10/10/2020 às 19h06min - Atualizada em 10/10/2020 às 18h59min

Mês da cibersegurança: as orientações dos especialistas para proteger dados e informações na internet

Casos de ataques e golpes virtuais explodiram no primeiro semestre do ano e campanhas de cibersegurança devem marcar o mês de outubro.

Maíra Sobral - labdicasjornalismo.com
Andrés Rodríguez

Em 2020, o ciberespaço passou a ser ainda mais frequentado por pessoas do mundo inteiro. Em razão da pandemia causada pelo novo coronavírus e o drástico distanciamento social vivenciado na maioria dos países, as mídias e redes sociais se transformaram em salas de aula, pontos comerciais e o principal meio de comunicação da população mundial.

 

Por outro lado, durante este mesmo período, o número de ataques virtuais explodiu, afetando desde o pequeno usuário que teve seus dados roubados por meio de estratégias de phishing e engenharia social, até grandes nomes de empresários e celebridades — como Bill Gates e Kim Kardashian que no mês de julho tiveram suas contas do Twitter invadidas por hackers para aplicação de um golpe milionário.

 

Todos esses acontecimentos recentes trouxeram à tona a importância de discutir e estudar a cibersegurança em todos os ambientes possíveis, já que diversos aspectos da vida social estão cada vez mais conectados ao universo virtual — desde reuniões com os amigos até consultas médicas.

 

Acontece que muitos usuários da rede desconhecem informações simples, mas fundamentais para a segurança de dados no ciberespaço. “O simples vazamento do usuário e senha de acesso à uma rede social ou uma solução de mensageria é a maneira mais fácil de um golpista conseguir acessar sua conta e executar golpes semelhantes em seu nome”, alerta Maurício Paranhos, diretor de operações da Apura S/A, uma empresa especializada em cibersegurança.

Campanhas de orientação sobre cibersegurança

No primeiro semestre do ano, diversos serviços precisaram migrar para as plataformas virtuais, evidenciando ainda mais a necessidade de se implementar os cuidados de cibersegurança entre os usuários comuns. Em agosto, a NetSecurity, empresa especializada em serviços de Segurança da Informação, lançou a iniciativa “Por um Mundo Digital mais Seguro”, com o objetivo de orientar pais, professores e gestores escolares no uso consciente e protegido dessas novas plataformas.

 

“Estamos acompanhando o aumento de ataques cibernéticos neste período de quarentena e, a falta de conhecimento em tecnologias e Segurança da Informação torna o usuário ainda mais vulnerável para cair em golpes de criminosos e oportunistas digitais”, afirmou Carlos Gajardoni, CEO da NetSecurity e responsável pela idealização do projeto que visa atender 50 escolas até dezembro deste ano.

 

A iniciativa conta com palestras online ministradas pelos especialistas da empresa, com um conteúdo simples e didático. “Vamos conscientizar todos que estão inseridos no ecossistema educacional para que possam compartilhar e fazer uso das boas práticas de segurança digital”, ressalta Gajardoni.

Outubro é o mês da cibersegurança

Segundo uma pesquisa da PSafe, cerca de 24,2 milhões de brasileiros já foram vítimas de algum crime virtual, enquanto entre os norte-americanos, calcula-se que, por ano, o número de usuários somente com identidade roubada — sem contar os demais crimes cibernéticos —, já esteja na casa dos 9 milhões.

 

Para conscientizar a população da importância de aprender a cuidar dos seus dados na internet, em outubro é promovido o mês da cibersegurança. E para não cair em nenhuma cilada virtual, confira as dicas recomendadas por Paranhos para a proteção de suas informações na rede:

 
  • Tenha uma senha forte com letras números e caracteres especiais. Isso irá dificultar a quebra das senhas de forma automatizada. Além disso, troque sua senha periodicamente;

 
  • Habilite o uso de um segundo fator de autenticação. Assim, um atacante além de possuir acesso às suas credenciais precisaria aprovar o acesso com o segundo fator de autenticação, seja um hardware, SMS ou aplicativo de autenticação;

 
  • Nunca clique em links não solicitados por e-mail, SMS ou soluções de mensageria. O ideal é sempre entrar no site oficial da empresa relacionada e procurar a informação direto na fonte;

 
  • Jamais forneça códigos em SMS ou aprove acessos externos com sua solução de segundo fator de autenticação. Isso evitará que um golpista clone sua conta no Whatsapp ou em uma rede social, por exemplo;

 
  • Desconfie sempre de coisas mirabolantes, seja uma celebridade prometendo devolver seu dinheiro em dobro ou um amigo ou familiar pedindo ajuda financeira.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »