07/10/2020 às 13h15min - Atualizada em 07/10/2020 às 13h05min

A viagem de ônibus - A ida

Juliana Barbosa - Editado por Bruna Araújo
Imagem de Pexels por Pixabay

É simplesmente impossível estar animada em plena segunda-feira. Enquanto o som desagradável do meu despertador ecoa pelo meu quarto, vou despertando aos poucos enquanto a luz do sol vai adentrando pela janela. São seis da manhã de uma segunda-feira. Não preciso dizer mais nada. 
 

Tenho plena consciência de que deveria me apressar para não chegar atrasada ao trabalho, mas a minha infelicidade por ser segunda-feira ainda está bem ativa em meu corpo. Por isso, vagarosamente me apronto para ir trabalhar. Como não tenho o costume de tomar café da manhã, após estar pronta, sigo para a minha rotina diária que se resume a pegar o ônibus para chegar ao trabalho.  
 

Da minha casa até a estação de ônibus são apenas cinco minutos de distância. Moro de frente a uma praça então aproveito para observar a paisagem enquanto sigo meu caminho. Os pássaros voando e as árvores com suas belas folhagens me lembra que estamos na primavera. Bem, isso seria bom se não fosse o fato de que essa época do ano em minha cidade, é dominada por um calor que chega facilmente a 40ºC.  
 

Infelizmente, o momento de aproveitar a paisagem não perdura, pois, a estação de ônibus se aproxima enquanto caminho. Por ter que pegar a condução sempre no mesmo horário, os rostos das pessoas na estação já me são familiares. Eu nunca as cumprimentei, mas sei que elas também me reconhecem. Mas isso não muda o fato de que tudo o que eu quero nesse momento é que o ônibus apareça de uma vez. Nesse horário já sei que ele não estará tão lotado, então conseguirei um assento – se eu tiver sorte - ao lado da janela.  
 

Como esperado o ônibus chega e consigo um assento, então, sigo minha rotina de colocar meus fones de ouvido e tocar minha playlist super eclética que vai desde Coben. Suas histórias envolvem mistérios, casos mal resolvidos e acidentes fatais. 
 

Deixo de admirar o bom gosto para leitura do rapaz ao notar que estou chegando ao meu destino. Me assusto ao perceber que não senti o tempo passar e com isso minha playlist também estava chegando ao fim, visto que o tempo foi cronometrado para durar o percurso da minha viagem para o trabalho. 
 

Antes de descer na estação, observo um pouco mais os passageiros e a forma que cada um escolheu para passar o tempo enquanto encaram a rotina desgastante de ter que pegar condução para trabalhar ou estudar. A falta de tempo para aproveitar ou relaxar, faz com que eles tentem suprir suas necessidades durante o percurso do ônibus.
 

Desço do veículo e caminho para o meu trabalho e penso que essa foi apenas a ida e quantas mais observações ainda podem ser feitas na volta. 

<span class="EOP SCXW15145604 BCX0" data-ccp-props="{" 201341983":0,"335551550":6,"335551620":6,"335559739":160,"335559740":259}"="" style="margin: 0px; padding: 0px; user-select: text; -webkit-user-drag: none; -webkit-tap-highlight-color: transparent; font-size: 12pt; line-height: 19.425px; font-family: " times="" new="" roman",="" "times="" roman_embeddedfont",="" roman_msfontservice",="" serif;"=""> 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »