14/08/2020 às 22h44min - Atualizada em 14/08/2020 às 22h39min

Opinião: Eliminações frequentes escancaram crise no Barcelona

Depois do título em 2015, clube catalão acumula derrotas seguidas no torneio europeu. Apatia em campo e falta de eficiência fora de casa são determinantes

Cristian Moraes Rocha - labdicasjornalismo.com
Messi lamenta a queda para o Bayern de Munique (Foto: Manu Fernandez/EFE)

O jogo mais esperado da rodada enfim aconteceu: o embate entre Bayern de Munique X Barcelona representava muito mais do que uma classificação, era a última esperança de título na temporada para o clube catalão, que há muito tempo vinha jogando de forma irregular. E com um rendimento abaixo do esperado, acabou atropelado por um sonoro 8x2. A maneira como o Barça vem sendo eliminado nos últimos anos chama atenção, os jogadores apáticos em partidas decisivas se tornam presas fáceis para surpreendentes goleadas. 

Desde a eliminação diante do Atlético de Madrid na temporada 2015/16, o clube é desclassificado com placares superiores ou iguais a três gols de diferença. E tirando essa atual edição, que os confrontos estão sendo em jogos únicos por causa da pandemia, o clube não marcou nem um gol fora de casa nessas eliminações, o que deixa mais evidente a falta de reação nas partidas. O grande astro Lionel Messi também não consegue render nesses momentos.

Relembre todas as recentes eliminações na Liga dos Campeões do Barcelona por grandes placares: 

Temporada 2016/17 - Juventus 

Após a inesquecível e polêmica virada em cima do Paris Saint-Germain por 6x1, os comandados de Luís Henrique, ex-técnico do clube, chegaram a todo vapor para enfrentar a Juventus nas quartas de final do torneio. A equipe bianconeri vinha fazendo uma ótima temporada e com um icônico ex-jogador do Barcelona no seu plantel, Daniel Alves.  

Surpreendendo a tudo e a todos, a Juve venceu a partida de ida, em sua casa, por 3x0, com Dybala, inspirado, que marcou dois belos gols. No jogo de volta, o Barcelona estava atrás de reverter novamente uma grande vantagem do adversário, entretanto, a sólida defesa do time italiano foi maior e o 0x0 não saiu do placar.


O goleiro da Juventus, Gianluigi Buffon, consola Messi (Shaun Botterill/Getty Images) 

Temporada 2017/18 - Roma 

Já sem Neymar e com o trio MSN desfeito, o Barcelona enfrentou nas quartas de final, outro time italiano, a Roma. E de novo a eliminação aconteceu, mas com essa sendo a primeira das duas viradas seguidas que o clube viria a sofrer na competição. Diferente de quando enfrentou a Juventus, o Barça não teve dificuldades na primeira partida, (dessa vez com o primeiro jogo sendo em casa), e venceu por 4x1, com direito a dois gols contra da Roma. 

Na partida de volta, podendo perder por até dois gols de diferença, o Barcelona não respirou no Olímpico. A equipe da capital italiana foi para cima a todo instante, sufocando os culé. Resultado? 3x0 com o gol decisivo nos minutos finais.  

Esse jogo ficou marcado pelo desempenho fraco do Barcelona, que tinha sofrido apenas três gols até aquela fase (sendo um desses três fora de casa). Não chegou a incomodar em momento algum, e com míseras duas finalizações ao gol de Alisson. O pouco futebol jogado rendeu altas críticas para o elenco, e ao até então treinador Ernesto Valverde. 


Jogadores da Roma comemoram gol na Champions, e Messi lamenta Getty Images

Temporada 2018/19 - Liverpool 

Depois de cair três vezes seguidas nas quartas de final, o Barça enfim voltava a uma semifinal de Champions League, o seu concorrente pela vaga na final foi o Liverpool de Klopp, clube que era o atual vice-campeão da competição. 

Em grande noite de Lionel Messi, com direito a um golaço de falta do argentino, o Barcelona fez 3x0, o que dava uma enorme vantagem para a partida derradeira em solo Inglês. Foi ainda mais especial, pelo fato, de ter sido o jogo que o Messi marcou seu gol de número 600 pelo clube. Vale mencionar, que o Liverpool chegou a ameaçar a meta catalã em duas boas oportunidades, mas Ter Stegen pegou tudo. 

Com um Messi ativo, mas com a pontaria não tão boa, a maior virada recente contra o Barcelona aconteceu. Repetindo o cenário do jogo contra a Roma, o Barça não mostrou eficiência e contra um Liverpool desfalcado, sem Salah e Firmino, tomou 4x0.  

No primeiro tempo, o Barcelona teve algumas boas oportunidades, o que caso fosse concretizada em gol, decidira o confronto. Porém, no segundo tempo, os jogadores pareciam estar perdidos em campo. Os três gols que fecharam a virada, foram em lances de total desatenção da zaga, dois saíram em um espaço de cinco minutos, e em uma cobrança de escanteio onde ninguém marcou, Origi fez e carimbou uma nova eliminação de virada ao Barcelona. Grande personagem da virada, Alisson fechou o gol e impediu qualquer reação.  


Messi sofre falta de Fabinho. Foto: Getty Images

Temporada 2019/20 - Bayern de Munique

Os péssimos resultados na competição europeia tiveram o seu ápice nessa temporada. A qual foi turbulenta desde o começo, brigas no elenco, entre elenco e diretoria, entre elenco e treinador, várias lesões e investimentos em jogadores que não renderam, ocasionaram no maior vexame do Barcelona na história da Champions. 

Com a pandemia, a continuidade do torneio teve que ser revista, a alternativa encontrada pela Uefa, foi a de realizar os jogos em partidas únicas em um mesmo país, a sede escolhida foi Lisboa (POR). 

Depois de perder a La Liga e a Copa do Rei, a única esperança de conquista que sobrou foi justamente a Champions. Pior do que nas outras vezes ditas, o elenco perdeu qualidade e não se tinha muitos jogadores para compor, e mesmo com Messi em campo, nada foi suficiente para evitar o catastrófico 8x2 do Bayern de Munique. 

Em jogo sem ida e volta, precisando vencer, o Barcelona ainda começou a partida em cima, dando bola na trave e incomodando os alemães, tomou 1x0, mas logo na sequência empatou, dava indícios que dessa vez conseguiria vencer e convencer.  

No entanto, depois de levar o segundo gol, a equipe se perdeu em campo e dessa vez, os deuses do futebol como diz a mística, não perdoaram. Começou a sair um gol após o outro e quando se viu, a humilhação já estava feita, ainda chegou a marcar de novo, e deixar em 4x2, só que de novo não mostrou capacidade de virar a partida, e assim terminou. 

O lado psicológico é um dos motivos que podem ser usados para explicar essas recentes eliminações, depois de tomar o primeiro gol, os jogadores perdem a força para reverter a situação. Passa a imagem de que longe do Camp Nou, em partidas da Champions, o clube não consegue render. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »