22/07/2020 às 14h53min - Atualizada em 22/07/2020 às 13h50min

Viagens no Brasil: o futuro incerto do turismo no país

Júlia Viana - Alexandra Machado
Imagem: Reprodução Terra
O turismo no Brasil em momento de pandemia é um dos mais afetados do mundo, pois ainda há restrições e uma alta taxa de contágio no território, e não está preparado para uma reabertura de fronteiras, diferente de alguns países europeus, que já planejam reabertura para o turismo.

Com isso, as agências de viagens do país têm sofrido as consequências, e para se adaptarem, muitas oferecem promoções para o pós pandemia.
Apesar dos descontos ofertados no momento, não é recomendado comprar nenhuma viagem que não possa ser adiada ou cancelada sem custo. É seguro acompanhar a evolução da pandemia em cada região, para decidir qual lugar será seguro visitar.

A principal recomendação da Organização Mundial da Saude (OMS) é de evitar aglomerações, ficar em casa e evitar ao máximo as viagens, pois a maioria dos meios de transporte são fechados e comportam muitas pessoas. É preciso garantir que o meio de transporte não seja um vetor de disseminação do vírus. Cada pessoa deve seguir recomendações básicas da OMS juntamente com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), como utilizar máscaras, lavar as mãos e desinfetar objetos com álcool em gel.

Não há uma resposta sobre “quando” será possível viajar livremente, tudo é incerto. Jerome Cadier, presidente da Latam Airlines Brasil, acredita que a retomada vai começar pelos destinos nacionais e não internacionais.
“Vamos sentir a demanda doméstica se recuperar mais rápido, mas esperamos uma retomada longa para o setor da aviação”, afirmou o executivo durante o painel “Retomada do turismo: qual o perfil do viajante no ‘novo normal’ e para onde ele vai”, realizado em 14 de julho, durante a Expert XP 2020, conferência anual de investimentos organizada pela XP Inc.
 

 
 
 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »