
 
A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência recebe denúncias anônimas através do número 180. Eles funcionam 24 horas por dia, durante todos os dias da semana. Vale ressaltar que relacionamentos abusivos acontecem com casais independente da orientação sexual, com pais e seus filhos e até mesmo entre amigos. Nenhum tipo de relação tóxica deve ser aceita, as consequências podem gerar traumas graves na vida de um indivíduo.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »