06/08/2020 às 15h00min - Atualizada em 06/08/2020 às 14h53min

Quantos escritores e personagens trans você conhece?

A cultura no combate às violências

Franciele Rodrigues - labdicasjornalismo.com
Bandeira do orgulho Trans/Portal UOL
Nos últimos meses, o ator e empresário Thammy Miranda sofreu ataques transfóbicos nas redes sociais, após participar de uma campanha publicitária voltada ao Dia dos Pais. As ofensivas questionavam se ele poderia ser pai já que é transexual. Thammy Miranda tem um filho de seis meses com Andressa Ferreira, eles são casados. As discussões sobre as questões de gênero ainda são atravessadas por muitos preconceitos e falta de conhecimento, uma das dúvidas recorrentes tange ao que significam as identidades como a transexualidade. 

TRANSEXUAL/TRANSGÊNERO: é o indivíduo que se opõe, que TRANSgride e TRANScende a ideologia heterocisnormativa imposta socialmente. Pessoas que assumem uma identidade oposta ao gênero que nasceu, que sentem-se pertencentes ao gênero oposto do nascimento. Uma identidade ligada ao psicológico e não do físico, pois nestes casos pode haver ou não uma mudança fisiológica para adequação.

O Dicionário LGBT+, disponível para dowload gratuito no seguinte site https://thepride.com.br/dicionario-lgbt/, traz a explicação de outros termos relacionados à diversidade de gênero. 

As violências não se restringem à internet. O Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais no Brasil, segundo informações compartilhadas pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra). O levantamento, divulgado em janeiro de 2020, aponta que no ano passado 124 pessoas trans foram assassinadas no país sendo que em 80% dos crimes foram identificados requintes de crueldade, ou seja, violência excessiva. Apenas 8% dos casos tiveram suspeitos identificados.

A entidade também revela que, em 2019, foi registrado um aumento de 800% das notificações de agressões contra a população trans, atingindo 11 pessoas agredidas por dia no Brasil. Os dados disseminados pela organização também nos permite traçar os perfis das vítimas mais recorrentes: 80% eram negras e 97,7% do gênero feminino. Cerca de 90% das mulheres trans estão na prostituição.

Ainda, de acordo com a União Nacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, a expectativa de vida de transexuais no Brasil é de apenas 35 anos enquanto o tempo médio de vida da população em geral é de 75 anos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Por outro lado, quantos autores e personagens transexuais você conhece? A seguir apresentamos algumas sugestões de leituras indicadas pelo Portal Transconnection: 
 
Viagem solitária, de João W. Nery
Autobiografia de João W. Nery, o primeiro homem transexual a realizar a transição de gênero no Brasil, que ocorreu durante a ditadura militar. Ela é narrada após viver 30 anos sem que ninguém soubesse de sua identidade trans e ter um filho já adulto.

Nome e sexo: Mudanças no registro civil, de Tereza Rodrigues Vieira
O nome civil é um dos principais símbolos da personalidade do indivíduo, capaz de particularizá-lo no contexto da vida social e produzir reflexos na ordem jurídica. Dessa importância resulta que, se o nome civil é sentido pela pessoa como uma carga pesada demais, poderá pleitear sua alteração em juízo. A presente obra trata dessa possibilidade de maneira abrangente, num estudo que se fundamenta na doutrina e na legislação nacionais e estrangeiras, em entendimentos jurisprudenciais atuais e, ainda, nos subsídios fornecidos pelos estudos científicos mais recentes e pelas transformações sociais observadas.

Transexuais: perguntas e respostas, de Gerald Ramsey
O que são transexuais? Por que desejam mudar de sexo? A terapia pode curá-los? Gerald Ramsey, um psicólogo que há vinte anos trabalha nas comissões de gênero que acompanham o processo de redesignação sexual, dá explicações claras e detalhadas para as dúvidas que mais ouviu de familiares e amigos de transexuais, e mesmo de seus colegas médicos e terapeutas.

Nicola: Um romance transgênero, de Danilo Angrimani
Um professor universitário sisudo, casado e com filhos, tem uma vida secreta: quando se olha no espelho, vê uma mulher vagabunda e aventureira esperando para se manifestar. Primeiro romance brasileiro a explorar a fluidez de gêneros, Nicola acompanhaum personagem que se traveste com uma linguagem vigorosa, honesta e sem qualquer vulgaridade.

Vivência transexual: O corpo desvela seu drama, de Maria Jaqueline C. Pinto e Maria Alves de T. Bruns
Discussões sobre a sexualidade humana têm surgido frequentemente em decorrência dos avanços no conhecimento da saúde, e por ser um assunto controverso, ou mesmo um tabu, pois quando o tema é transexualidade, há uma busca frenética no sentido de desvendar esse fenômeno. Este livro visa contribuir para uma reflexão mais crítica acerca da transexualidade, a fim de delinear novos horizontes e novas pesquisas, visando colaborar com aqueles que atuam neste seguimento.



 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »